João Rodrigues (político)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
João Rodrigues
Deputado federal por Santa Catarina
Período 1 de fevereiro de 2011
até 31 de janeiro de 2019
Prefeito de Chapecó
Período 1 de janeiro de 2005
até 31 de março de 2010
Antecessor Pedro Uczai
Sucessor José Cláudio Caramori
Prefeito de Pinhalzinho
Período 1 de janeiro de 2001
até 6 de abril de 2002
Antecessor Darci Fiorini
Sucessor Anecleto Galon
Dados pessoais
Nascimento 23 de março de 1967 (53 anos)[1]
Partido PFL (1999-2007)
DEM (2007-2011)
PSD (2011-presente)
Profissão empresário e radialista

João Rodrigues (São Valentim, 23 de março de 1967) é um político brasileiro radicado no estado de Santa Catarina, filiado ao Partido Social Democrático (PSD).

De 1988 a 2000 trabalhou como radialista na Rádio Centro-Oeste de Pinhalzinho.[2] Na chapa de Darci Fiorini (então no PPB), foi eleito vice-prefeito da cidade nas eleições de 1996 e assumiu o cargo no início de 1997.[3] Foi eleito prefeito, pelo PFL, nas eleições de 2000, com 4.045 votos (53% dos votos válidos),[4] e passou a ocupar a chefia do Poder Executivo do município em 1 de janeiro de 2001. Deixou o cargo em 6 de abril de 2002, quando renunciou para concorrer a deputado estadual, nas eleições daquele ano.[5] Assumiu o vice-prefeito, Anecleto Galon.[6] Em reconhecimento à sua gestão na prefeitura de Pinhalzinho, recebeu o Prêmio Mario Covas do Sebrae Nacional, como destaque na categoria "Prefeito empreendedor".[1]

Em 2002 foi eleito deputado estadual, novamente pelo PFL, com 48.549 votos.[7] Assumiu a cadeira na Assembleia Legislativa de Santa Catarina, em 1 de fevereiro de 2003 e a deixou em 2004, para ocupar o cargo de prefeito de Chapecó, cidade próxima a Pinhalzinho, ao qual foi eleito com 43.829 votos (43,8% dos votos válidos), pouco mais de 5 mil votos à frente do segundo colocado, Cláudio Antônio Vignatti (PT).[8] Foi reeleito em 2008, com 59.386 votos (59% dos votos válidos), para mais quatro anos de mandato.[9] Entretanto, renunciou em 31 de março de 2010, para concorrer a deputado federal, nas eleições daquele ano. Assumiu o vice-prefeito José Cláudio Caramori.[10]

Em 2010 elegeu-se deputado federal, pelo DEM, com 134.558 votos, a quarta maior votação do estado.[11] Assumiu a cadeira na Câmara dos Deputados, em 1 de fevereiro de 2011. Nas eleições de 2014, em 5 de outubro, foi reeleito deputado federal por Santa Catarina para a 55ª legislatura (2015 — 2019).[12] Assumiu o cargo em 1 de fevereiro de 2015.[13]

No dia 27 de maio de 2015 o deputado foi flagrado por uma equipe de reportagem do SBT, observando vídeos pornográficos em um smartphone durante um debate sobre a Reforma Política na Câmara dos Deputados, mostrando também o conteúdo para outros políticos.[14]

Como deputado federal, votou a favor do Processo de impeachment de Dilma Rousseff.[15] Já durante o Governo Michel Temer, votou a favor da PEC do Teto dos Gastos Públicos.[15] Em abril de 2017 foi favorável à Reforma Trabalhista.[15][16] Em agosto de 2017 votou contra o processo em que se pedia abertura de investigação do presidente Michel Temer, ajudando a arquivar a denúncia do Ministério Público Federal.[15][17]

O parlamentar foi condenado pelo TRF-4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região) a cinco anos e três meses de prisão em regime semiaberto por crimes da Lei de Responsabilidade Fiscal e da Lei de Licitações enquanto era prefeito do município de Pinhalzinho (SC).[18] O Supremo Tribunal Federal (STF) confirmou a decisão do TRF-4, determinando a imediata prisão do deputado [19].

No dia 08/02/2018 (quinta-feira) o então deputado federal João Rodrigues (PSD-SC) foi preso pela PF (Polícia Federal) no aeroporto de Guarulhos, na região metropolitana de São Paulo[20], após mudar a rota do voo para Assunción, Paraguai, e tentar desembarcar naquele país. Em virtude do risco de fuga e eventual manobra para tentar a prescrição do crime, o nome do deputado foi inserido em lista da Interpol[21].

João Rodrigues é conhecido por defender a pena de morte a condenados, utilizando jargões populares como “bandido bom é bandido morto"[22][23].

