João Roma

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
João Roma
3º Ministro da Cidadania do Brasil
Período 12 de fevereiro de 2021
a atualidade
Presidente Jair Bolsonaro
Antecessor(a) Onyx Lorenzoni
Deputado Federal pela Bahia
Período 1º de fevereiro de 2018
a atualidade [a]
Dados pessoais
Nome completo João Inácio Ribeiro Roma Neto
Nascimento 17 de novembro de 1972 (48 anos)
Recife, Pernambuco
Nacionalidade brasileiro
Parentesco João Roma (avô)
Partido PFL (1993-2007)
DEM (2007-2016)
Republicanos (2016-presente)
Profissão empresário[carece de fontes?]
político
Website www.joaoroma.com.br

João Inácio Ribeiro Roma Neto (Recife, 17 de novembro de 1972) é um político brasileiro, filiado ao Republicanos e atual ministro da Cidadania.[1] Formado em direito, foi eleito deputado federal pela Bahia em outubro de 2018, encontrando-se licenciado do cargo.[2][3]

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

É casado com Roberta Roma e é filho de João Inácio Ribeiro Roma Filho.[4] É ainda neto de João Roma, conhecido na política pernambucana por ter sido deputado federal por três vezes nas décadas de 1950 e 1960, filiado à Aliança Renovadora Nacional (ARENA), e secretário estadual de Segurança Pública no governo de Barbosa Lima Sobrinho e dos Negócios do Interior e Justiça no governo de Paulo Guerra.[5]

João Roma descende diretamente do revolucionário Padre Roma que liderou o movimento separatista de 1817 no Pernambuco.[6]

Carreira política[editar | editar código-fonte]

Foi assessor do governo de Pernambuco entre 1991 e 1994,[7][8] durante gestão de Joaquim Francisco, filiado ao Partido da Frente Liberal (PFL). Entre 1995 e 1998, atuou na esfera federal, na administração de Fernando Henrique Cardoso, como assessor do Ministério da Administração e Reforma do Estado. Ainda na administração federal, foi delegado do Ministério da Cultura para o Nordeste, entre 1999 e 2002, e chefe do escritório da Agência Nacional do Petróleo (ANP) em Salvador entre 2002 e 2004.[7][8] Nesse tempo, foi eleito, em maio de 2003, membro da direção executiva nacional do então PFL como presidente nacional do PFL Jovem.[9]

Desde o início do primeiro mandato ACM Neto na Prefeitura de Salvador, em 2013, foi chefe de gabinete do prefeito.[7][8] Saiu do cargo em 2018, para concorrer às eleição para deputado federal.[10]

Em novembro de 2015, recebeu o título de cidadão soteropolitano pela Câmara Municipal de Salvador, proposto pelo vereador Claudio Tinoco, do partido Democratas (DEM).[4]

Nas eleições estaduais em outubro de 2018, concorreu filiado ao Partido Republicano Brasileiro (PRB) para deputado federal pela Bahia e foi eleito com 84 455 votos para o mandato de fevereiro de 2019 a fevereiro de 2023.[2][3]

Atividades parlamentares[editar | editar código-fonte]

João Roma foi designado presidente da comissão mista que debate a Medida Provisória 870/2019, editada por Jair Bolsonaro, que trata da reforma ministerial,[11] foi indicado como membro suplente da Comissão de Constituição e Justiça e Cidadania - CCJC,[12] e assumiu a relatoria da reforma tributária (PEC 45/19).[13] É também membro suplente da Comissão de Minas e Energia - CME,[14] e foi relator do Projeto de Decreto Legislativo nº 7/2019, que dispõe sobre a preservação dos descontos já concedidos na conta de energia elétrica dos produtores rurais e irrigantes.[15] Em maio de 2019, apresentou a emenda EMC 62/2019 à reforma da previdência para que agentes municipais de segurança pública tenham direito a aposentadoria especial.[16]

Ministro da Cidadania[editar | editar código-fonte]

João Roma foi escolhido para suceder Onyx Lorenzoni no Ministério da Cidadania, representando o Republicanos no gabinete presidencial.[17] Licenciou-se do mandato de deputado federal para assumir, fazendo com que Tia Eron assumisse sua vaga.[18]

