João Rodrigues (político)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
João Rodrigues
Prefeito de Chapecó
Período 1º de janeiro de 2021
até atualidade
Antecessor(a) Luciano José Buligon
Sucessor(a)
Período 1º de janeiro de 2005
até 31 de março de 2010
Antecessor(a) Pedro Uczai
Sucessor(a) José Cláudio Caramori
Deputado Federal por Santa Catarina
Período 1º de fevereiro de 2011
até 31 de janeiro de 2019
Prefeito de Pinhalzinho
Período 1º de janeiro de 2001
até 6 de abril de 2002
Antecessor(a) Darci Fiorini
Sucessor(a) Anecleto Galon
Dados pessoais
Nascimento 23 de março de 1967 (54 anos)[1]
São Valentim, RS
Partido PFL (1999-2007)
DEM (2007-2011)
PSD (2011-presente)
Profissão Empresário e radialista

João Rodrigues (São Valentim, 23 de março de 1967) é um empresário, radialista e político brasileiro, filiado ao Partido Social Democrático (PSD). É o atual prefeito de Chapecó, em Santa Catarina.

Carreira política[editar | editar código-fonte]

De 1988 a 2000 trabalhou como radialista na Rádio Centro-Oeste de Pinhalzinho.[2] Na chapa de Darci Fiorini (então no PPB), foi eleito vice-prefeito da cidade nas eleições de 1996 e assumiu o cargo no início de 1997.[3] Foi eleito prefeito, pelo PFL, nas eleições de 2000, com 4.045 votos (53% dos votos válidos),[4] e passou a ocupar a chefia do Poder Executivo do município em 1 de janeiro de 2001. Deixou o cargo em 6 de abril de 2002, quando renunciou para concorrer a deputado estadual, nas eleições daquele ano.[5] Assumiu o vice-prefeito, Anecleto Galon.[6] Em reconhecimento à sua gestão na prefeitura de Pinhalzinho, recebeu o Prêmio Mario Covas do Sebrae Nacional, como destaque na categoria "Prefeito empreendedor".[1]

Em 2002 foi eleito deputado estadual, novamente pelo PFL, com 48.549 votos.[7] Assumiu a cadeira na Assembleia Legislativa de Santa Catarina, em 1 de fevereiro de 2003 e a deixou em 2004, para ocupar o cargo de prefeito de Chapecó, cidade próxima a Pinhalzinho, ao qual foi eleito com 43.829 votos (43,8% dos votos válidos), pouco mais de 5 mil votos à frente do segundo colocado, Cláudio Antônio Vignatti (PT).[8] Foi reeleito em 2008, com 59.386 votos (59% dos votos válidos), para mais quatro anos de mandato.[9] Entretanto, renunciou em 31 de março de 2010, para concorrer a deputado federal, nas eleições daquele ano. Assumiu o vice-prefeito José Cláudio Caramori.[10]

Em 2010 elegeu-se deputado federal, pelo DEM, com 134.558 votos, a quarta maior votação do estado.[11] Assumiu a cadeira na Câmara dos Deputados, em 1 de fevereiro de 2011. Nas eleições de 2014, em 5 de outubro, foi reeleito deputado federal por Santa Catarina para a 55ª legislatura (2015 — 2019).[12] Assumiu o cargo em 1 de fevereiro de 2015.[13]

No dia 27 de maio de 2015 o deputado foi flagrado por uma equipe de reportagem do SBT, observando vídeos pornográficos em um smartphone durante um debate sobre a Reforma Política na Câmara dos Deputados, mostrando também o conteúdo para outros políticos.[14]

Como deputado federal, votou a favor do Processo de impeachment de Dilma Rousseff.[15] Já durante o Governo Michel Temer, votou a favor da PEC do Teto dos Gastos Públicos.[15] Em abril de 2017 foi favorável à Reforma Trabalhista.[15][16] Em agosto de 2017 votou contra o processo em que se pedia abertura de investigação do presidente Michel Temer, ajudando a arquivar a denúncia do Ministério Público Federal.[15][17]

Condenação e investigações[editar | editar código-fonte]

O parlamentar foi condenado pelo TRF-4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região) a cinco anos e três meses de prisão em regime semiaberto por crimes da Lei de Responsabilidade Fiscal e da Lei de Licitações enquanto era prefeito do município de Pinhalzinho (SC).[18] O Supremo Tribunal Federal (STF) confirmou a decisão do TRF-4, determinando a imediata prisão do deputado [19].