O (ex-)deputado também é réu em ação civil pública por ato de improbidade administrativa envolvendo superfaturamento de merenda escolar no Município de Chapecó durante o período em que era prefeito. A ação, que estima o superfaturamento em cerca de 8 (oito) milhões de reais, foi ajuizada pelo Ministério Público Federal em Santa Catarina[24][25]. A ação de improbidade teve origem em denúncia realizada pelo vereador da Câmara Municipal de Chapecó/SC Marcelino Chiarello[26], encontrado morto em sua casa em 28 de novembro de 2011[27][28].

Referências

  1. a b «PL./0225.5/2005». Assembleia Legislativa de Santa Catarina. 21 de junho de 2005. Consultado em 21 de fevereiro de 2011 
  2. «Biografia: João Rodrigues (DEM/SC)». Portal da Câmara dos Deputados. Consultado em 21 de fevereiro de 2011 
  3. «Tribunal Superior Eleitoral - Eleições 1996 - Apuração». Consultado em 21 de fevereiro de 2011. Arquivado do original em 18 de dezembro de 2010 
  4. «Tribunal Superior Eleitoral - Eleições 2000 - Apuração». Consultado em 21 de fevereiro de 2011. Arquivado do original em 23 de novembro de 2010 
  5. «Notícias». Nova FM. 1 de janeiro de 2005. Consultado em 21 de fevereiro de 2011 
  6. «Prefeitos de Pinhalzinho». Prefeitura Municipal de Pinhalzinho. Consultado em 21 de fevereiro de 2011 
  7. «Tribunal Superior Eleitoral - Eleições 2002 - Apuração». Consultado em 21 de fevereiro de 2011. Arquivado do original em 3 de março de 2016 
  8. «Tribunal Superior Eleitoral - Eleições 2004 - Apuração». Consultado em 21 de fevereiro de 2011. Arquivado do original em 24 de novembro de 2010 
  9. «UOL - Eleições 2008 - Apuração - Chapecó». Consultado em 21 de fevereiro de 2011 
  10. «José Cláudio Caramori é o novo prefeito de Chapecó». Super Condá AM 610. 1 de abril de 2010. Consultado em 21 de fevereiro de 2011 
  11. «UOL - Eleições 2010 - Apuração - Santa Catarina». Consultado em 21 de fevereiro de 2011 
  12. Eleições 2014 - João Rodrigues 5555
  13. «Deputados federais de SC tomam posse em Brasília». Consultado em 3 de fevereiro de 2015. Arquivado do original em 3 de fevereiro de 2015 
  14. «Deputados assistem pornografia durante a votação da reforma política». Veja São Paulo. Consultado em 28 de maio de 2015 
  15. a b c d G1 (2 de agosto de 2017). «Veja como deputados votaram no impeachment de Dilma, na PEC 241, na reforma trabalhista e na denúncia contra Temer». Consultado em 11 de outubro de 2017 
  16. Redação (27 de abril de 2017). «Reforma trabalhista: como votaram os deputados». Consultado em 18 de setembro de 2017 
  17. Carta Capital (3 de agosto de 2017). «Como votou cada deputado sobre a denúncia contra Temer». Consultado em 18 de setembro de 2017 
  18. «PF prende deputado João Rodrigues por risco de fuga e prescrição de pena - Notícias - Política». Política 
  19. «STF determina prisão de deputado condenado em segunda instância». Congresso em Foco 
  20. «PF prende deputado João Rodrigues por risco de fuga e prescrição de pena - Notícias - Política». Política 
  21. «Deputado João Rodrigues tenta fugir para o Paraguai e é preso pela PF». Valor Econômico 
  22. MARUIM (19 de junho de 2015). «'Não é ressocialização: preso é pra cumprir pena'». MARUIM. Consultado em 30 de março de 2018 
  23. «Deputado prega 'faxina de bandidos' em comissão que discute o desarmamento - Notícias - Política». Política 
  24. «João Rodrigues é acusado de superfaturar R$ 8 milhões» (em inglês) 
  25. http://www.mpf.mp.br/, Ministério Publico Federal -. «MPF/SC processa ex-prefeito de Chapecó por superfaturamento em merenda escolar». MPF 
  26. «Fossá pede saída da secretária Astrit Tozzo por suspeita de direcionamento e superfaturamento da merenda escolar». Cleiton Fossá - Vereador em Chapecó/SC 
  27. «Família de Chiarello divulga laudo da USP que aponta morte por homicídio». Santa Catarina. 7 de agosto de 2013 
  28. «Memória e sede de justiça: Quem matou Marcelino Chiarello? | Brasil de Fato». Brasil de Fato. 3 de dezembro de 2016 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um político brasileiro é um esboço relacionado ao Projeto Biografias de Políticos. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.