João Câmara

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja João Câmara (desambiguação).
Município de João Câmara
"Terra dos abalos"
"Capital do mato grande"
Bandeira desconhecida
Brasão desconhecido
Bandeira desconhecida Brasão desconhecido
Hino
Aniversário 29 de outubro
Fundação 1928
Gentílico joaocamarense ou camarense
Prefeito(a) Ariosvaldo Targino de Araújo (Vavá) (DEM)
(2013–2016)
Localização
Localização de João Câmara
Localização de João Câmara no Rio Grande do Norte
João Câmara está localizado em: Brasil
João Câmara
Localização de João Câmara no Brasil
05° 32' 16" S 35° 49' 12" O05° 32' 16" S 35° 49' 12" O
Unidade federativa  Rio Grande do Norte
Mesorregião Agreste Potiguar IBGE/2008 [1]
Microrregião Baixa Verde IBGE/2008 [1]
Municípios limítrofes Norte: Parazinho;
Sul: Bento Fernandes;
Leste: Touros, Pureza e Poço Branco;
Oeste: Jandaíra, Pedra Preta e Jardim de Angicos.
Distância até a capital 74 km[2]
Características geográficas
Área 714,951 km² [3]
População 34,585 hab. (RN: 14º) –  IBGE/2015[4]
Densidade 0,05 hab./km²
Altitude 160 m
Clima quente JC
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,595 baixo PNUD/2010[5]
PIB R$ 3.927,14 IBGE/2008[6]
PIB per capita R$ 3 927,14 IBGE/2008[6]
Página oficial

João Câmara é um município brasileiro no interior do estado do Rio Grande do Norte fica a 74 km de distância da capital Natal, fundado em 1928, localizado na microrregião da Baixa Verde e conhecida como Terra dos Abalos e Baixa Verde. De acordo com o censo realizado pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) no ano 2015, sua população é de 34.585 habitantes, E uma densidade demográfica (hab/km²) 45,08. Área territorial de 714, 961 km².

Histórico[editar | editar código-fonte]

O TRABALHO de construção da Estrada de Ferro Central do Rio Grande do Norte - EFCRN fez permanecer em Matas, primeira denominação do Município, uma turma de "cassacos" que, juntamente com a "parada", inaugurada em 1910, consagrou a estabilidade da povoação iniciada.  Matas, que em 1928 passou a chamar-se Baixa Verde, em 1953 teve seu topônimo novamente mudado para João Câmara, justa homenagem a João Severiano da Câmara, primeiro prefeito de Baixa Verde, onde estabeleceu seu domínio econômico. Contribuiu para a valorização do Município, desenvolvendo a indústria, abrindo estradas, ampliando áreas produtivas e prestando assistência social.  Formação Administrativa Distrito criado com a denominação de Baixa Verde, pela lei municipal nº 2, de 22-12-1892, subordinado ao município de Taipú. Em divisão administrativa referente ao ano de 1911, o distrito de Baixa Verde, figura município de Taipú. Elevado à categoria de município com a denominação de Baixa Verde, pela lei estadual nº 697, de 29-10-1928, desmembrado dos municípios de Taipú, Touros e Lages. Sede no antigo distrito de Baixa Verde. Constituído do distrito sede. Instalado em 01-01-1929. Em divisão administrativa referente ao ano de 1933, o distrito de Baixa Verde, é constituído do distrito sede. Assim permanecendo em divisões territoriais datadas de 31-XII-1936 e 31-XII-1937. Pelo decreto-lei estadual nº 603, de 31-10-1938, é criado o distrito de São Bento do Norte e anexado ao município de Baixa Verde. No quadro fixado para vigorar no período de 1939-1943, o município é constituído de 2 distritos: Baixa Verde e São Bento do Norte. Assim permanecendo em divisão territorial datada de 1-VII-1950. Pela lei estadual nº 899, de 19-11-1953, o município de Baixa Verde passou a denominar-se João Câmara. Pela lei estadual nº 923, de 25-11-1953, desmembra do município de João Câmara o distrito de São Bento do norte. Elevado à categoria de município. Em divisão territorial datada de 1-VII-1960, o município já denominado João Câmara e constituído do distrito sede. Assim permanecendo em divisão territorial datada de 2007.  Alteração toponímica municipal  Baixa Verde para João Câmara alterado, pela lei estadual nº 899, de 19-11-1953.

Atividades sísmicas e terremotos[editar | editar código-fonte]

A grande quantidade de tremores de terra que atingiu João Câmara em 1986 foi a mais estudada atividade sísmica já observada no Brasil. O primeiro abalo foi registrado em Brasília, no dia 21 de agosto, alcançando magnitude 4.3. Nos dias 3 e 5 de setembro, foram dois tremores. Um de 4.3 e outro de 4.4 graus na escala Richter, usada internacionalmente para medir tremores e terremotos. Esses abalos provocaram danos materiais e assustaram ainda mais a população.