No dia 08/02/2018 (quinta-feira) o então deputado federal João Rodrigues (PSD-SC) foi preso pela PF (Polícia Federal) no aeroporto de Guarulhos, na região metropolitana de São Paulo[20], após mudar a rota do voo para Assunción, Paraguai, e tentar desembarcar naquele país. Em virtude do risco de fuga e eventual manobra para tentar a prescrição do crime, o nome do deputado foi inserido em lista da Interpol[21].

João Rodrigues é conhecido por defender a pena de morte a condenados, utilizando jargões populares como “bandido bom é bandido morto"[22][23].

O ex-deputado também é réu em ação civil pública por ato de improbidade administrativa envolvendo superfaturamento de merenda escolar no Município de Chapecó durante o período em que era prefeito. A ação, que estima o superfaturamento em cerca de 8 (oito) milhões de reais, foi ajuizada pelo Ministério Público Federal em Santa Catarina[24][25]. A ação de improbidade teve origem em denúncia realizada pelo vereador da Câmara Municipal de Chapecó/SC Marcelino Chiarello[26], encontrado morto em sua casa em 28 de novembro de 2011[27][28].

Em 2020, Rodrigues disputou as eleições como candidato a prefeito de Chapecó e foi eleito em primeiro turno.[29]

Prefeito de Chapecó (2021-2024)[editar | editar código-fonte]

Gestão da pandemia de COVID-19[editar | editar código-fonte]

João Rodrigues assumiu a prefeitura de Chapecó em 1 de janeiro prometendo o relaxamento de regras para evitar a disseminação da COVID-19 na cidade.[30] A cidade também passou a administrar o chamado "tratamento precoce" com remédios comprovadamente ineficazes contra o novo coronavírus, como hidroxicloroquina, cloroquina, ivermectina e azitromicina.[31]

Com as novas regras, o número de casos e mortes na cidade começou a aumentar. Quando Rodrigues iniciou o mandato, Chapecó tinha registrado cento e vinte e três óbitos por COVID-19, número que quase quintuplicou em apenas três meses.[32] Assim, a média de mortes ultrapassou as médias estadual e nacional.[33]

Em 16 de fevereiro, o prefeito concedeu uma entrevista admitindo que o sistema de saúde da cidade havia entrado em colapso.[34] O número de casos só começou a diminuir depois que a prefeitura implementou uma série de restrições, incluindo toque de recolher e fechamento do comércio.[35][36] Por quatorze dias, de 23 de fevereiro a 7 de março, as atividades não essenciais foram suspensas, levando o ritmo de contaminação a diminuir.[37]

No começo de abril, o prefeito gravou um vídeo afirmando falsamente que o número de internações por coronavírus na cidade havia zerado graças ao uso do "tratamento precoce".[38] O vídeo foi divulgado pelo presidente Jair Bolsonaro em suas redes sociais.[38] Na verdade, quando da gravação do vídeo, havia cento e oitenta e sete pessoas internadas com COVID-19 internadas na cidade, sendo cento e vinte e uma em UTIs (que estavam 100% lotadas) e sessenta e três em enfermarias.[39][40]

