João Emanuel Carneiro

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
João Emanuel Carneiro
Nascimento 17 de fevereiro de 1972 (44 anos)
Rio de Janeiro, RJ
 Brasil
Ocupação Novelista, diretor e roteirista

João Emanuel Carneiro (Rio de Janeiro, 17 de fevereiro de 1972) é um roteirista, diretor de cinema e autor de telenovelas brasileiro.

Biografia[editar | editar código-fonte]

O começo[editar | editar código-fonte]

Começou a colaborar aos quatorze anos com o cartunista Ziraldo roteirizando histórias em quadrinhos.

Aos vinte e dois, ele foi premiado como roteirista do curta-metragem Zero a Zero e optou definitivamente por esta profissão. Além deste, ele também colaborou nos roteiros de filmes como Central do Brasil, O Primeiro Dia, Cronicamente Inviável, Orfeu, Deus é brasileiro e Castelo Rá-Tim-Bum. Na TV, foi colaborador de Maria Adelaide Amaral nas minisséries A Muralha (2000) e Os Maias (2001) e de Euclydes Marinho na novela Desejos de Mulher (2002).

A primeira novela como autor titular foi Da Cor do Pecado (2004), na qual contou com supervisão de texto do renomado novelista Sílvio de Abreu. Da Cor do Pecado foi um grande sucesso, a maior audiência entre as novelas das sete desde A Viagem, de Ivani Ribeiro, em (1994). O sucesso rendeu 43 pontos de média geral para a novela, audiência digna de novela das 21h.

Em 2006 escreveu Cobras & Lagartos, levada ao ar em substituição à fracassada Bang Bang, de Mário Prata. Teve a missão, bem-sucedida, de recuperar a audiência perdida para a concorrente TV Record, que ganhava com o sucesso Prova de Amor, de Tiago Santiago, ex-colaborador em textos de novelas globais. E conseguiu, a novela fechou com 39 pontos de média geral, sendo assim a segunda maior audiência do 19 horas deste século, perdendo apenas para Da Cor do Pecado, a novela do mesmo autor.

Em 2009 supervisionou sua primeira novela, Cama de Gato, de Duca Rachid e Thelma Guedes no horário das 18 horas.

João Emanuel Carneiro é meio-irmão da atriz Cláudia Ohana e filho da escritora, antropóloga e crítica de arte Lélia Coelho Frota.

Horário Nobre[editar | editar código-fonte]

Em 2008, escreveu a novela A Favorita, sua primeira novela das 21h, entrando no lugar de Benedito Ruy Barbosa, que não faz mais novelas para o horário (a última foi Esperança). A Favorita teve 197 capítulos, acabando em 16 de janeiro de 2009, onde João Emanuel Carneiro conseguiu cativar o público com o sofrimento de Donatela (protagonista da novela, vivida por Cláudia Raia, e as maldades de Flora, antagonista vivida por Patrícia Pillar. Foi comparada com filme em uma das cenas, onde Flora mata Gonçalo, personagem de Mauro Mendonça. A novela terminou com quarenta pontos de média, sendo mais um sucesso do autor.

Consagração[editar | editar código-fonte]

Em 2012, escreveu Avenida Brasil, um sucesso que monopolizou o país com a implacável saga de Nina (Débora Falabella), uma jovem que arquiteta um plano de vingança contra sua ex-madrasta, Carmem Lúcia (Adriana Esteves), responsável pela morte de seu pai e por tê-la abandonado no lixão. Eleito no mesmo ano pela Revista Época um dos 100 brasileiros mais influentes do ano.[1]

Vilãs[editar | editar código-fonte]

Carneiro criou vilãs antológicas na televisão brasileira. Em todas as suas novelas, sem exceção, nos deparamos com uma loira fatal criada para infernizar a vida dos protagonistas da trama.

A primeira delas foi Bárbara (Giovanna Antonelli) em Da Cor do Pecado, seguida por Leona (Carolina Dieckmann) em Cobras & Lagartos, ambas no horário das 19 horas. Após esses dois sucessos seguidos, João foi promovido ao horário das 21 horas com A Favorita e criou a psicopata Flora (Patrícia Pillar), que muitos consideram a "mais malvada das novelas brasileiras", votação promovida pelo site UOL[2]. Mais recentemente, João nos apresentou a vilã Carmen Lúcia, a Carminha (Adriana Esteves) em Avenida Brasil que não só roubou a cena em toda a novela, como também já será lembrada como uma das principais antagonistas da TV brasileira.