No dia 30 de novembro, no raiar do dia (pontualmente às 5h19min48s), o maior tremor, de 5.1 graus foi registrado, seguido de várias réplicas, inclusive com magnitude 4.0. Tanto na zona urbana quanto na rural, grande parte da população abandonou o município. Os tremores destruíram ou danificaram 4 mil casas, 500 delas foram reconstruídas adotando normas anti-sísmicas, desenvolvidas pelo Batalhão de Engenharia do Exército Brasileiro. O Presidente da República e vários outros ministros visitaram a área atingida. A imprensa nacional também acompanhou os fatos, inclusive montando acampamentos na cidade.

No dia 20 de setembro de 2015, o Laboratório Sismológico da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (LabSis/UFRN) registrou um tremor de terra na manhã na região da Baixa Verde, ao Norte do estado, com magnitude de 3.6 graus. O epicentro foi no limite dos municípios de João Câmara, Pureza e Poço Branco. O tremor foi sentido nas três cidades e também em outras próximas.[7] .

 Síntese das informações[editar | editar código-fonte]

Estabelecimentos de Saúde SUS 21 estabelecimentos
Matrícula - Ensino fundamental - 2012 6.463 matrículas
Matrícula - Ensino médio - 2012 2.113 matrículas
Número de unidades locais 491 unidades
Pessoal ocupado total 2.791 pessoas
PIB per capita a preços correntes - 2012 7.259,82 reais
População residente 32.227 pessoas
População residente - Homens 16.042 pessoas
População residente - Mulheres 16.185 pessoas
População residente alfabetizada 21.091 pessoas
População residente que frequentava creche ou escola 11.418 pessoas
População residente, religião católica apostólica romana 26.867 pessoas
População residente, religião espírita 38 pessoas
População residente, religião evangélicas 3.054 pessoas
Valor do rendimento nominal mediano mensal per capita dos domicílios particulares permanentes - Rural 155,50 reais
Valor do rendimento nominal mediano mensal per capita dos domicílios particulares permanentes - Urbana 273,75 reais
Valor do rendimento nominal médio mensal dos domicílios particulares permanentes com rendimento domiciliar, por situação do domicílio - Rural 778,32 reais
Valor do rendimento nominal médio mensal dos domicílios particulares permanentes com rendimento domiciliar, por situação do domicílio - Urbana 1.492,83 reais

Principais bairros[editar | editar código-fonte]

Zona urbana[editar | editar código-fonte]

  • Centro
  • Bela Vista
  • Barroso
  • São Francisco
  • Cohab
  • IPE
  • Ceac
  • Vila Nova
  • Gafuringa
  • Planalto
  • Rua do Cemitério
  • Açudinho

Zona rural[editar | editar código-fonte]

  • Queimadas
  • Assunção
  • São Geraldo
  • Matão Aristides
  • Morada Nova
  • Boa Vista
  • Corte

Turismo e parque eólico[editar | editar código-fonte]

João Câmara é apontada como uma das cidades com maior potencial turístico do Rio Grande do Norte, porém a falta de investimento fez com que a belíssima Serra do Torreão caísse na invisibilidade. O Torreão que ganhou esse nome por sua estrutura pontiaguda e alta, possui aproximadamente mais de 160 metros com fauna e flora estipulada em mais de 600 tipos de espécies (algumas já estudadas por cientistas internacionais), a serra está localizada nas proximidades da comunidade do corte. Em algumas épocas do ano a sensação térmica na sua escalada chega a 14 ºC.

A cidade ainda possui vários parques eólicos localizado em Queimadas, a parti de que estudos apontaram o potencial dos ventos na região para gerar energias renováveis. O Resultado da obra trouxe ao município um número extenso de imigrantes vindo de várias regiões do País e de outros Países, além da geração de empregos, impactos sociais e uma admirável paisagem.

Referências

  1. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008. 
  2. FEMURN. «Distâncias dos Municípios do Rio Grande do Norte a Natal-RN». Consultado em 13 de agosto de 2011. 
  3. IBGE (10 out. 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 dez. 2010. 
  4. «ESTIMATIVAS DA POPULAÇÃO RESIDENTE NOS MUNICÍPIOS BRASILEIROS COM DATA DE REFERÊNCIA EM 1º DE JULHO DE 2012» (PDF). Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 30 de agosto de 2011. Consultado em 31 de agosto de 2012. 
  5. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2010. Consultado em 04 de setembro de 2013. 
  6. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 dez. 2010. 
  7. «Terra treme em cidades do RN; pessoas relatam momentos de medo». Consultado em 2015-09-21. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado do Rio Grande do Norte é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.