Jerry Linenger

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Jerry Linenger

Astronauta da NASA
Nacionalidade Estados Unidos norte-americano
Nascimento 16 de Janeiro de 1955 (59 anos)
Eastpointe, EUA
Ocupação
atual
médico
Tempo no espaço 143d 02h 50m
Missões STS-64, STS-81, Mir, STS-84
Insígnia
da missão
Sts-64-patch.png Sts-81-patch.png Mir insignia.svg Sts-84-patch.png

Jerry Michael Linenger (Eastpointe, 16 de janeiro de 1955) é um médico e ex-astronauta norte-americano.

Formado em medicina, biociência, epidemiologia e filosofia, graduou-se na Academia Naval dos Estados Unidos, fez residência médica num hospital naval de San Diego, na Califórnia e curso de medicina aeroespacial em Pensacola, na Flórida. Serviu depois como cirurgião naval de vôo nas Filipinas e foi designado conselheiro médico no comando da frota norte-americana no Pacífico, novamente em San Diego.

NASA[editar | editar código-fonte]

Em 1992, fez parte da turma de astronautas selecionada pela NASA no Centro Espacial Johnson, em Houston, no Texas. Sua primeira missão espacial foi em setembro de 1994 na STS-64 Discovery, missão de dez dias com propósitos científicos que incluiu pela primeira vez o uso do laser nas pesquisas do ambiente sem gravidade.

Após esta missão, Linenger foi para a Cidade das Estrelas, na Rússia, realizar treinamentos preparatórios para uma missão de longa duração no espaço, a bordo da estação orbital Mir, parte do programa Mir-ônibus espacial, levado a cabo conjuntamente pelas agências espaciais dos dois países. O curso todo feito em russo e consistiu no aprendizado de todos os sistemas operacionais da estação Mir, treino em simulador, operações de lançamento e reentrada na nave espacial Soyuz e ‘caminhadas espaciais’ em tanques de água usando o traje espacial russo Orlan.

Ele também treinou como cientista-chefe para conduzir todo o programa científico americano a bordo, que consistia de mais de cem experiências em várias disciplinas, entre elas medicina geral, monitoramento do sono, dosagem de radiação, mudanças no desempenho individual durante longos vôos espaciais, epidemiologia, ciência espacial, fotografias da Terra, geologia, oceanografia e comportamento de fluidos na microgravidade, entre outros.

Mir[editar | editar código-fonte]

Linenger foi lançado para sua segunda e mais longa missão espacial em 12 de janeiro de 1997, na nave Atlantis STS-81, que acoplou em órbita com a Mir e onde ele permaneceu com dois cosmonautas russos também integrantes da expedição por 132 dias, então a mais longa permanência no espaço de um astronauta norte-americano do sexo masculino até então. (Shannon Lucid havia ficado 188 dias em missão anterior.)

Linenger usando uma máscara de respiração após o incêndio a bordo da Mir.

Durante sua estadia, Linenger e seu colega russo testaram pela primeira o traje espacial Orlan, de fabricação russa, em atividades extra-veiculares de cinco horas de duração, além de instalarem e recolherem experimentos científicos colocados em painéis na estrutura externa da estação. Os três membros da tripulação também fizeram um vôo em volta da Mir usando a nave Soyuz de resgate de emergência, acoplada permanente num dos pontos de atracação, o que o transformou no primeiro astronauta a desatracar de uma estação espacial em duas naves diferentes, a Soyuz e o ônibus espacial.

Durante a missão, Linenger e os tripulantes russos encontraram diversas dificuldades a bordo, a pior delas um incêndio que teve início num aparelho gerador de oxigênio, vazamento de dióxido de carbono, problemas nas antenas de comunicação, perda de força na estação - o que causou uma perda de altitude na órbita da Mir - e uma quase colisão com um nave-cargueiro não-tripulada Progress. Porém, apesar dos desafios e mau funcionamento, a tripulação completou todos os objetivos. Seu comportamento durante as situações de emergência ocorridas na missão, entretanto, geraram diversas polêmicas e levou o escritor Brian Burroughs a escrever o livro Dragonfly: NASA and the Crisis Aboard Mir, em que critica determinadas atitudes dele face às situações de perigo.

Ao completar sua estadia de quase cinco meses, Linenger havia viajado cerca de 50 milhões de milhas no espaço (75 milhões de km, 110 viagens de ida e volta à Lua) e realizado mais de 2 mil órbitas em volta da Terra.

Ele retirou-se da NASA em janeiro de 1998 e vive hoje com a família no seu estado natal de Michigan.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Off The Planet: Surviving Five Perilous Months Aboard The Space Station MIR - de Jerry M. Linenger - 1999 - ISBN 0-07-136112-X
  • Letters from MIR: An Astronaut's Letters to His Son – de Jerry M. Linenger - 2002 - ISBN 0-07-140009-5

Ligações externas[editar | editar código-fonte]