Jisaburo Ozawa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde fevereiro de 2013). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Jisaburo Ozawa
Nascimento 2 de outubro de 1886
Miyazaki, Japão
Morte 9 de novembro de 1966 (80 anos)
Serviço militar
Lealdade Flag of Japan (1870–1999).svg Império do Japão
Serviço Naval ensign of the Empire of Japan.svg Marinha Imperial Japonesa
Tempo de serviço 1909–1945
Patente Vice-almirante
Batalhas/Guerras Segunda Guerra Mundial

Jisaburo Ozawa ( 2 de outubro de 18869 de novembro de 1966 ) foi um almirante japonês e último comandante-em-chefe da Frota Combinada imperial durante a Segunda Guerra Mundial.

Ozawa formou-se na Academia Naval Imperial em 1909 e em 1936 alcançou a patente de contra–almirante. No ano seguinte foi nomeado chefe de estado maior da frota combinada e em 1940 promovido a vice-almirante e comandante da Academia Naval.

Foi um dos grandes entusiastas do uso da aviação na marinha japonesa e reputado como um dos melhores comandantes navais do Japão, sempre preocupado com o tratamento dado a seus homens. Quis o destino que ele entrasse para a história como um almirante derrotado em batalhas sucessivas e primordiais durante a Guerra do Pacífico, lutando contra forças navais Aliadas com equipamento superior em qualidade e quantidade e em constante expansão.

Após o ataque japonês a Pearl Harbor, em 7 de dezembro de 1941, que levou a II Guerra Mundial para o Oceano Pacífico, o Almirante Ozawa foi designado para comandar as operações navais japonesas no Mar do Sul da China, participando das invasões de Java e de Sumatra no começo de 1942.

Dois anos depois ele comandou a frota japonesa derrotada na Batalha do Mar das Filipinas pela 5ª Força Tarefa americana, perdendo mais de 500 aviões na batalha e sendo obrigado a se retirar para Okinawa, onde apresentou sua renúncia ao cargo – que não foi aceita.

Em outubro de 1944, exerceu o papel pelo qual ficaria mais conhecido nos anais da II Guerra, comandando a frota praticamente desarmada que se lançou em sacrifício contra a poderosa esquadra americana na Batalha do Golfo de Leyte de maneira a chamar para si a atenção dos aviões dos porta-aviões inimigos, para que os poderosos navios de superfície do almirante Takeo Kurita, com o caminho livre de ataques aéreos, pudessem atacar, bombardear e destruir os navios de apoio aos desembarques terrestres aliados na praias de Leyte, nas Filipinas e impedir a invasão da ilha.

Sem esperanças, Ozawa cumpriu seu papel no fracassado plano com profissionalismo e inteligência até o fim, mesmo que o restante da frota sob seu comando voltasse para o Japão reduzida apenas a alguns barcos e encerrasse sua carreira ativa como força de combate como um simulacro de armada, sem combustível, sem aviões, sem pilotos e quase sem navios.

Ozawa sobreviveu à guerra e morreu aos 80 anos no Japão, em 9 de novembro de 1966.