João Casimiro, Duque de Saxe-Coburgo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
João Casimiro
Duque de Saxed-Coburgo
Duque de Saxe-Coburgo
Reinado 1572–1596
Antecessor(a) João Frederico I, Eleitor da Saxônia
Sucessor(a) João Ernesto, Duque de Saxe-Eisenach
 
Esposas Ana da Saxónia
Margarida de Brunswick-Lüneburg
Casa Wettin
Nascimento 12 de junho de 1564
  Gota, Eleitorado da Saxónia, Sacro Império Romano-Germânico
Morte 16 de julho de 1633 (69 anos)
  Coburgo, Ducado de Saxe-Coburgo, Sacro Império Romano-Germânico
Pai João Frederico II, Duque da Saxónia
Mãe Isabel do Palatinado-Simmern

João Casimiro (em alemão: Johann Kasimir) de Saxe-Coburgo (Gota, 12 de Junho de 1564Coburgo, 16 de Julho de 1633) foi um duque de Saxe-Coburgo. Era descendente do ramo Ernestino da Casa de Wettin. Durante o seu reinado, a cidade de Coburgo prosperou com a construção de muitos edifícios renascentistas que ainda existem nos dias de hoje.

Juventude[editar | editar código-fonte]

Estátua de João Casimiro no Casimirianum

João Casimiro nasceu no Castelo de Grimmenstein, em Gota a 12 de Junho de 1564, sendo o filho do meio de João Frederico II, Duque da Saxónia e da sua esposa, a condessa EIsabel do Palatinado-Simmern. Devido às sanções impostas pelo Sacro Império (Reichsexekution) a Gota, o seu pai perdeu as suas terras e a sua liberdade a 15 de Abril de 1567. A partir daí, João Casimiro passou a viver com a mãe e os seus irmão Frederico Henrique (que morreu em 1572 aos onze anos de idade) e João Ernesto em Eisenach, depois mudaram-se para a corte do seu tio e guardião João Guilherme em Weimar, e finalmente em Eisenberg, Turíngia. Em 1570, a Dieta de Speyer devolveu aos dois irmãos os direitos e privilégios que tinham sido retirados ao pai. Dois anos depois, no verão de 1572, a mãe deles mudou-se para a Áustria para se juntar ao marido na sua prisão domiciliária. Alguns meses depois, a 6 de Novembro de 1572, graças à Divisão de Erfurt, os dois irmãos receberam o principado de Saxe-Coburg-Eisenach. O principado consistia das zonas sul e oeste da Turíngia, incluindo as cidades de Eisenach, Gota e Hildburghausen. Outros dos responsáveis pelos dois irmãos eram João Jorge, Eleitor de Brandemburgo (a partir de 1578 foi sucedido pelo seu sobrinho, o marquês Jorge Frederico de Brandemburgo-Anspach) o seu avô materno, Frederico III, Eleitor Palatino, e também o grande inimigo do seu pai, Augusto, Eleitor da Saxónia, que supervisionou a educação de João Casimiro, além de assumir a regência do novo principado de Coburgo. João Casimiro e o irmão mudaram-se para Coburgo a 5 de Dezembro de 1572. Os seus guardiães acrescentaram o nome de João Casimiro à lista de autores da Fórmula de Concórdia (Konkordienformel) de 1577 e ao Livro de Concórdia (Konkordienbuch) de 1580, os dois textos de ordem da religião Luterana.[1]

Entre 1578 e 1581 João Casimiro estudou na Universidade de Leipzig. A 6 de Maio de 1584 ficou noivo da princesa Ana da Saxónia, filha de Augusto, Eleitor da Saxónia, sem o consentimento do pai e os dois casaram-se a 16 de Janeiro de 1586 em Dresden. Só depois da morte do príncipe-eleitor Augusto, a 11 de Fevereiro de 1586, é que João Casimiro, na altura com vinte-e-dois anos de idade, e o seu irmão puderam assumir o governo do principado.

Reinado[editar | editar código-fonte]

Edifícios governamentais, a actual Stadthaus (casa da cidade), na Marktplatz (Praça do Mercado)

Em 1596, dividiram o seu principado a meio.João Ernesto recebeu o ducado de Saxe-Eisenach e Casimiro continuou a governar sozinho em Coburgo. Os seus domínios incluíam os distritos de Coburgo com as subdivisões de Lauter, Rodach e Gestungshausen bei Sonnefeld, Heldburg com a subdivisão de Hildburghausen, Römhild, Eisfeld, Schalkau, Sonneberg, Neustadt, Neuhaus, MönchrödenSonnefeld.

Durante o reinado de João Casimiro, a cidade onde vivia, Coburgo, viveu o seu primeiro pico cultural com um aumento da construção de edifícios. O Schloss Ehrenburg foi reconstruído em estilo renascentista como Stadtschloss (castelo da cidade). O antigo Schloss Callenberg, foi alargado para se tornar numa residência de caça; a sua capela foi consagrada em 1618 e tornou-se no primeiro santuário das terras de Saxe-Coburgo. O Veste Coburg foi transformado num forte ducal e a sala de armas, assim como os edifícios governamentais (Stadthaus) foram reconstruídos na Marktplatz (Praça do Mercado). O coro da Morizkirche foi melhorado em 1598 em honra dos seus pais com um gigantesco epíteto – uma escultura com 12 metros de altura com uma série de imagens esculpidas sumptuosamente, também fundou o Gymnasium Casimirianum, aumentou a biblioteca do castelo para incluir as colecções de livros que tinha herdado e, em 1603, contratou o compositor Melchior Franck para Hofkapellmeister (mestre de música da corte). Durante algum tempo, a corte incluiu 213 pessoas e 130 cavalos.

