Jenny Clack

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Jennifer Alice Clack, FRS, FLS (nascida Agnew; 3 de novembro de 1947 - 26 de março de 2020) foi uma paleontóloga e bióloga evolucionista inglesa. Ela se especializou na evolução inicial dos tetrápodes, estudando especificamente a transição do "peixe para o tetrápode": a origem, o desenvolvimento evolutivo e a radiação dos primeiros tetrápodes e seus parentes entre os peixes de nadadeiras lobadas. Ela é mais conhecida por seu livro Gaining Ground: the Origin and Early Evolution of Tetrapods, publicado em 2002 (segunda edição, 2012) e escrito com o leigo em mente.

Clack foi curadora do Museu de Zoologia e Professora de Paleontologia de Vertebrados na Universidade de Cambridge, onde dedicou sua carreira ao estudo do desenvolvimento inicial dos tetrápodes, os animais de "quatro patas" que dizem ter evoluído de peixes de nadadeiras lobadas no período Devoniano e colonizou os pântanos de água doce do período Carbonífero.

Vida e inicio de carreira[editar | editar código-fonte]

Clack nasceu em 3 de novembro de 1947, filha única de Ernest e Alice Agnew.[1] Ela foi criada em Manchester, Inglaterra.[2] Ela foi educada na Bolton School (Divisão de Meninas), uma escola independente em Bolton, Lancashire. Ela recebeu um B.Sc. em Zoologia pela University of Newcastle upon Tyne em 1970. Em 1978, ela aceitou um convite de Alec Panchen para obter o doutorado. da mesma universidade, por incentivo de seu então novo namorado Rob Clack. Eles se casaram em 1980. Seu doutorado foi concluído em 1984. Ela também possuia um Certificado de Pós-Graduação em Estudos de Museu da Universidade de Leicester e um Master of Arts da Universidade de Cambridge.[nota 1] Em 9 de dezembro de 2000, ela recebeu o grau de Doutora em Ciências (ScD) em Cambridge.[6]

Carreira Acadêmica[editar | editar código-fonte]

Em 1981, Clack ingressou no Museu Universitário de Zoologia da Universidade de Cambridge como Curadora Assistente.[1][2] Ela foi promovida a Curadora Assistente Sênior em 1995. Em 2006, ela foi premiada com uma cadeira pessoal pela Universidade de Cambridge e recebeu o título de Professora de Paleontologia de Vertebrados.[7] Ela se aposentou em 2015 e se tornou professora emérita de Paleontologia de Vertebrados no museu.[8] Em 1997, Clack foi eleita Membra Emérita do Darwin College, Cambridge;[9] desde 1º de outubro de 2015, ela é uma bolsista emérito.[10][11] De 2000 a 2005, ela foi leitora[nota 2] em Paleontologia de Vertebrados na Universidade de Cambridge.[1] Em 1 de outubro de 2006, Clack foi premiada com uma cadeira pessoal de Cambridge, levando o título de Professora de Paleontologia de Vertebrados.[1][13]

Clack é mais conhecida por seu extenso trabalho sobre os primeiros tetrápodes, muitos dos quais redefiniram como os paleontólogos concebiam a evolução dos membros e outras características associadas à transição dos tetrápodes de outros peixes com nadadeiras lobadas. Ela começou sua carreira trabalhando principalmente no ouvido dos primeiros tetrápodes[14] e depois expandiu para abordar de forma mais ampla a osteologia e a evolução dos tetrápodes. Junto com Michael Coates (Universidade de Chicago), Clack definiu o que é conhecido como "Romer's Gap",[15] uma grande lacuna no registro fóssil dos primeiros tetrápodes e que ela subsequentemente começou a preencher em colaboração com outros paleontólogos. Clack também empreendeu extensas expedições de trabalho de campo para procurar mais vestígios dos primeiros tetrápodes. Em 1987, durante uma expedição à Groenlândia Oriental, Clack e sua equipe descobriram os restos mortais dos tetrápodes Devonianos Acanthostega e Ichthyostega, seguindo as notas de campo de pesquisadores que coletaram material de Acanthostega em 1970.[16] Pesquisas adicionais em 1998 levaram à coleta de novo material substancial, incluindo o que agora é conhecido como Ymeria.[17] Mais recentemente, ela liderou um grande projeto de consórcio[18] investigando alguns excitantes novos fósseis de Northumberland e da região de Borders, na Escócia, que datam do estágio mais antigo do período Carbonífero, o Tournaisiano; este projeto produziu numerosas publicações promovendo a compreensão da evolução inicial dos tetrápodes.[19][20][21][22]

Morte[editar | editar código-fonte]

