Jeanine Áñez

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Jeanine Áñez
Jeanine Áñez em 2016.
66º. Presidente da Bolívia

(interina)

Período 12 de novembro de 2019 - a atualidade
Vice-presidente Vacante
Antecessor Evo Morales
Dados pessoais
Nome completo Jeanine Áñez Chávez
Nascimento 13 de agosto de 1967 (52 anos)
San Joaquin, Mamoré
Nacionalidade boliviana
Partido Movimento Democrático Social
Profissão advogada
política

Jeanine Áñez Chávez (pronúncia espanhola: [ɟʝaˈnine ˈaɲes] San Joaquin, 13 de agosto de 1967),[1][2][3] é uma política boliviana. E a atual presidente da Bolívia desde 12 de novembro de 2019.[4]


Biografia[editar | editar código-fonte]

Jeanine Áñez nasceu em 13 de agosto de 1967 na cidade boliviana de San Joaquin. Começou seus estudos escolares em 1972, saindo bachiller no ano 1984. Contínuo com seus estudos profissionais, titulando-se como advogada de profissão no ano 1991.[carece de fontes?]

Entre os anos 2006 e 2008 desempenhou-se como integrante da assembleia constituinte para a redação da nova carta constitucional. Foi membro na Assembleia Constituinte da comissão de organização e estrutura do novo estado, trabalhando também na parte do Poder Judicial. Atualmente desempenha o cargo de presidente interina do Estado Plurinacional da Bolívia, e anteriormente foi senadora na Assembleia Legislativa Plurinacional de Bolívia representando o Departamento do Beni[5][6]

Senadora da Bolívia (2010-2020)[editar | editar código-fonte]

Em 2010 foi eleita senadora de Bolívia pelo partido do Plano Progrido para Bolívia-Convergência Nacional (P.P.B - C.N) representando ao Departamento do Beni na Assembleia Nacional.[carece de fontes?]

Presidência da Bolívia[editar | editar código-fonte]

Em 10 de novembro de 2019, declarou que assumiria a presidência da Bolívia, após a renúncia do presidente Evo Morales e seu vice-presidente Álvaro García, e as subsequentes renúncias do presidente e do primeiro vice-presidente do senado daquele país. Para isso, precisa da maioria dos votos do Movimento para o Socialismo.[7] Em 12 de novembro do mesmo ano, assumiu após se declarar presidente interina do país, mesmo sem quórum no parlamento boliviano para ratificá-la no cargo.[8]

Referências

Precedido por
Evo Morales
Presidentes de Bolívia
2019
Sucedido por