Jean Goldenbaum

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Jean Goldenbaum
Nascimento 06 de setembro de 1982
São Paulo, SP, Brasil
Residência Hannover, Alemanha
Nacionalidade Brasil brasileiro e Alemanha alemão
Ocupação compositor e musicólogo

Jean Goldenbaum (São Paulo, 1982) é um compositor e musicólogo judeu teuto-brasileiro. É doutor em Musicologia pela Universidade de Augsburg[1] e atualmente trabalha como professor e pesquisador do Centro Europeu de Música Judaica da Universidade de Música Hannover.[2]

Biografia[editar | editar código-fonte]

No Brasil Goldenbaum estudou com o maestro e compositor Sergio Chnee, seguindo ainda jovem a residir na Alemanha, onde realizou o resto de seus estudos musicais até o seu doutoramento.[3] Ele é casado e reside em Hannover, Alemanha.

Atividades profissionais[editar | editar código-fonte]

Goldenbaum foi o compositor-residente do ‘Wasa Sinfonieta Music Festival - FIRSC’, na Finlândia, em 2011 e 2013, tendo nestas ocasiões estreados seus concertos Ode à Amizade (para flauta, violão e orquestra) e O Universo há de conspirar para o Amor (para flauta, percussão e orquestra). Em 2011, algumas das suas obras de câmara foram apresentadas no evento ‘Neue Musik International’, em Salzburg (Áustria). Em 2012, patrocinado pelo Ministério da Cultura do Brasil, sua música foi o centro do evento New Sounds from Brazil - in Portrait: Jean Goldenbaum, mais uma vez em Salzburg, no qual ocorreu a estreia europeia de seu concerto Que todos os ditadores caiam (para violão e quarteto de violões), estreado anteriormente no Brasil. Em 2012, Goldenbaum trabalhou em conjunto com o poeta brasileiro Ferreira Gullar, o que resultou na obra Ferreira Gullar & Jean Goldenbaum: três momentos em Poesia e Música. Em 2014 sua obra didática Música para crianças - peçasparaquebrarparadigmas para jovens pianistas crescerem diferentes e construírem um mundo melhor foi publicada pela LevanahPublications. Em 2016 realizou-se em Berlim, na Alemanha, o evento Neue Töne für das Gute – New sounds for the Good, que teve em seu programa exclusivamente obras de Goldenbaum, apresentadas por oito músicos de diferentes países. Em agosto do mesmo ano Goldenbaum foi o compositor convidado do ‘29. Schwäbischer Kunstsommer’, na cidade de Irsee, no sul da Alemanha, evento em que foi estreada a sua Suíte Ecumênica: em nome da Paz, da Liberdade e da Tolerância (para coro a cappella), publicada pela editora alemã Ikuro Edition. Goldenbaum produziu quatro álbuns com algumas de suas obras orquestrais e de câmara, gravadas tanto na Europa como no Brasil.

Estilo musical[editar | editar código-fonte]

A música de Goldenbaum é fundamentalmente atonal, porém com forte influência da música tonal tradicional, como o próprio compositor explica em diversas entrevistas (ver abaixo Imprensa e mídia). O musicólogo Alexandre Bispo salienta que as relações entre aspectos éticos e estéticos no processo criador adquirem uma especial atualidade, no contexto euro-brasileiro, na obra composicional de Jean Goldenbaum. As suas composições manifestam de forma particularmente expressiva intuitos de fundamentação ética da criação artística.[4]

O compositor Almeida Prado, ao escrever a resenha para o encarte do álbum Sinfonia do Bem de Goldenbaum, aponta para a qualidade do compositor ao compor para a voz humana:

“A audição desta magnífica obra (Sinfonia do Bem) revela o compositor Jean Goldenbaum já possuidor de um ‘métier’ seguro, cuja estética múltipla dá possibilidades de um lirismo autêntico e a facilidade de transformar seu texto em música de grande beleza e emoção. Imagino este jovem compositor escrevendo uma ópera. Certamente será fantástica.”[5]

Mídia[editar | editar código-fonte]

Jean Goldenbaum vem aparecendo em diversos meios de comunicação brasileiros e internacionais, como no programa Provocações, da TV Cultura,[3] Arteletra Música da TV Sao Judas , Visita VIP, da Rádio USP, Jornalzen, Jornal em Sintornia, Revista Shalom, entre outros.[6] Na Europa já foi tema de reportagens em mídias como Augsburger Allgemeine Zeitung,[7] Lusophónica (Radiofabrik Salzburg), Revista Brasil-Europa,[8] Jüdische Allgemeine,[9] Bayerischer Rundfunk Klassik,[10] entre outros.

