João Gonçalves da Costa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

João Gonçalves da Costa (Chaves, Trás-os-Montes, 1720Manuel Vitorino, Bahia, 1820) foi um desbravador do Sertão da Bahia.[1]

História[editar | editar código-fonte]

João Gonçalves da Costa foi um português que fundou o Arraial da Conquista, do qual se originou a cidade de Vitória da Conquista no Estado da Bahia. Nasceu por volta do ano de 1720 na cidade de Chaves, alto Rio Tâmega em Trás-os-Montes, Portugal e com apenas dezesseis anos de idade foi para o Brasil onde inicialmente participou da abertura de novas fronteiras para o reino português, na então Capitania da Bahia, acompanhando o bandeirante, Mestre de Campo João da Silva Guimarães.[1]

Foi encarregado pelo então governador da Capitania, Manuel da Cunha e Meneses, para iniciar uma povoação nos Funis, e abertura de estradas na região do Sertão da Ressaca. Liderou combates contra os indígenas que habitavam a região, os Imborés, Mongoiós e Pataxós. Em 1781 obteve a patente de Capitão-mór da Conquista do Sertão da Ressaca. Criticado por crueldade com os índios como no caso conhecido como Banquete da Morte, e elogiado por outras autoridades pelo serviço prestado no controle e exploração dessa região.[1]

Casou com Josefa Gonçalves da Costa, filha de Matias João da Costa e Clara Gonçalves. Entre os vários filhos que tiveram se destacou Faustina Gonçalves da Costa que se tornou em Vitória da Conquista a sua verdadeira herdeira tanto em riquezas, como em política, originando do seu casamento com o português, Manuel de Oliveira Freitas, a família mais notável dos descendentes deste casal.[1]

Em 1817, quando da passagem do príncipe Maximilian zu Wied-Neuwied, vivia na fazenda Cachoeira que posteriormente evoluiu para ser a cidade de Manoel Vitorino. Onde faleceu já bastante idoso em 1820.[1]

Referências

  1. a b c d e SOUSA, Maria Aparecida Silva de. A Conquista do Sertão da Ressaca - povoamento e posse da terra no interior da Bahia. Vitória da Conquista: Edições UESB, 2001. ISBN 978-8588505049