João José de Oliveira Junqueira Júnior

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
João José de Oliveira Junqueira Júnior
Nascimento 10 de março de 1832
Salvador
Morte 9 de novembro de 1887 (55 anos)
Ocupação Magistrado, político

João José de Oliveira Junqueira (Salvador, 10 de março de 18329 de novembro de 1887) foi um magistrado e político brasileiro.

Filho do senador João José de Oliveira Junqueira, ministro do Supremo Tribunal de Justiça.

Formado em Direito pela Faculdade de Recife, em 1851, dedicou-se à carreira da magistratura, ficando juiz de direito avulso por ter preferido se dedicar à política. Era militante do Partido Conservador.

Após exercer alguns mandatos como deputado provincial, foi eleito suplente do deputado geral Luís Antônio Pereira Franco na 10.ª Legislatura (1857-1860), substituindo-o na sessão de 1859 e na de 1860, até 24 de junho. Foi eleito deputado titular pela Bahia nas duas legislaturas seguintes. Não se reelegeu na 13.ª por estar no domínio o Partido Liberal, voltou na 14.ª, governando o Partido Conservador, e continuou fazer parte da Câmara até ser nomeado senador, em 1873.

Foi presidente das províncias do Piauí, de 10 de junho de 1857 a 30 de dezembro de 1858, do Rio Grande do Norte, de 4 de outubro de 1859 a 28 de abril de 1860, e de Pernambuco, de 27 de outubro de 1871 a 10 de junho de 1872.

Voltando de Pernambuco, e abrindo-se, em 7 de março, presidido pelo Visconde do Rio Branco, a vaga de Ministro da Guerra pela demissão do Conselheiro Domingos José Nogueira Jaguaribe, Junqueira foi nomeado para ocupá-la e, novamente, no ministério do Barão de Cotejipe.

Com o falecimento do Visconde de São Lourenço, em setembro de 1872, abriu-se uma vaga no Senado do Império, e Junqueira figurou na lista tríplice dos possíveis substitutos, junto com Luís Antônio Pereira Franco e Inocêncio Marques de Araújo Góis. A escolha do Imperador recaiu sobre Junqueira, que tomou posse do Senado em 17 de março de 1873.

Faleceu na Corte, aos 55 anos de idade.

Era fidalgo da Casa Imperial, grã-cruz da Ordem de Nosso Senhor Jesus Cristo, oficial da Imperial Ordem da Rosa, cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, de Roma, e grã-cruz da Ordem da Coroa da Itália.[1]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Precedido por
Lourenço Francisco de Almeida Castanho
Presidente da província do Piauí
1857 — 1858
Sucedido por
Simplício de Sousa Mendes
Precedido por
Antônio Marcelino Nunes Gonçalves
Presidente da província do Rio Grande do Norte
1859 — 1860
Sucedido por
José Bento da Cunha Figueiredo Júnior
Precedido por
Manuel do Nascimento Machado Portela
Presidente da província de Pernambuco
1871 — 1872
Sucedido por
Francisco de Faria Lemos
Precedido por
Visconde do Rio Branco
Ministro da Guerra do Brasil
1872 — 1876
Sucedido por
Luís Antônio Pereira Franco
Precedido por
Manuel Antônio Duarte de Azevedo
Ministro da Justiça do Brasil
1874
Sucedido por
Diogo Velho Cavalcanti de Albuquerque


Ícone de esboço Este artigo sobre um político brasileiro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
  1. «Telegrammas». Hemeroteca Digital Brasileira. Jornal do Recife. 10 de novembro de 1887. p. 1. Consultado em 20 de março de 2018.