João Carlos Taveira

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde abril de 2015). Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde abril de 2015).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
Ambox question.svg
Esta página ou seção carece de contexto (desde agosto de 2013).

Este artigo (ou seção) não possui um contexto definido, ou seja, não explica de forma clara e direta o tema que aborda. Se souber algo sobre o assunto edite a página/seção e explique de forma mais clara e objetiva o tema abordado.

Ambox grammar.svg
Esta página ou secção precisa de correção ortográfico-gramatical.
Pode conter incorreções textuais, e ainda pode necessitar de melhoria em termos de vocabulário ou coesão, para atingir um nível de qualidade superior conforme o livro de estilo da Wikipédia. Se tem conhecimentos linguísticos, sinta-se à vontade para ajudar.
João Carlos Taveira
Nascimento 17 de setembro de 1947
Minas Gerais
Residência Brasília/DF
Nacionalidade Brasil brasileiro
Ocupação escritor

Biografia[editar | editar código-fonte]

João Carlos Taveira nasceu em Caratinga, Minas Gerais, em 17 de setembro de 1947. Ali cursou o primário, o ginasial e o científico. Em 1969 mudou-se para Brasília, onde trabalhou na Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT) e na Viação Aérea São Paulo (VASP). De 1987 a 1989 foi diretor da Divisão de Desporto, Lazer e Turismo, na Administração do Núcleo Bandeirante, no Governo José Aparecido de Oliveira. De 1999 a 2002 trabalhou com o Engenheiro e Físico Paulo Gontijo, na organização de obras literárias e na construção do Templo da Ciência — situado no município de Ipameri em Goiás. Com formação em Letras Neolatinas, trabalha como revisor e coordenador editorial. Durante 10 anos, foi editor da revista Literatura, de Nilto Maciel, e editou também a revista DF-Letras, da Câmara Legislativa do Distrito Federal, por cinco anos. Pertence à Academia Brasiliense de Letras, à Academia de Letras do Brasil, à Associação Nacional de Escritores e ao Instituto Histórico e Geográfico do Distrito Federal, de que foi vice-presidente. Em 1994 recebeu do Governo do Distrito Federal a Comenda da Ordem do Mérito Cultural de Brasília, por relevantes serviços prestados à comunidade artística e cultural. De 2006 a 2010 foi Conselheiro de Literatura no FAC (Fundo de Apoio à Cultura) da Secretaria de Estado de Cultura do Distrito Federal.

Atividades culturais[editar | editar código-fonte]

Em 2 de outubro de 2012, João Carlos Taveira foi homenageado pelo grupo POEMAÇÃO na Biblioteca Nacional de Brasília, coordenado pelos escritores Jorge Amâncio e Marcos Freitas, com apresentação ilustrada e minuciosa de sua vida e de sua obra. O Sarau Videoliteromusical Poemação, na sua 29.ª edição, teve a participação do poeta, que, após declamar alguns poemas de sua autoria e agradecer a presença de todos no auditório, considerou a homenagem, entre as que tem recebido, uma consagração de sua trajetória literária.

No dia 14 de março de 2013, o grupo POEMAÇÃO, em comemoração ao Dia Nacional da Poesia, promoveu o Sarau do Beijo no Memorial Darcy Ribeiro — Campus da Universidade de Brasília. O evento foi marcado pela homenagem ao escritor João Carlos Taveira e teve a participação de Amneris, Anand Rao, Nicolas Behr, Vicente Sá e vários outros poetas, atores, cantores e artistas da cidade. Foi uma noite memorável, em que a poesia brilhou soberana sob as bênçãos de Castro Alves, o grande aniversariante do dia.

Obra poética[editar | editar código-fonte]

Obras diversas[editar | editar código-fonte]

  • A Arquitetura Verbal de Nilto Maciel, organizador, 2012, Fortaleza: IMPRECE Editorial;
  • Sonetos de Bolso — Antologia Poética, organizador, com Jarbas Junior, 2013, Brasília: Thesaurus Editora;
  • Alan Viggiano — Poeta Bissexto, organizador, 2014, Brasília: A sair.

Antologias, dicionários e enciclopédias[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  • Dicionário de Poetas Contemporâneos, org. de Francisco Igreja, 1991;
  • Linguagem e Redação do 2.º Grau, de Idelbrando David de Souza, 1992;
  • Enciclopédia de Literatura Brasileira, org. de Afrânio Coutinho e J. Galante de Sousa; Rio de Janeiro: Ministério da Educação, Fundação de Assistência ao Estudante, 2001;
  • Sob o Signo da Poesia — Literatura em Brasília, de Anderson Braga Horta, 2003;
  • Meninos, Eu Li! Dicionário das Gentes, de Alan Viggiano, André Quicé Editor, 2006;
  • Dicionário de Escritores de Brasília, 3.ª edição, org. de Napoleão Valadares, 2012;
  • A Fortuna Poética de João Carlos Taveira — Lições de Poesia, de Alan Viggiano, Editora Ideal Ltda., Brasília, 2012;
  • Sôbolas Manhãs, de Nilto Maciel, Editora Bestiário, Porto Alegre, 2014;
  • História da Literatura Brasileira, de Carlos Nejar, 3.ª edição, Editora Unisul, Rio de Janeiro, 2014
  • New Brazilian Poems – A Bilingual Anthology after Elizabeth Bishop, de Abhay K. Kumar, 1.ª edição, Ibis Libris Editora, Rio de Janeiro, 2019.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

  • Antonio Miranda[1]
  • Caratinga [2]
  • Entrevista [3]
  • Nova Entrevista [4]
  • Thesaurus Editora[5]
  • Nós Fora dos Eixos (revista virtual)[6]
  • [7]