Clack morreu em 26 de março de 2020 aos 72 anos, após uma batalha de cinco anos contra o câncer endometrial.[23]

Honrarias[editar | editar código-fonte]

Em 2008, Clack recebeu a Medalha Daniel Giraud Elliot da Academia Nacional de Ciências dos Estados Unidos, a primeira mulher a receber a homenagem.[24]

Em 2009, Clack foi eleita Membra da Royal Society,[25] a primeira paleontóloga vertebrada a receber a homenagem.[26] Ela também foi eleita Membro Honorário Estrangeiro da Academia Americana de Artes e Ciências.[27]

Em 15 de junho de 2013, Clack recebeu o título honorário de Doutor em Ciências (DSc) pela Universidade de Chicago. A universidade a descreveu como "uma paleontóloga internacionalmente proeminente, cuja pesquisa mudou profundamente a compreensão da origem da vida dos vertebrados terrestres."[28] Também em 2013, ela foi premiada com a Medalha T Neville George da Sociedade Geológica de Glasgow.[29]

Em 17 de julho de 2014, ela recebeu um título honorário de Doutora em Ciências pela Universidade de Leicester.[30] Também em 2014, ela foi nomeada membra honorária estrangeira da Academia Real das Ciências da Suécia.[31]

Em 2018, ela ganhou o prêmio de maior prestígio da Associação Paleontológica, a Medalha Lapworth.[32]

Notas

  1. Nas universidades de Oxford, Cambridge e Dublin, os Bacharelados em Artes dessas universidades são promovidos ao grau de Mestre em Artes ou Mestre em Artes (MA) mediante solicitação, após seis ou sete anos de antiguidade como membros da universidade (incluindo anos como um graduando). Como tal, é uma classificação acadêmica e não uma qualificação de pós-graduação. Nenhum exame ou estudo adicional é necessário para esta promoção.[3][4][5]
  2. O título de leitor no Reino Unido e em algumas universidades da Commonwealth, por exemplo Índia, Austrália e Nova Zelândia, denota uma nomeação para um acadêmico sênior com uma reputação internacional distinta em pesquisa ou bolsa de estudos.[12]

