João Cid dos Santos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
João Cid dos Santos
Nome completo João Afonso Cid dos Santos
Nascimento 5 de agosto de 1907
Lisboa, (Portugal)
Morte 4 de novembro de 1975 (68 anos)
Lisboa, Portugal
Nacionalidade portuguesa
Ocupação Médico
Principais trabalhos Inventor da Flebografia e da Endarteriectomia

João Afonso Cid dos Santos, (Lisboa, 05 de Agosto de 1907Lisboa, 04 de Novembro de 1975), filho de Reinaldo dos Santos (cirurgião vascular) e de Suzana Cid dos Santos, foi um médico, cirurgião, investigador e professor português.

Foi galardoado em 1951 com o Prémio de Cirurgia Vascular - Prémio Leriche e condecorado Cavaleiro da Legião de Honra (França).[1]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Frequentou a Faculdade de Medicina de Lisboa (FML) tendo obtido a sua licenciatura em 1933. Iniciou o Internato de Medicina Geral nos Hospitais Civis de Lisboa em 1934. Porém, em 1935 parte para Estrasburgo, convidado por René Leriche (quem descreveu o Sindrome de Leriche).[1]

Trabalhou com grandes mestres como Leriche, Jean Kulin (autor do primeiro "bypass" com enxerto venoso), Fontaine, (autor da classificação da isquémia crónica), Jung , Arnulf, e Michael E. DeBakey (que concebeu e realizou, próteses sintéticas, instrumentos cirúrgicos e um grande número de procedimentos e técnicas de cirurgia arterial reconstrutiva).

Volta a Portugal e começa o seu internato de cirurgia em 1937 adquirindo o seu título de cirurgião em 1942. Em 1945 é incumbido do cargo de Chefe de Clínica da Cadeira de Patologia Cirúrgica da FML.

Carreira docente[editar | editar código-fonte]

Em 1939 inicia a sua carreira docente como Assistente de Urologia do Hospital de Santa Maria, apresentando a sua tese de doutoramento em 1944 intitulada "Patologia geral da isquémia dos membros" e é nomeado Professor Extraordinário de Cirurgia da FML em 1945.[1]

Em 1949 recebe o título de Professor Catedrático da Universidade de Lisboa.[2]

Carreira política[editar | editar código-fonte]

Deputado na VI legislatura pelo círculo de Lisboa de 1953 a 1957, nas Comissões Trabalho, Cultura Popular e Interesses Espirituais e Morais, Previdência, Educação Nacional e Saúde e Assistência Social.[3]

A sua obra[editar | editar código-fonte]

Continuando os trabalhos de Egas Moniz e de seu pai, melhorou as técnicas angiográficas e aplicou-as às veias sendo o precursor da Flebografia

Dos seus trabalhos, quarenta e um podem ser consultados na Biblioteca Nacional de Portugal[4]

Entre outros constam

  • La phlébographie directe-Conception-Téchnique-Premiers résultats.[2][5]
  • A Flebografia (livro)[6]
  • Reynaldo, Fontaine, Kunlin, Wylie[7]
  • Devem-se operar de urgência as pancreatites agudas?[8]
  • Estado actual do tratamento das fracturas do colo do fémur[9]
  • Études sur l'artériographie normale du chien [10]
  • Técnica e efeitos da infiltração do gânglio estrelado[11]
  • Técnica e efeitos da influência da infiltração novocainica da cadeia do simpático lombar [12]
  • La transfusion de sang par voie aortique : valeur générale de cette voie pour l'introduction de medicaments dans le sang quand la ponction vienense est impossible[13]
  • O tratamento dos edemas cirúrgicos dos membros pelas intervenções sobre o simpático[14]
  • Patologia geral das isquémias dos membros[15]
  • Revisão dos problemas fisio-patológicos e terapêuticos das embolias arteriais das extremidades à luz do factor vaso-motor[16]
  • Spasmes veineux du bras aprés injection intra-artérielle : action de d'infiltration do ganglion étoilé : contrôle phlébographique avant et aprés l'infiltration[17]
  • Curriculum vitae[18]
  • Duplo linfosarcoma do jejuno : ressecção : cura há mais de três anos e meio[19]
  • Sobre a embolectomia [20]
  • A anestesia geral pelo evipan [21]
  • Gangrena pulmonar : acções da emetina e da injecção intra-brônquica de lipiodol[22]
  • Vinte e cinco anos de investigação angiográfica : técnica-diagnóstico[23]
  • Etudes sur l'arteriographie normale du chien : Ière note préliminaire[24]
  • Arteriography of the extremities in peripheral vascular disease[25]
  • A ressecção endoscópica da próstata com guilhotina sob a visão directa : Punch[26]
  • Sur quelques veritées premières oubliées ou mèconnues de l'anatomo-physiologie normale et pathologique du système veineux : leur application á la pathologie á la thérapeutique[27]


Em 1933 realiza a 1ª flebografia no homem.