Esse movimento de Roma em direção ao Ministério da Cidadania ocorreu em meio a controvérsias: como antecedente havia uma ruptura entre o ex-presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, (DEM) e o presidente nacional do partido - e aliado de Roma - Antônio Carlos Magalhães Neto.[19] O afastamento entre ambos se deu no decorrer da campanha para a eleição da Mesa Diretora da Câmara em 2021 quando, por uma articulação feita por ACM Neto, retirou-se o apoio formal do Democratas à frente parlamentar que tentava eleger o deputado Baleia Rossi (MDB) às vésperas do pleito. Esse fato foi interpretado por Maia - que havia feito acordo com o bloco - como uma traição, mas ACM Neto afirmou que apenas tentara apaziguar os parlamentares do DEM que pretendiam se alinhar à candidatura de Arthur Lira.[19] A indicação de Roma foi criticada por Rodrigo Maia, que usou suas redes sociais para insinuar que ACM Neto havia feito o partido perder sua independência em relação ao governo em troca da nomeação ministerial de um próximo.[20] Nada obstante, ACM Neto negou a acusação e também usou suas redes sociais para criticar a indicação, alegando ser lamentável que Roma tivesse aceito o ministério.[19][21] Segundo o presidente do DEM, Roma estaria trilhando um caminho próprio ao consentir em integrar o Governo Bolsonaro: “Se a intenção do Palácio do Planalto é me intimidar, limitar a expressão das minhas opiniões ou reduzir as minhas críticas, serviu antes para reforçar a minha certeza de que me manter distante do governo federal é o caminho certo a ser trilhado, pelo bem do Brasil”.[6] Os aliados históricos de João Roma desfizeram algumas alianças em sua base de sustentação na Bahia. Na mesma semana da indicação, um dos secretários da gestão de Bruno Reis (DEM) - o prefeito de Salvador - foi exonerado devido às suas ligações com o novo Ministro da Cidadania.[6]

Notas

  1. Licenciado a partir de 12 de fevereiro de 2021

Referências

  1. «Aliado de ACM Neto e integrante do centrão, João Roma é nomeado ministro da Cidadania». Folha de S.Paulo. 12 de fevereiro de 2021. Consultado em 12 de fevereiro de 2021 
  2. a b «João Roma». Gazeta do Povo. Cópia arquivada em 18 de março de 2019 
  3. a b «Deputado(a) Federal JOÃO ROMA». Portal da Câmara dos Deputados. Consultado em 22 de março de 2019 
  4. a b «João Roma recebe título de cidadão soteropolitano». Bahia Notícias. Consultado em 22 de março de 2019 
  5. «Biografia do Deputado(a) Federal JOÃO ROMA». Portal da Câmara dos Deputados. Consultado em 22 de março de 2019 
  6. a b c «'Menudo' de ACM Neto, novo ministro de Bolsonaro tem raízes em PE, ascendeu na BA e busca caminho próprio». Folha de S.Paulo. 14 de fevereiro de 2021. Consultado em 15 de fevereiro de 2021 
  7. a b c G1 BA (14 de dezembro de 2012). «Confira o perfil dos secretários e gestores escolhidos por ACM Neto». G1. Consultado em 22 de março de 2019 
  8. a b c «Conheça o perfil dos secretários escolhidos pelo prefeito ACM Neto». Jornal CORREIO. 14 de dezembro de 2012. Consultado em 22 de março de 2019 
  9. «Veja a composição da nova Executiva Nacional do PFL». Folha Online. 8 de maio de 2003. Consultado em 22 de março de 2019 
  10. «João Roma». Republicanos10. Consultado em 18 de agosto de 2020 
  11. «Comissão debate MP que reorganiza ministérios do governo Jair Bolsonaro». Senado Federal. Consultado em 31 de maio de 2019 
  12. «Membros». Portal da Câmara dos Deputados. Consultado em 31 de maio de 2019 
  13. «Relator da reforma tributária apresenta parecer favorável na CCJ». Agência Brasil. 16 de maio de 2019. Consultado em 31 de maio de 2019 
  14. «Membros». Portal da Câmara dos Deputados. Consultado em 31 de maio de 2019 
  15. «João Roma defende decreto que assegura descontos na conta de energia elétrica dos trabalhadores rurais | Política Livre». Consultado em 31 de maio de 2019 
  16. «Deputado propõe aposentadoria especial para agentes municipais de segurança». O Antagonista. 29 de maio de 2019. Consultado em 31 de maio de 2019 
  17. «Bolsonaro transfere Onyx para a Secretaria-Geral e nomeia aliado de ACM Neto para Cidadania». G1. Consultado em 12 de fevereiro de 2021 
  18. «Baianos em ministério podem devolver vida política a Tia Eron | Política Livre» (em inglês). Consultado em 12 de fevereiro de 2021 
  19. a b c «Painel: ACM Neto diz a aliados que Bolsonaro ganhou inimigo após nomeação de deputado na Cidadania». Folha de S.Paulo. 13 de fevereiro de 2021. Consultado em 15 de fevereiro de 2021 
  20. «Nomeação de aliado de ACM Neto para ministro mostra 'tamanho do caráter' de ex-prefeito, diz Maia». G1. Consultado em 12 de fevereiro de 2021 
  21. Teófilo', 'Sarah (12 de fevereiro de 320). «ACM Neto diz lamentar que aliado tenha aceitado assumir Cidadania». Política. Consultado em 13 de fevereiro de 2021  Verifique data em: |data= (ajuda)