Referências

  1. a b «PL./0225.5/2005». Assembleia Legislativa de Santa Catarina. 21 de junho de 2005. Consultado em 21 de fevereiro de 2011 
  2. «Biografia: João Rodrigues (DEM/SC)». Portal da Câmara dos Deputados. Consultado em 21 de fevereiro de 2011 
  3. «Tribunal Superior Eleitoral - Eleições 1996 - Apuração». Consultado em 21 de fevereiro de 2011. Arquivado do original em 18 de dezembro de 2010 
  4. «Tribunal Superior Eleitoral - Eleições 2000 - Apuração». Consultado em 21 de fevereiro de 2011. Arquivado do original em 23 de novembro de 2010 
  5. «Notícias». Nova FM. 1 de janeiro de 2005. Consultado em 21 de fevereiro de 2011 
  6. «Prefeitos de Pinhalzinho». Prefeitura Municipal de Pinhalzinho. Consultado em 21 de fevereiro de 2011 
  7. «Tribunal Superior Eleitoral - Eleições 2002 - Apuração». Consultado em 21 de fevereiro de 2011. Arquivado do original em 3 de março de 2016 
  8. «Tribunal Superior Eleitoral - Eleições 2004 - Apuração». Consultado em 21 de fevereiro de 2011. Arquivado do original em 24 de novembro de 2010 
  9. «UOL - Eleições 2008 - Apuração - Chapecó». Consultado em 21 de fevereiro de 2011 
  10. «José Cláudio Caramori é o novo prefeito de Chapecó». Super Condá AM 610. 1 de abril de 2010. Consultado em 21 de fevereiro de 2011 
  11. «UOL - Eleições 2010 - Apuração - Santa Catarina». Consultado em 21 de fevereiro de 2011 
  12. Eleições 2014 - João Rodrigues 5555
  13. «Deputados federais de SC tomam posse em Brasília». Consultado em 3 de fevereiro de 2015. Arquivado do original em 3 de fevereiro de 2015 
  14. «Deputados assistem pornografia durante a votação da reforma política». Veja São Paulo. Consultado em 28 de maio de 2015 
  15. a b c d G1 (2 de agosto de 2017). «Veja como deputados votaram no impeachment de Dilma, na PEC 241, na reforma trabalhista e na denúncia contra Temer». Consultado em 11 de outubro de 2017 
  16. Redação (27 de abril de 2017). «Reforma trabalhista: como votaram os deputados». Consultado em 18 de setembro de 2017 
  17. Carta Capital (3 de agosto de 2017). «Como votou cada deputado sobre a denúncia contra Temer». Consultado em 18 de setembro de 2017 
  18. «PF prende deputado João Rodrigues por risco de fuga e prescrição de pena - Notícias - Política». Política 
  19. «STF determina prisão de deputado condenado em segunda instância». Congresso em Foco 
  20. «PF prende deputado João Rodrigues por risco de fuga e prescrição de pena - Notícias - Política». Política 
  21. «Deputado João Rodrigues tenta fugir para o Paraguai e é preso pela PF». Valor Econômico 
  22. MARUIM (19 de junho de 2015). «'Não é ressocialização: preso é pra cumprir pena'». MARUIM. Consultado em 30 de março de 2018 
  23. «Deputado prega 'faxina de bandidos' em comissão que discute o desarmamento - Notícias - Política». Política 
  24. «João Rodrigues é acusado de superfaturar R$ 8 milhões» (em inglês) 
  25. http://www.mpf.mp.br/, Ministério Publico Federal -. «MPF/SC processa ex-prefeito de Chapecó por superfaturamento em merenda escolar». MPF 
  26. «Fossá pede saída da secretária Astrit Tozzo por suspeita de direcionamento e superfaturamento da merenda escolar». Cleiton Fossá - Vereador em Chapecó/SC 
  27. «Família de Chiarello divulga laudo da USP que aponta morte por homicídio». Santa Catarina. 7 de agosto de 2013 
  28. «Memória e sede de justiça: Quem matou Marcelino Chiarello? | Brasil de Fato». Brasil de Fato. 3 de dezembro de 2016 
  29. «Eleições 2020: João Rodrigues (PSD) é eleito prefeito de Chapecó». www.nsctotal.com.br. Consultado em 1 de dezembro de 2020 
  30. «João Rodrigues toma posse e anuncia flexibilizações em Chapecó». ndmais.com.br. 1 de janeiro de 2021. Consultado em 8 de abril de 2021 
  31. «Chapecó reforçou 'tratamento precoce' um mês antes do colapso na Saúde». www.nsctotal.com.br. Consultado em 8 de abril de 2021 
  32. «Elogiada por Bolsonaro, Chapecó teve 4 vezes mais mortes por Covid em 2021». www.band.uol.com.br. Consultado em 8 de abril de 2021 
  33. «Covid: Elogiada por Bolsonaro, Chapecó tem mortalidade superior à média nacional». CNN Brasil. Consultado em 8 de abril de 2021 
  34. «"Não importa se é bilionário ou sem-teto, não há leito de UTI em Chapecó e no oeste catarinense", diz prefeito da cidade | GZH». gauchazh.clicrbs.com.br. Consultado em 8 de abril de 2021 
  35. «Profissionais de saúde de Chapecó discordam de prefeito que gravou vídeo otimista sobre Covid». Folha de S. Paulo. 6 de abril de 2021. Consultado em 8 de abril de 2021 
  36. chapecó, Prefeitura de. «Prefeito anuncia toque de recolher e fechamento do comércio». Prefeitura de chapecó. Consultado em 8 de abril de 2021 
  37. «Chapecó, cidade elogiada por Bolsonaro no combate à Covid, tem mortalidade maior que a média nacional». G1. Consultado em 8 de abril de 2021 
  38. a b «Bolsonaro publica vídeo de prefeito que incentiva tratamento precoce contra covid-19». Poder360. 5 de abril de 2021. Consultado em 8 de abril de 2021 
  39. «[Agência Lupa] #Verificamos: É falso que Chapecó zerou internações de infectados com Covid-19». Agência Lupa. 6 de abril de 2021. Consultado em 8 de abril de 2021 
  40. «Exemplo para Bolsonaro, Chapecó ainda tem UTIs lotadas e letalidade acima da média». www.nsctotal.com.br. Consultado em 8 de abril de 2021 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um político brasileiro é um esboço relacionado ao Projeto Biografias de Políticos. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.