Sua atual vilã é a ambiciosa e estelionatária Atena Terremolinos, interpretada por Giovanna Antonelli em A Regra do Jogo, nova novela das nove do autor para a Rede Globo, que está sucedendo Babilônia.[3][4]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Novelas[editar | editar código-fonte]

Titulo Ano Creditado como Notas Emissora
Autor Colaborador Supervisor
Desejos de Mulher 2002
Sim
com Euclydes Marinho Rede Globo
Da Cor do Pecado 2004
Sim
com Sílvio de Abreu
Cobras & Lagartos 2006
Sim
A Favorita 2008
Sim
Cama de Gato 2009
Sim
com Thelma Guedes e Duca Rachid
Avenida Brasil 2012
Sim
A Regra do Jogo 2015
Sim

Séries[editar | editar código-fonte]

Ano Título Emissora Escalação Parceiros titulares
2000 A Muralha Rede Globo Colaborador Maria Adelaide Amaral
2001 Os Maias
2003 Brava Gente
(Ep: "O Crime Imperfeito")
Autor principal
2010 A Cura Marcos Bernstein
2014 Segunda Dama Supervisor de texto[5] Heloísa Périssé, Paula Amaral e Isabel Muniz

Cinema[editar | editar código-fonte]

Como roteirista[editar | editar código-fonte]

Ano Título Escalação
1991 Zero a Zero Autor Principal
1998 Central do Brasil Autor Principal
O Primeiro Dia Autor Principal
1999 Orfeu Adaptação
Castelo Rá-Tim-Bum, o Filme Adaptação
Bem-vindos ao Paraíso Adaptação
2000 Cronicamente Inviável Adaptação
2001 A Partilha Autor Principal
Filho Predileto Exemplo
Um Crime Nobre Adaptação
2002 Seja o que Deus Quiser! Adaptação
2003 Deus É Brasileiro Adaptação
Cristina Quer Casar Autor Principal
2004 A Dona da História Autor Principal
Redentor Autor Principal

Como diretor[editar | editar código-fonte]

Ano Título
1991 Zero a Zero
1994 Pão de Açúcar

Principais obras[editar | editar código-fonte]

Telenovelas[editar | editar código-fonte]

  1. 2004 - Da Cor do Pecado
  2. 2006 - Cobras & Lagartos
  3. 2008 - A Favorita
  4. 2012 - Avenida Brasil
  5. 2015 - "A Regra do Jogo"

Prêmios e indicações[editar | editar código-fonte]

Ano Premiação Categoria Trabalho Resultado
1998 Prêmio Estação Botafogo Roteirista do Ano
Central do Brasil
Venceu
Satellite Awards Melhor Roteiro Original Indicado
2004 Prêmio APCA Melhor Revelação
Da Cor do Pecado
Venceu
2005 Prêmio Contigo! de TV Melhor Autor Indicado
2008 Prêmio Extra de Televisão Melhor Novela
A Favorita
Venceu
Prêmio Faz Diferença do jornal O Globo Revista da TV Venceu
Prêmio Quem de Televisão Melhor Autor Venceu
Prêmio APCA Melhor Novela Venceu
2009 Prêmio Qualidade Brasil Melhor Novela Venceu
Melhor Autor Venceu
Prêmio Contigo! de TV Melhor Novela Venceu
Melhor Autor Venceu
Troféu Imprensa Melhor Novela Venceu
Troféu Internet Melhor Novela Venceu
2012 Prêmio Extra de Televisão Melhor Novela
Avenida Brasil
Venceu
Prêmio APCA Grande Prêmio da Crítica Venceu
Prêmio Quem de Televisão Melhor Autor Venceu
2013 Troféu Imprensa Melhor Novela Venceu
Troféu Internet Melhor Novela Venceu
Prêmio Contigo! de TV Melhor Novela Venceu
Melhor Autor Venceu
Prémio Emmy Internacional Melhor Telenovela Indicado
2015 Prêmio Extra de Televisão Melhor Novela
A Regra do Jogo
Indicado
2016 Troféu Internet Melhor Novela Indicado
Emmy Internacional Melhor Novela Pendente

Referências

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]