João Acaiabe

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
João Acaibe
Nome completo João Batista Acaibe
Nascimento 14 de maio de 1944 (74 anos)
Espírito Santo do Pinhal,  São Paulo
Nacionalidade Brasil brasileiro
Ocupação Ator, locutor, contador de histórias, radialista e professor de interpretação
Atividade 1974 – presente
Cônjuge Ana Maria Pascuini Bertuchi
IMDb: (inglês)

João Batista Acaiabe (Espírito Santo do Pinhal, 14 de maio de 1944) é um ator, locutor, contador de histórias, radialista e professor de interpretação brasileiro. Famoso por suas participações no Sítio do Picapau Amarelo entre 2001 a 2006 como Tio Barnabé, o Seu Pimpinonni na nova versão da telenovela Uma Rosa com Amor e por ter interpretado o cozinheiro Chico no remake de Chiquititas entre 2013 a 2015.

Outro programa que o deixou muito conhecido foi o infantil Bambalalão da TV Cultura, onde contava histórias para as crianças da platéia.

No cinema já atuou em mais de duas dezenas de filmes, porém o que lhe deu mais notoriedade foi o curta-metragem O Dia em que Dorival Encarou a Guarda dirigido por Jorge Furtado e José Pedro Goulart que lhe rendeu o prêmio de melhor ator e o kikito no Festival de Gramado em 1986.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nascido e crescido em Espírito Santo do Pinhal, no interior de São Paulo, iniciou sua carreira artística ainda na adolescência trabalhando como locutor de rádio. Estudou teatro na Escola de Arte Dramática de São Paulo (EAD) e foi um dos poucos ex-alunos de lá, sendo também na época o único aluno negro da classe. Já fez inúmeros trabalhos na TV, um dos mais marcantes foi no programa Bambalalão na TV Cultura durante os anos 80, onde contava histórias para o público infantil. Recentemente interpretou o Tio Barnabé na série Sítio do Picapau Amarelo na TV Globo, personagem que lhe deu notoriedade.

Foi o Antonio Abujamra quem me convenceu a me tornar um contador de histórias, como a tradição dos griots africanos, e me contratou para participar do Bambalalão, na TV Cultura, na década de 80

Ao longo de sua carreira realizou diversos trabalhos sócio-culturais, como, por exemplo, aulas de teatro para adolescentes em FEBEM e participação em movimentos de igualdade racial.

No teatro trabalhou com Plínio Marcos em várias peças, entre elas Barrela e Jesus homem — esta, uma obra polêmica por apresentar um Jesus Cristo negro, contestador e nada cordato, interpretado pelo próprio Acaiabe.

É professor de teatro do Colégio Santo Américo em São Paulo.

Entre 2013 e 2015 esteve presente em Chiquititas como o cozinheiro Chico.

Em 2018 após 11 anos fora da Rede Globo volta a emissora para atuar como Pai Didico em Segundo Sol, próxima novela de João Emanuel Carneiro para as 21 horas.

Em 2016 foi artista do ano homenageado no I Prêmio AATA de Teatro Amador.

Foi casado com Lenice Damazio Acaiabe, com quem dois filhos: Carlos Augusto e Thays.

Atualmente Acaiabe é casado com Ana Maria Pascuini Bertuchi, tendo três enteados: Erika, Ricardo e Wilson.

É também tio do ator Eduardo Acaiabe.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Televisão[editar | editar código-fonte]

Ano Título Personagem
1975 A Viagem Damião
1977 O Profeta Pai Romão
Cinderela 77 Tião (Destino)
1979 Gaivotas Inácio
1978 Salário Mínimo Padre Lírio
Bambalalão Contador de Histórias (1978-1983)
1981 O Fiel e a Pedra João Amadeu
1982 O Pátio das Donzelas

Miguel

O Tronco do Ipê Benedito
1983 Maçã do Amor Osmar
1985 Tenda dos Milagres Benedito
1987 Praça Brasil Jornaleiro
1991 Meu Marido Sebastian
1995 Telecurso 2000 Diversos personagens
1996 Irmã Catarina Delegado Osvaldo Moreira
1998 Alma de Pedra Benjamin
Dona Flor e Seus Dois Maridos Sampaio
1999 Vila Madalena Delegado
20012006 Sítio do Picapau Amarelo Tio Barnabé
2007 Eterna Magia Afonso
2009 Prenda Minha Amâncio de Souza
2010 Uma Rosa com Amor Pimpinoni
2012 Os Velhinhos se Divertem Diversos personagens
20132015 Chiquititas Francisco Santos de Oliveira (Chico)
2016 Unidade Básica[1] Pastor Aberaldo
2018 Segundo Sol Pai Didico (Alaor do Nascimento)[1]

Cinema[editar | editar código-fonte]

Ano Título Personagem
2017 Diamante, o Bailarina Cezão
2014 O Dia de Jerusa Sebastião
2011 Família Vende Tudo Chiclete
2010 Bom Dia, Eternidade Clementino
Bróder Seu Antônio
2005 Casa de Areia Pai de Massu
2002 A Selva Tiago
2000 Cronicamente Inviável Líder da União
Mário
1998 Boleiros - Era uma vez o futebol Ari
1996 Irmã Catarina Delegado
1992 El Viaje Driver
1990 Beijo 2348/72
1986 O Dia em que Dorival Encarou a Guarda Dorival Guerreiro
1985 Chico Rei Hermes
1983 A Próxima Vítima Irmão de Nêgo
1981 Eles Não Usam Black-Tie Companheiro
1977 Ouro Sangrento Embaixador Arnold
Elas São do Baralho Investigador

Prêmio e Homenagens[editar | editar código-fonte]

Teatro[editar | editar código-fonte]

2016 - Homenageado como Artista do Ano (I Prêmio AATA de Teatro Amador).

Cinema[editar | editar código-fonte]

1986 - Prêmio de Melhor Ator e ganhou o Kikito, no Festival de Gramado pelo curta-metragem O Dia em que Dorival Encarou o Guarda.

Referências

  1. Redação (26 de abril de 2018). «'Segundo Sol': coletiva reúne elenco, direção e João Emanuel Carneiro». Gshow. Consultado em 26 de abril de 2018. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um ator é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.