Referências

  1. a b c d «CLACK, Prof. Jennifer Alice». Who's Who 2015. Oxford University Press. Novembro de 2014. Consultado em 3 de novembro de 2015 
  2. a b Clack, Rob (6 de outubro de 2009). «Jenny Clack – Biography». The Clacks. Consultado em 3 novembro de 2015 
  3. «The Oxford MA». Oriel College. Consultado em 13 de dezembro de 2015 
  4. «The Cambridge MA». University of Cambridge. Consultado em 13 de dezembro de 2015 
  5. «Regulations for the degree of Master in Arts (M.A.)». Trinity College Dublin. Consultado em 13 de dezembro de 2015 
  6. «Congregation of the Regent House on 9 December 2000» (5831). Cambridge University Reporter. 13 de dezembro de 2000. p. 27. Consultado em 3 de novembro de 2015 
  7. «Clack, Prof. Jennifer Alice, (born 3 Nov. 1947), Curator in Vertebrate Palaeontology, 2005–15, and Professor, 2006–15, now Professor Emeritus of Vertebrate Palaeontology, University Museum of Zoology, Cambridge; Fellow, Darwin College, Cambridge, 1997–2015, now Emeritus». Who Was Who. Oxford University Press. 1 de dezembro de 2020. doi:10.1093/ww/9780199540884.013.U249891 
  8. Ruta, Marcello; Ahlberg, Per E.; Smithson, Timothy R. (2018). «Fossils, function and phylogeny: Papers on early vertebrate evolution in honour of Professor Jennifer A. Clack – Introduction». Earth and Environmental Science Transactions of the Royal Society of Edinburgh (em inglês). 109 (1–2): 1–14. ISSN 1755-6910. doi:10.1017/S1755691019000057 
  9. «Darwin College» (5718). Cambridge University Reporter. 5 de novembro de 1997. p. 24. Consultado em 3 de novembro de 2015 
  10. «College Notices – Darwin College» (6396). Cambridge University Reporter. 23 de setembro de 2015. p. 12. Consultado em 3 de novembro de 2015 
  11. «Master & fellows». Darwin College, Cambridge. University of Cambridge. Consultado em 3 de novembro de 2015 
  12. «Principal Lecturer (HE) - Careers Advice». Jobs.ac.uk. Consultado em 8 de julho de 2019 
  13. «Report of the General Board on Senior Academic Promotions». Cambridge University Reporter (6036). 17 de maio 2006. p. 17 
  14. Clack, J. A. (1983). «The stapes of the Coal Measures embolomere Pholiderpeton scutigerum Huxley (Amphibia: Anthracosauria) and otic evolution in early tetrapods». Zoological Journal of the Linnean Society. 79 (2): 121–148. ISSN 0024-4082. doi:10.1111/j.1096-3642.1983.tb01163.x 
  15. Coates, Michael I.; Clack, Jennifer A. (1995). «Romer's gap: Tetrapod origins and terrestriality». Bulletin du Muséum national d'Histoire naturelle, Section C, Sciences de la Terre, Paléontologie, Géologie, Minéralogie. 4e série. 17: 373–388 
  16. «Professor Jennifer Clack (Doctor of Science)». Press Office. University of Leicester. 17 de julho de 2014. Consultado em 3 de novembro de 2015 
  17. CLACK, JENNIFER A.; AHLBERG, PER E.; BLOM, HENNING; FINNEY, SARAH M. (2012). «A new genus of Devonian tetrapod from North-East Greenland, with new information on the lower jaw of Ichthyostega». Palaeontology. 55 (1): 73–86. ISSN 0031-0239. doi:10.1111/j.1475-4983.2011.01117.x 
  18. «The TWeed project: Evolution's Missing Chapter». National Museums Scotland (em inglês). Consultado em 12 de julho de 2020 
  19. Clack, Jennifer A.; Bennett, Carys E.; Carpenter, David K.; Davies, Sarah J.; Fraser, Nicholas C.; Kearsey, Timothy I.; Marshall, John E. A.; Millward, David; Otoo, Benjamin K. A.; Reeves, Emma J.; Ross, Andrew J. (5 de dezembro de 2016). «Phylogenetic and environmental context of a Tournaisian tetrapod fauna» (PDF). Nature Ecology & Evolution. 1 (1): 2. ISSN 2397-334X. PMID 28812555. doi:10.1038/s41559-016-0002 
  20. Otoo, Benjamin K. A.; Clack, Jennifer A.; Smithson, Timothy R.; Bennett, Carys E.; Kearsey, Timothy I.; Coates, Michael I. (3 de outubro de 2018). «A fish and tetrapod fauna from Romer's Gap preserved in Scottish Tournaisian floodplain deposits». Palaeontology. 62 (2): 225–253. ISSN 0031-0239. doi:10.1111/pala.12395 
  21. Smithson, Timothy R.; Clack, Jennifer A. (2017). «A new tetrapod from Romer's Gap reveals an early adaptation for walking». Earth and Environmental Science Transactions of the Royal Society of Edinburgh. 108 (1): 89–97. ISSN 1755-6910. doi:10.1017/s1755691018000075 
  22. Clack, Jennifer A.; Bennett, Carys E.; Davies, Sarah J.; Scott, Andrew C.; Sherwin, Janet E.; Smithson, Timothy R. (3 de janeiro de 2019). «A Tournaisian (earliest Carboniferous) conglomerate-preserved non-marine faunal assemblage and its environmental and sedimentological context». PeerJ (em inglês). 6: e5972. ISSN 2167-8359. PMC 6321757Acessível livremente. PMID 30627480. doi:10.7717/peerj.5972 
  23. Aucott, Rachel (26 de março de 2020). «Professor Jenny Clack, FRS, 1947-2020». www.zoo.cam.ac.uk (em inglês). Department of Zoology, University of Cambridge. Consultado em 27 de março de 2020 
  24. «Daniel Giraud Elliot Medal». National Academy of Sciences. Consultado em 15 de fevereiro 2011. Arquivado do original em 29 de dezembro de 2010 
  25. Ahlberg, P. E.; Smithson, T. R. (2021). «Jennifer A. Clack. 3 November 1947—26 March 2020». Biographical Memoirs of Fellows of the Royal Society. 71. doi:10.1098/rsbm.2021.0008 
  26. «Jennifer Clack». Fellows Directory. The Royal Society. Consultado em 3 de novembro 2015 
  27. «Featured Scientists | Your Inner Fish | PBS». www.pbs.org. Consultado em 30 de março de 2020 
  28. Koppes, Steve; Allen, Susie (15 de maio de 2013). «University to bestow five honorary degrees at 515th Convocation». U Chicago News. The University of Chicago. Consultado em 3 de novembro 2015 
  29. «Two awards». University of Cambridge - Department of Zoology. 4 de julho de 2013. Consultado em 30 de março de 2020 
  30. «Figures from public life to be honoured by University of Leicester». University of Leicester. 10 de julho de 2014. Consultado em 3 de novembro 2015 
  31. «Six new members elected to the Academy» 
  32. «Professor Jenny Clack awarded the Palaeontological Association's Lapworth Medal». University of Cambridge - Department of Zoology. 18 de dezembro 2015. Consultado em 28 de março de 2020