Jargão profissional

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde setembro de 2016).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém fontes no fim do texto, mas que não são citadas no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde outubro de 2014)
Por favor, melhore este artigo introduzindo notas de rodapé citando as fontes, inserindo-as no corpo do texto quando necessário.

Um jargão profissional é um jargão caracterizado pela utilização restrita a um círculo profissional, ou seja, um conjunto de termos específicos usados entre pessoas que compartilham a mesma profissão. O jargão profissional não deve ser confundido com a gíria nem com linguagem técnica, embora às vezes sejam usados ao mesmo tempo pelas mesmas pessoas.

São exemplos de jargões profissionais o juridiquês, o economês e o vício do gerundismo próprio dos profissionais de telemarketing e vendas.

Economês[editar | editar código-fonte]

O economês é um jargão profissional caracterizado pelo uso excessivo e desnecessário (ou descontextualizado) de termos técnicos de Economia. O "economês" é praticado não apenas por economistas, gestores, consultores, analistas de mercado financeiro e outros profissionais da área econômica, mas também por jornalistas que os entrevistam e reproduzem tais termos nas matérias que escrevem. Por atrapalhar a fluência do texto e dificultar a compreensão do leitor, o "economês" é considerado um dos piores problemas no jornalismo econômico.

Para leigos, o uso constante do economês beira o vício de linguagem.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre linguística ou um linguista é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.