Em 1946, pela primeira vez, removeu um trombo e a placa de ateroma de uma artéria de modo a desobstruí-la, e, usando os conhecimentos adquiridos junto de Gordon Murray, colocou o paciente sob heparina (descoberta pouco tempo antes por Jay McCleande) de modo a evitar a re-trombose. Esta técnica, chamada endarteriectomia, difundiu-se pelo mundo, e é hoje o método de eleição para tratar graves estenoses e obstruções segmentares nas artérias.[2]

Prémios e distinções[editar | editar código-fonte]

  • Foi condecorado Cavaleiro da Legião de Honra (França)[1]
  • Galardoado com o Prémio de Cirurgia Vascular - Prémio Leriche[1]

Para além da Medicina[editar | editar código-fonte]

Era um excelente pianista e diz-se que tocava todos os dias.

Tendo herdado a paixão de seu pai, o Professor Cid dos Santos também amava a literatura e tinha dela profundos conhecimentos. Segundo os seus alunos, era muito frequente começar uma aula sobre uma patologia e terminá-la a falar sobre Gil Vicente, a custódia de Belém ou o teatro vicentino.

Adorava cozinhar. Costumava frequentar o restaurante Belcanto, restaurante situado próximo do Teatro S. Carlos e fazia lá o seu próprio jantar! Até recentemente este restaurante teve na ementa os célebres "Ovos mexidos à Professor".[2]

Morte[editar | editar código-fonte]

Na noite de 03 de Novembro de 1975, João Cid dos Santos sofre um brutal enfarte de miocárdio. Foi internado na Unidade de Cuidados Intensivos do Hospital de Santa Maria. O Professor Américo Diniz da Gama, seu discípulo mais próximo foi chamado para colocação de um cateter venoso central, mas apesar de todos os esforços o Professor Cid dos Santos faleceu na madrugada seguinte.[nota 1][28]

Notas

  1. Segundo o Professor Diniz da Gama, sua últimas palavras foram: "Olá, menino! (era a forma carinhosa como me tratava…) Desta vez é a sério!"

