Jardim Zoológico de Brasília

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Jardim Zoológico de Brasília
Entrada do zoológico.
Localização Via L4 Sul (Avenida das Nações), Candangolândia, Brasília, DF
Tipo Público
Área 1,397 quilômetros quadrados[1]
Inauguração 6 de dezembro de 1957
Administração Fundação Jardim Zoológico de Brasília
Nº de visitas anuais 1,2 milhões de visitantes por ano
Coordenadas 15° 50' 41" S 47° 56' 36" O
Jardim Zoológico de Brasília está localizado em: Brasília
Jardim Zoológico de Brasília
Localização em Brasília
O aviário do Jardim Zoológico de Brasília.
Elefantes no Jardim Zoológico

O Jardim Zoológico de Brasília ou Zoo Brasília é um zoológico brasileiro, situado em Brasília, no Distrito Federal. Com mais de um milhão de visitantes por ano, é uma das atrações turísticas mais visitadas pela população do Distrito Federal. É também considerado um bem cultural de Brasília.[2]

História[editar | editar código-fonte]

O Jardim Zoológico de Brasília foi inaugurado em 6 de dezembro de 1957 como Parque Zoobotânico, antes mesmo da capital do Brasil, que foi inaugurada em 21 de abril de 1960.[2]

O primeiro caso de uso de células-tronco para curar lesões num animal selvagem foi registrado no Zoológico de Brasília. [3] Este tratamento foi aplicado em uma fêmea de lobo-guará, vítima de atropelamento. [4]

Área[editar | editar código-fonte]

O Jardim Zoológico de Brasília fica na Candangolândia, no sul da Asa Sul, no fim da Via L4 Sul (Avenida das Nações). Possui uma área de 1,397 quilômetros quadrados. Além dos recintos dos animais, ficam no local o Museu de Ciências Naturais, um Borboletário e estruturas de lazer e serviços como lanchonetes, playground, áreas para camping, piqueniques e passeios e lagos artificiais.

Há ainda trinta mil metros quadrados são reservados para a produção do alimento para os animais e as áreas de estacionamento. Também é administrado pela Fundação Jardim Zoológico de Brasília uma Área de Relevante Interesse Ecológico (ARIE), o Santuário de Vida Silvestre do Riacho Fundo e Parque das Aves, que soma mais 4,4 quilômetros quadrados, indo até a Vila Telebrasília e o Aeroporto Internacional de Brasília. As duas áreas preservadas, junto do Parque Ecológico Ezechias Heringer, foram um um conector ambiental.

Administração[editar | editar código-fonte]

O Jardim Zoológico de Brasília é um órgão da administração indireta, ligado à Secretaria de Estado de Meio Ambiente do Distrito Federal (SEMA). A Fundação Jardim Zoológico de Brasília administra o complexo que inclui o zoológico e a área de proteção vizinha do Santuário de Vida Silvestre do Riacho Fundo e Parque das Aves, e é considerada a primeira instituição ambientalista criada no Distrito Federal.[5]

Em seu trabalho de conservação e pesquisa da vida animal, a entidade mantém parcerias estratégicas com a Universidade de Brasília (UnB), a Empresa Brasileira de Pesquisas Agropecuária (Embrapa), a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater) e o Instituto Federal de Educação Teológica (IFTB).

Atrações[editar | editar código-fonte]

Fazem parte do Jardim Zoológico de Brasília 826 animais, sendo 185 espécies de aves. Animais raros em zoológicos brasileiros como a serpente cotiarinha, o sauim-de-coleira, a tiriba-de-pfrimer, o adax e o tatu-bola-da-Caatinga estão entre as atrações.[6]

O acesso ao zoológico é pago, com um ingresso custando dez reais, com possibilidade de meia entrada para crianças, estudantes, idosos, professores e participantes de programas sociais e gratuidade para menores de cinco anos e pessoas com deficiência. Dentro do museu são proibidos animais domésticos.

