João 16

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Este artigo é sobre o capítulo da Bíblia. Para o papa de mesmo nome, veja João XVI.
Martírio de Santo André. Em João 16, Jesus prepara seus discípulos para as perseguições que virão.
Século XVII. Por Guillaume Courtois (coleção particular).

João 16 é o décimo-sexto capítulo do Evangelho de João no Novo Testamento da Bíblia. Este capítulo é uma continuação do Discurso de adeus, iniciado em João 14 e, segundo alguns autores, é uma continuação do discurso iniciado na segunda seção do capítulo anterior (João 15:18-27).[1] Retomando o tema do capítulo 14 (primeiro discurso), Jesus novamente fala de sua partida, da vinda do Paráclito (o Espírito Santo) e prepara seus discípulos para as perseguições que virão. João também contrasta o amor de Jesus com o ódio do mundo.

Logo no início deste capítulo está um trecho famoso, «Agora, porém, vou para aquele que me enviou, e nenhum de vós me pergunta: Para onde vais?» (16 5:), que teria dado origem à expressão Quo vadis? ("Para onde vais?").

O ódio do mundo[editar | editar código-fonte]

Da segunda seção do capítulo 15 até o final deste capítulo, Jesus prepara seus discípulos para o conflito e ódio do mundo, lembrando-os de que ele também teve que enfrentar adversidades[2]: «Se o mundo vos aborrece [odeia], sabei que primeiro do que a vós me tem aborrecido [odiado] a mim.» (João 15:18)

Em seguida, Jesus afirma que eles serão perseguidos assim como ele foi (João 15:20),[2] novamente traçando um paralelo entre ele próprio e seus discípulos.[1] Na Primeira Epístola de João (I João 3:13), a comunidade é novamente lembrada disto: "Não vos maravilheis, irmãos, se o mundo vos aborrece [odeia]". Mais adiante, Jesus novamente se utiliza de paralelos, desta vez com o Deus Pai: «Aquele que me aborrece [odeia], aborrece [odeia] também a meu Pai.» (João 15:23)

Apesar disto, Jesus conforta seus discípulos assegurando-os de que enviará o "Espírito da Verdade" para confortá-los[2]:

«Quando, porém, vier o Paráclito, que eu vos enviarei da parte do Pai, o Espírito da verdade, que procede do Pai, esse dará testemunho de mim; e vós também dareis testemunho, porque estais comigo desde o princípio.» (João 15:26-27)

Já no capítulo 16, Jesus acrescenta que se ele não partir, o Espírito Santo não virá («Convém-vos que eu vá. Pois se eu não for, não virá a vós o Paráclito; mas se eu for, enviar-vo-lo-ei.» (João 16:7)) e indica que a continuação de sua obra no mundo será realizada a partir daí por ele.[3] Ele assegura novamente os discípulos do amor do Pai por eles, mais uma vez traçando paralelos[1]:

«Pois o Pai mesmo vos ama, visto que vós me tendes amado e acreditado que eu saí de Deus» (João 16:27)
«Eu vos tenho falado estas coisas, para que tenhais paz em mim. No mundo tereis tribulações; mas tende bom ânimo, eu tenho vencido o mundo.» (João 16:33)

Manuscritos[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]


Precedido por:
João 15
Capítulos da Bíblia
Evangelho de João
Sucedido por:
João 17

Referências

  1. a b c Reading John: A Literary and Theological Commentary on the Fourth Gospel by Charles H. Talbert 1999 ISBN 1573122785 page 219-229
  2. a b c John by Gail R. O'Day, Susan Hylen 2006 ISBN 978-0-664-25260-1, Chapter 15: The Farewell Discourse, pages 142-168
  3. John by Andreas J. Kostenberger 2004 ISBN 080102644X page 470

Ligações externas[editar | editar código-fonte]