A nível político, João Casimiro conseguiu convencer o Reichsritterschaft (comunidade de cavaleiros imperiais) a submeter-se ao seu soberano, garantindo-lhes jurisdição nas suas propriedades de campo. Emitiu a ordem para estabelecer a Igreja Estatatal Luterana, sendo o duque o seu summus episcopus (em latim, “sumo sacerdote”), uma táctica que foi mais tarde adoptada por muitos estados da Turíngia. Na categoria de autoridade suprema na justiça e religião do principado, mandou construir em 1589 um Hofgericht (tribunal especial para nobres), um Appellationsrat (tribunal de apelação), um Schöppenstuhl (tribunal de justiça) e, em 1593, acrescentou um consistório à Igreja Luterana, que também abrangia Saxe-Weimar, mas permaneceu em Jena.

Acima de tudo, tendo Coburgo como sede do seu governo, um aparelho administrativo que sobreviveu à sua morte e a muitas agitações políticas. O duque Casimiro conseguiu manter a neutralidade durante a Guerra dos Trinta Anos até 1631. Depois de ser ter juntado ao lado protestante, ao comando da Suécia, as tropas imperiais e da Baviera sob o comando de Wallenstein ocuparam Coburgo e levaram a cabo o cerco falhado a Veste em 1632.[2]:105

Durante o seu reinado, a perseguição às bruxas atingiu o seu ponto mais crítico. Em 1593, o duque João Casimiro divorciou-se da sua primeira esposa, acusando-a de adultério, e prendeu-a no Veste até à sua morte. Em 1599, casou-se com a princesa Margarida, filha de Guilherme, Duque de Brunswick-Lüneburg.[3] João morreu em Coburgo a 16 de Julho de 1633. Uma vez que não deixou descendentes, a sua herança foi para o seu irmão mais novo, João Ernesto, Duque de Saxe-Eisenach.

Encontra-se enterrado na Morizkirche em Coburgo. O seu caixão encontra-se na cripta abaixo da igreja.[2]:48

Genealogia[editar | editar código-fonte]

Os antepassados de João Casimiro, Duque de Saxe-Coburgo em três gerações
João Casimiro, Duque de Saxe-Coburgo Pai:
João Frederico II, Duque da Saxónia
Avô paterno:
João Frederico I, Eleitor da Saxônia
Bisavô paterno:
João, Eleitor da Saxónia
Bisavó paterna:
Sofia de Mecklemburgo (1481–1503)
Avó paterna:
Sibila de Cleves
Bisavô paterno:
João III, Duque de Cleves
Bisavó paterna:
Maria de Jülich-Berg
Mãe:
Isabel do Palatinado-Simmern
Avô materno:
Frederico III, Eleitor Palatino
Bisavô materno:
João II, Conde Palatino de Simmern
Bisavó materna:
Beatriz de Baden
Avó materna:
Maria de Brandemburgo-Kulmbach
Bisavô materno:
Casimiro, Marquês de Brandemburgo-Bayreuth
Bisavó materna:
Susana da Baviera

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. (de) Cf. Bekenntnisschriften der evangelisch-lutherischen Kirche de:BSLK (Confessions of the Evangelical Lutheran Church), p. 15 and p. 763.
  2. a b Klüglein, Norbert (1991). Coburg Stadt und Land (German). [S.l.]: Verkehrsverein Coburg 
  3. (de) Das fürstliche Beilager Herzog Johann Casimirs auf Schloss Heldburg und in Coburg (The Princely Nuptials (wedding) of Duke John Casimir at the Heldburg Castle and in Coburg), see: Norbert Klaus Fuchs: Das Heldburger Land – ein historischer Reiseführer (The Land of Heldburg – a Historical Guide); Bad Langensalza, Verlag Rockstuhl, 2013, ISBN 978-3-86777-349-2

Literatura[editar | editar código-fonte]

  • (de) Thomas Nicklas: Das Haus Sachsen-Coburg – Europas späte Dynastie (The House of Saxe-Coburg – Europe’s Last Dynasty). Stuttgart, Verlag W. Kohlhammer, 2003, ISBN 3-17-017243-3.
  • (de) Gerhard Heyl: Johann Casimir In: Neue Deutsche Biographie (NDB), Band 10 (New German Biography [NDB], Volume 10). Berlin, Duncker & Humblot, 1974, p. 531 ff.
  • (de) August Beck: Johann Casimir (Herzog von Sachsen-Coburg). In: Allgemeine Deutsche Biographie (ADB), Band 14 (General German Biography [ADB], Volume 14). Leipzig, Duncker & Humblot, 1881, pp. 369–372.
  • (de) Herzog Johann Casimir von Sachsen-Coburg 1564 - 1633; Ausstellung zur 400. Wiederkehr seines Geburtstages (Duke John Casimir of Saxe-Coburg 1564 - 1633; Exhibition of the 400th Anniversary of His Birth); October–November 1964 (exhibition catalog), edited by the Art Collections of the Veste Coburg.
  • Hans-Joachim Böttcher: WENIG UND BÖS WAR DIE ZEIT MEINES LEBENS - Anna von Sachsen (1567-1613), Dresden 2016, ISBN 978-3-941 757-70-7.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]