Referências

  1. a b c d e «João Afonso Cid dos Santos» (PDF). Perfil Biográfico dos Professores Catedráticos da Faculdade de Medicina de Lisboa. Consultado em 21 de novembro de 2012. 
  2. a b c d Carmo, Germano do. «Cid, o inovador» (PDF). Histórias da Medicina - Hospital da Luz. Consultado em 21 de novembro de 2012.. Arquivado do original (PDF) em 25 de julho de 2011 
  3. «João Afonso Cid dos Santos» (PDF). Assembleia da República. Consultado em 26 de novembro de 2012. 
  4. Nacional de Portugal Autor, João cid dos Santos http://porbase.bnportugal.pt/ipac20/ipac.jsp?session=J3E489859955O.12299&menu=search&aspect=subtab11&npp=20&ipp=20&spp=20&profile=porbase&ri=&term=Jo%C3%A3o+cid+dos+santos&index=.GW&x=9&y=15&aspect=subtab11titulo=Bibliotaca Nacional de Portugal Autor, João cid dos Santos Verifique valor |url= (ajuda). Consultado em 7 de dezembro de 2012.  Em falta ou vazio |título= (ajuda)
  5. dos Santos, JC: La phlébographie directe - Conception - Téchnique. Premiers résultats. J. Int. Chir, 3:625,1938
  6. Santos, João Cid dos, A flebografia, Lisboa: Centro Tipográfico Colonial, 1937
  7. João Cid dos Santos, Reynaldo, Fontaine, Kunlin, Wylie, Lisboa : Luso-Espanhola, 1976
  8. Joäo Cid dos Santos, Devem-se operar de urgência as pancreatites agudas? Lisboa : Centro Tipográfico Colonial, 1937
  9. João Cid dos Santos, Estado actual do tratamento das fracturas do colo do fémur, Sep. de "A Medicina Contemporânea" no8 de 21 de Fevereiro de 1937, Lisboa : Centro Tipográfico Colonial, 1937
  10. Études sur l'artériographie normale du chien : service d'Urologie de l'Hôpital Scolaire Joäo Cid dos Santos... [et al.], Sep. de "A Medicina Contemporânea" nº50 de 12 de Dezembro de 1937, Lisboa : Centro Tipográfico Colonial, 1937
  11. Técnica e efeitos da infiltração do gânglio estrelado, Joäo Cid dos Santos, Sep. de "A Medicina Contemporânea" nº14 de 4 de Abril de 1937, Lisboa : Centro Tipográfico Colonial, 1937
  12. Técnica e efeitos da influência da infiltração novocainica da cadeia do simpático lombar , Joäo Cid dos Santos, Sep. de "A Medicina Contemporânea" nº18 de 2 de Maio de 1937, Lisboa : Centro Tipográfico Colonial, 1937
  13. La transfusion de sang par voie aortique : valeur générale de cette voie pour l'introduction de medicaments dans le sang quand la ponction vienense est impossible, Joäo Cid dos Santos, Sep. de "A Medicina Contemporânea" no20 de 16 de Maio de 1937, Lisboa : Centro Tipográfico Colonial, 1937
  14. O tratamento dos edemas cirúrgicos dos membros pelas intervenções sobre o simpático , Joäo Cid dos Santos, Sep. de "A Medicina Contemporânea" no2 de 10 de Janeiro de 1937, Lisboa : Centro Tipográfico Colonial, 1937
  15. Patologia geral das isquémias dos membros , Joäo Cid dos Santos, Tese de doutoramento, Lisboa : Liv. Luso-Espanhola, 1944
  16. Revisão dos problemas fisio-patológicos e terapêuticos das embolias arteriais das extremidades à luz do factor vaso-motor , Joäo Cid dos Santos, Sep. A Medicina Contemporânea, 14, [S.l. : s.n.], 1938 ( Lisboa : -- Centro Tipográfico Colonial)
  17. Spasmes veineux du bras aprés injection intra-artérielle : action de d'infiltration do ganglion étoilé : contrôle phlébographique avant et aprés l'infiltration , Joäo Cid dos Santos, Sep. A Medicina Contemporânea, 25, [S.l. : s.n.], 1938 ( Lisboa : -- Centro Tipográfico Colonial)
  18. Curriculum vitae , Joäo Cid dos Santos, Lisboa : Bertrand, 1944
  19. Duplo linfosarcoma do jejuno : ressecção : cura há mais de três anos e meio , Joäo Cid dos SantosSep. Lisboa Médica, no 7, a. 21, Lisboa : Editorial Império, 1944
  20. Sobre a embolectomia , Joäo Cid dos Santos, Sep. Lisboa Médica, no 7, a. 21, Lisboa : Editorial Império, 1944
  21. A anestesia geral pelo evipan , João Cid dos Santos, Sep. A Medicina contemporânea, no 46 (1936), Lisboa : [s.n.], 1936
  22. Gangrena pulmonar : acções da emetina e da injecção intra-brônquica de lipiodol , Joäo Cid dos Santos, Sep. Medicina, [S.l. : s.n.], 1936 ( Lisboa : -- [Soc. Industrial de Tipografia])
  23. Vinte e cinco anos de investigação angiográfica : técnica-diagnóstico, Santos, João Cid dos, Exposição geral dos documentos originais, artériográficos e flebográficos de Reinaldo dos Santos, J. Cid dos Santos e seus assistentes, organizada pela 1.clínica cirúrgica do Hospital Escolar de Sta Marta Trabalho apresentado ao 15 Congresso da Sociedade Internacional de Cirurgia Trabalho apresentado ao 2 Congresso da Sociedade Internacional de Angiologia, Lisboa : [s.n.], 1953
  24. Etudes sur l'arteriographie normale du chien : Ière note préliminaire , par J. Cid dos Santos... [et al.], Sep. de "A Medicina Contemporanea". Lisboa : [s.n.], 1937
  25. Arteriography of the extremities in peripheral vascular disease, Communication delivered at the Third World Congress of cardiology, [S.l.] : [s.n.], [197-]
  26. A ressecção endoscópica da próstata com guilhotina sob a visão directa : Punch, João Cid dos Santos, Sep. de Amatus Lusitanus, vol.5, n.4, [S.l.] : [s.n.], 1946
  27. Sur quelques veritées premières oubliées ou mèconnues de l'anatomo-physiologie normale et pathologique du système veineux : leur application á la pathologie á la thérapeutique, João Cid dos Santos, Sep. de Amatus Lusitanus, vol.7, n.1, Lisboa : Gráfica Santelmo, 1948
  28. Gama, Américo Dinis da. «A minha relação com João Cid dos Santos - Depoimento de um discípulo» (PDF). Revista IESS - Hospital da Luz. Consultado em 21 de novembro de 2012. 
Ícone de esboço Este artigo sobre um médico é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.