João de Sousa (arcebispo)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Se procura pelo(a) pelo governador da Capitania de Pernambuco, veja João de Sousa (governador).
Dom João de Sousa
Arcebispo da Igreja Católica

Título

Arcebispo de Lisboa
Ordenação e nomeação
Ordenação episcopal 16 de abril de 1684
Nomeado arcebispo 24 de setembro de 1696
Brasão arquiepiscopal
Archbishop CoA PioM.svg
Dados pessoais
Nascimento Flag John IV of Portugal (alternative).svg Lisboa
1647
Morte Flag of Portugal (1707).svg Lisboa
29 de setembro de 1710 (63 anos)[1]
dados em catholic-hierarchy.org
Arcebispos
Categoria:Hierarquia católica
Projeto Catolicismo

João de Sousa (1647[1] - 29 de setembro de 1710) foi um arcebispo português, bispo do Porto, arcebispo de Braga e arcebispo de Lisboa.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Dom João era filho de Tomé de Sousa, 8.º Senhor de Gouveia com Dona Francisca de Meneses, e sobrinho de Dom Diogo de Sousa, arcebispo de Évora.[1] Doutorou-se em direito canônico pela Universidade de Coimbra. Foi deputado no Tribunal do Santo Ofício e sumilher da cortina do Príncipe Pedro.[1] Assim, foi eleito Bispo de Miranda, do qual declinou.

Formou-se em cânones na Universidade de Coimbra, e entrando depois no serviço do Santo Ofício, foi deputado em Évora, sendo já arcediago de Santa Cristina, no arcebispado de Braga, tendo também o cargo de sumílher da cortina de D. Pedro II.[2] Em 1682, serviu na Armada e foi a Turim conduzir o Duque de Saboia como seu sumilher. No seu retorno, no tempo em que D. Diogo de Sousa, seu tio, era arcebispo de Évora; exerceu o cargo de presidente da Relação Eclesiástica dessa cidade. Foi, depois deputado da inquisição de Lisboa, tendo recusado o priorado mor de Palmela e o bispado de Miranda.[2] No entanto, aceitou então o lugar de bispo do Porto e teve seu nome confirmado pelo Papa Inocêncio XI em 1684,[1] sendo consagrado em 16 de abril pelo cardeal Dom Veríssimo de Lencastre, auxiliado por Dom Manuel Pereira, bispo-emérito de São Sebastião do Rio de Janeiro e por Dom António de Santa Maria, bispo-titular de Diocaesarea in Isauria.[3] Permaneceu na diocese até 1696, quando foi elevado a arcebispo de Braga. Deus a sua entrada solene em 29 de Junho de 1697.[4] Ficou naquela sé até 1703, quando foi transferido para a Sé lisboeta. Pela sua obra e extrema humildade, recebeu elogios por Breve apostólico do Papa Inocêncio XII.[1]

Dom Pedro II e Dom João V envidaram esforços para que o arcebispo se tornasse um purpurado, mas quando iria ser nomeado pelo Papa Clemente XI, faleceu em 29 de setembro de 1710.[1] Está enterrado no cemitério dos pobres na antiga catedral, sem epitáfio e em humilde sepultura, como tinha determinado.[1]

Referências

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Precedido por
Fernando Correia de Lacerda
Brasão episcopal
Bispo do Porto

16841696
Sucedido por
José de Santa Maria Saldanha, O.F.M.
Precedido por
José de Meneses
Brasão arquiepiscopal
Arcebispo de Braga

16961703
Sucedido por
Rodrigo de Moura Teles
Precedido por
Luís de Sousa
Brasão arquiepiscopal
Arcebispo de Lisboa

17031710
Sucedido por
Tomás de Almeida
patriarca de Lisboa Ocidental