O zoológico realiza diversas atrações para além do passeio diurno tradicional. O Zoo Noturno, por exemplo, é um tipo de visita noturna monitorada. É possível também acampar na área administrada pela Fundação Jardim Zoológico de Brasília.

Algumas opções de passeios e atividades são voltadas a estudantes, como o Zoo Escolar, que é um passeio voltado as escolas, o Zoo Acadêmico, voltado a faculdades e universidades, o Zoo Em Ação, onde a equipe do zoológico visita as escolas com atividades relacionadas ao Jardim Zoológico, e a Colônia de Feras, com atividades para crianças nas férias escolares. Outros grupos, como terceira idade, pessoas com deficiência ou em tratamentos médicos ou sociais tem seu próprio programa de atividades.[7]

Museu de Ciências Naturais[editar | editar código-fonte]

O prédio do Museu de Ciências Naturais está localizado próximo ao Serpentário e à Administração do Zoo, e guarda em seu acervo animais conservados em várias técnicas, como taxidermia, osteotécnica, meio líquido e curtimento de pele. Os animais são variados, de peixes a mamíferos.

Ato Heroico do Sargento Holembach[editar | editar código-fonte]

Vinte e sete de agosto de 1977: o sargento do exército Sílvio Delmar Rolembach passeava com a esposa e os quatro filhos no Zoo de Brasília. Comemoravam a aprovação, de Holembach no vestibular da UnB, para o curso de Agronomia.

Sargento e família estavam de saída do zoológico quando gritos vieram do fosso das ariranhas: um menino de 13 anos havia caído no recinto dos animais.

Holembach entrou no recinto e posicionado na ilha do fosso com o garoto, o entregou às pessoas que estavam na amurada de proteção. Depois, ao tentar sair da ilha para se pendurar na grade as ariranhas o puxaram para dentro da água. Internado no Hospital das Forças Armadas (HFA) com mais de cem lacerações, morreu três dias depois de infecção generalizada. [8]

Em homenagem ao sargento o zoo de Brasília passou a se chamar Jardim Zoológico Sílvio Delmar Rollembach.

Tour Online[editar | editar código-fonte]

Com a assinatura do decreto em março de 2020, pelo governador Ibaneis Rocha para conter a disseminação do novo corona vírus no DF, a equipe do Zoológico deu início às visitas virtuais ao local.

A galeria África foi o primeiro local a receber o tour virtual. A live foi sobre o manejo e a alimentação do elefante e da girafa. [9]

Referências

  1. Zoo. Disponível em http://www.zoo.df.gov.br/quem-somos/. Acesso em 28 de julho de 2020.
  2. a b «PLANILHA DE PARÂMETROS URBANÍSTICOS E DE PRESERVAÇÃO» (PDF). seduh.df.gov.br. Consultado em 28 de julho de 2020 
  3. (em português) G1 - Lobo-guará sobrevive a atropelamento graças a tratamento com células-tronco. Página acessada em 12 de Janeiro de 2011.
  4. (em português) Ambientebrasil - Lobo-guará atropelado por caminhão faz tratamento com células-tronco. Acessado em 12 de Janeiro de 2011.
  5. «Organograma». Jardim Zoológico de Brasília. Consultado em 28 de julho de 2020 
  6. «Conheça os animais raros e exclusivos do Zoo de Brasília». Agência Brasília. 26 de janeiro de 2020. Consultado em 28 de julho de 2020 
  7. «Ações e programas». Zoo Brasília. 6 de abril de 2020. Consultado em 28 de julho de 2020 
  8. «Morte de sargento que salvou menino no Zoo completa 40 anos». www.correiobraziliense.com.br. Consultado em 10 de agosto de 2020 
  9. «Zoológico de Brasília cria 'tour virtual' a animais durante isolamento social». G1. Consultado em 11 de agosto de 2020 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre jardins zoológicos, aquários, ou aviários é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.