Obras[editar | editar código-fonte]

Álbuns lançados[editar | editar código-fonte]

  • Sinfonia do Bem (2010)
  • 'Ode to Friendship' Concerto & other works (2012)
  • 'The Universe shall conspire to Love' Concerto & other works (2013)
  • Live in Berlin (2017)

Obras publicadas[editar | editar código-fonte]

  • Ecumenical Suite: in the name of Peace, Freedom and Tolerance (partitura, 2008, Ikuro Editions)
  • Music for Children: breakparadigmspieces for young pianists to grow different and build a better world (partitura, 2014, Levanah Publications)
  • Concepções e reflexões sobre e ao redor de minha obra musical (livro, 2017, Editora Biblioteca24h, ISBN: 9788541605526)[1]

Obra (parcial)[editar | editar código-fonte]

A obra de Goldenbaum inclui cerca de 90 composições para instrumentos solistas, música de câmara, orquestra, performances teatrais e com dança. Seguem algumas de suas obras, aqui com o título em português:

  • Suíte Ecumênica: em nome da Paz, da Liberdade e da Tolerância, para coro SATB, opus 1 (2008)
  • Sinfonia do Bem, para orquestra sinfônica, opus 2 (2009)
  • Manifesto Musical pela Não-Violência, para trio de flautas-doces, opus 11 (2010)
  • Concerto ‘Que todos os ditadores caiam’, para violão e quarteto de violões, opus 17 (2011)
  • Contra a alienação da juventude de hoje, para orquestra sinfônica, opus 20 (2011)
  • Concerto para piano 1 ‘Vitorioso é o Respeitador’, para piano e orquestra, opus 21 (2011)
  • Ferreira Gullar & Jean Goldenbaum - Três momentos em Poesia e Música, para soprano e piano, opus 26 (2012)
  • Concerto ‘O Universo há de conspirar pelo Amor’, para flauta, percussão e orquestra sinfônica, opus 27 (2012)
  • A morte da mata, para octeto de violoncelos, opus 37 (2013)
  • Protesto musical contra injustiças sociais, para piano e dez instrumentos de percussão, opus 39 (2014)
  • O Caminho e a Fé nele, para trombone solo, opus 44 (2014)
  • Acredite, mova-se e cure o mundo, para instrumentação aberta, opus 55 (2015)
  • Sinestesia Judaica, para clarineta e violão, opus 65 (2016)
  • A mesma imagem em cores e em branco e preto, para flauta, piano e percussão, opus 73 (2017)
  • Quarteto 3: Meditações luzentes, para quarteto de cordas, opus 83 (2018)
  • Tzedakah: Justiça Social, para flauta, acordeão e tímpanos, opus 88 (2019)

Referências

  1. GOLDENBAUM, Jean (2013). Neue Noten unter einem neuen Himmel: Die in Brasilien eingewanderten deutschsprachige Komponisten und deren Einfluss auf die brasilianische Musik (New notes under a new sky: the immigrant German-speaking composers to Brazil and their influence on the Brazilian music). Augsburg, Deutschland: Universität Augsburg 
  2. Hannover, Europäisches Zentrum für jüdische Musik. «EZJM Hannover: Dr. Jean Goldenbaum». www.ezjm.hmtm-hannover.de (em alemão). Consultado em 15 de setembro de 2017 
  3. a b TV Cultura (11 de Outubro de 2011). «Programa Provocações entrevista Jean Goldenbaum». Brasil: TV Cultura 
  4. Bispo, A.A. (2011). «"Jean Goldenbaum:Symphony of the Good/Sinfonie des Guten/Sinfonia do Bem".». Revista Brasil-Europa 129/26 
  5. ALMEIDA PRADO, José Antônio Rezende de. Em: GOLDENBAUM, Jean. Symphony of the Good. Sergio Chnee (reg.), Camerata Cantareira & friends. Liga do Realizar (prod.). 2010.
  6. «Jean Goldenbaum - Press» 
  7. Augsburger Allgemeine Zeitung (8 de agosto de 2016). «Stück der Stunde : Jean Goldenbaum». Augsburger Allgemeine Zeitung 
  8. Revista Brasil-Europa (11 de Dezembro de 2010). «Jean Goldenbaum: Symphony of the Good». Brasil: Revista Brasil-Europa. Consultado em 24 de fevereiro de 2013 
  9. Jakob Mühle (19 de maio de 2016). «Jean Goldenbaum: Musik ist meine Mission». Jüdische Allgemeine 
  10. Stefanie Bilmayer-Frank (8 de fevereiro de 2015). «Der brasilianische Komponist Jean Goldenbaum - Ausschnitt von "Ein musikalischer Streifzug durch die größte Stadt Südamerikas"». Bayerischer Rundfunk Klassik 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]