João de Bourbon

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
João de Bourbon
Infante de Espanha
Conde de Barcelona
Pretendente ao trono espanhol
João de Bourbon (à direita)
Esposa Maria das Mercedes de Bourbon-Duas Sicílias
Descendência Infanta Pilar, duquesa de Badajoz
Rei Juan Carlos de Espanha
Infanta Margarida, duquesa de Soria
Infante Afonso de Espanha
Casa Bourbon
Nome completo
João Carlos Teresa Silverio Alfonso
Nascimento 20 de junho de 1913
  Palacio Real de La Granja de San Ildefonso, Real Sitio de San Ildefonso, Espanha
Morte 1 de abril de 1993 (79 anos)
  Clínica Universidade de Navarra, Pamplona, Espanha
Enterro Mosteiro Real de El Escorial, San Lorenzo de El Escorial, Espanha
Pai Afonso XIII de Espanha
Mãe Vitória Eugénia de Battenberg


João de Borbon e Battenberg, Conde de Barcelona, em castelhano Juan de Borbón y Battenberg GCC (Santo Ildefonso, 20 de junho de 1913 - Pamplona, 1 de abril de 1993), foi pretendente a coroa espanhola, era filho de Afonso XIII de Espanha e de Vitória Eugénia de Battenberg, e o avô do actual rei da Espanha, Filipe VI.

Apresenta uma rica biografia, por ter sido o pretendente ao trono e permanecido exilado no Estoril (Portugal) durante o longo governo ditatorial de Francisco Franco. José Luis de Vilallonga, em vários dos seus livros, relata as vicissitudes experimentadas pelo personagem, bem como suas divergências históricas com Franco. A biografia mais completa e real é o livro D. Juan, escrito por Luís Maria Anson membro da Real Academia Espanhola e membro do Conselho Privado do Conde de Barcelona. Apesar delas, permitiu que seu filho, o futuro Juan Carlos, fosse educado na Espanha, sob a tutela e supervisão de Franco e de seus assessores. Depois da ascensão do filho ao trono, veio a renunciar aos seus direitos dinásticos.

A 31 de janeiro de 1986 foi agraciado com a Grã-Cruz da Ordem Militar de Cristo de Portugal.[1]

Morreu em 1993, na Espanha, durante o reinado de seu filho Juan Carlos.

Biografia[editar | editar código-fonte]

A família real espanhola foi para o exílio em 14 de abril de 1931 depois de umas eleições municipais terem colocado republicanos no poder nas maiores cidades, levando à proclamação da Segunda República em Espanha. Alfonso XIII esperava que o seu exílio impedisse a guerra civil entre republicanos e nacionalistas. A família foi primeiro para França e depois para Itália. Pouco tempo junto depois, indo ela viver no Reino Unido, e, depois de o governo do país lhe ter pedido para sair, foi viver na Suíça, onde ela comprou um castelo, o Vieille Fontaine, perto de Lausanne.

Em 1938, toda a família juntou-se em Roma para o batismo do filho mais velho de Don Juan, Juan Carlos de Espanha. Em 15 de janeiro de 1941, Alfonso XIII, sentindo a morte próxima, abdicou dos seus direitos ao trono, deixando-os ao filho Don Juan de Borbon, conde de Barcelona. Em 12 de fevereiro, Alfonso sofreu um primeiro ataque do coração. Alfonso morreu a 28 de fevereiro de 1941. Em 1942, foi obrigada a deixar Itália por se ter tornado persona non grata para o governo italiano - de acordo com Harold Tittmann, um representante dos Estados Unidos no Vaticano nessa altura, pelo "apoio à causa Aliada".

Descendência[editar | editar código-fonte]

Nome Nascimento Casamento

Data | Cônjuge

Seus filhos Seus netos
Pilar de Espanha 30 de julho de 1936 5 de maio de 1967 Luís Gómez-Acebo Simoneta Luísa Gómez-Acebo e Bourbon Luis

Juan Pablo

María de las Mercedes

Juan Filiberto Nicolás Gómez-Acebo y de Borbón Nicolás
Bruno Alejandro Gómez-Acebo y de Borbón Alejandro Juan

Guillermo

Juan Carlos de Espanha 5 de janeiro de 1938 14 de maio de 1962 Sofia da Grécia e Dinamarca Elena, Duque de Lugo Felipe de Marichalar e BourbonVictoria de Marichalar e Bourbon
Cristina de Espanha Juan Valentín Urdangarin y Borbón

Pablo Nicolas Urdangarin y Borbón

Miguel Urdangarin y Borbón

Irene Urdangarin y Borbón

Filipe VI de Espanha Leonor, Princesa das Astúrias

Sofia de Espanha

Margarida de Espanha 6 de março de 1939 12 de outubro de 1972 Carlos Zurita, Duque de Soria Alfonso Zurita y Juan Carlos de Borbón

María Emilia Sofia Zurita y de Borbón

Afonso de Espanha 3 de outubro de 1941 29 de março de 1956

Genealogia[editar | editar código-fonte]

Os antepassados de João de Bourbon em três gerações
João de Bourbon Pai:

Afonso XIII de Espanha

Avô paterno:

Afonso XII de Espanha

Bisavô paterno:

Francisco, Duque de Cádis

Bisavó paterna:

Isabel II de Espanha

Avó paterna:

Maria Cristina da Áustria

Bisavô paterno:

Carlos Fernando da Áustria-Teschen

Bisavó paterna:

Isabel Francisca da Áustria-Toscana

Mãe:

Vitória Eugénia de Battenberg

Avô materno:

Henrique de Battenberg

Bisavô materno:

Alexandre de Hesse e Reno

Bisavó materna:

Julia de Battenberg

Avó materna:

Beatriz do Reino Unido

Bisavô materno:

Alberto de Saxe-Coburgo-Gota

Bisavó materna:

Vitória do Reino Unido

Referências

  1. «Cidadãos Estrangeiras Agraciados com Ordens Nacionais». Resultado da busca de "Juan de Borbón". Presidência da República Portuguesa (Ordens Honoríficas Portuguesas). Consultado em 1 de março de 2016 

Nota[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre João de Bourbon
Títulos pretendidos
Precedido por:
Afonso XIII
— TITULAR —
Coat of Arms of Juan, Count of Barcelona, after the renounce of his claim to the Throne.svg
Rei da Espanha
1941 - 1977
Motivo para a sucessão falhar:
Monarquia abolida;
Segunda República Espanhola em vigor
Vago
Próximo detentor do título:
Juan Carlos
Monarquia restaurada