Jo Jorgensen

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Jo Jorgensen
Jorgensen em campanha em 2020
Dados pessoais
Nascimento 1 de maio de 1957 (64 anos)
Libertyville (Illinois), EUA
Alma mater Universidade Baylor (BS)
Partido Partido Libertário
Website Sítio da campanha

Jo Jorgensen (nascida em 1 de maio de 1957) é uma acadêmica e ativista política libertária americana. Jorgensen é a atual candidata do Partido Libertário para o cargo de presidente dos Estados Unidos nas eleições de 2020.[1] Anteriormente ela foi indicada a vice-presidente pelo partido nas eleições presidenciais dos EUA de 1996, na chapa de Harry Browne.[2] Ela também foi indicada para concorrer ao cargo de congressista na Câmara dos Representantes pelo 4º distrito da Carolina do Sul em 1992, recebendo 4.286 votos, ou 2,2% dos votos.

Juventude e carreira[editar | editar código-fonte]

Jorgensen nasceu em 1° de maio de 1957 em Libertyville, Illinois e foi criada na cidade vizinha, Grayslake. Ela foi aluna do Grayslake Central High School.[3] Seus avós eram imigrantes dinamarqueses .

Jorgensen recebeu o título de bacharel em psicologia pela Universidade Baylor em 1979 e logo em seguida, em 1980, um mestrado em administração de empresas pela Universidade Metodista Meridional. Ela iniciou sua carreira profissional na IBM trabalhando com sistemas computacionais e saiu de lá para se tornar co-proprietária e presidente da Digitech, Inc.[4] Em 2002, ela recebeu um Ph.D. em Psicologia Industrial e Organizacional pela Universidade Clemson. [5] Atualmente ela leciona em tempo integral, desde 2006, como professora sênior de Psicologia na Universidade Clemson.[6][7]

Histórico eleitoral[editar | editar código-fonte]

Campanha para a Câmara dos Representantes dos EUA em 1992[editar | editar código-fonte]

O primeiro cargo para o qual Jorgensen concorreu foi nas eleições de 1992 para a Câmara dos Representantes dos Estados Unidos. Ela concorreu pelo Partido Libertário para representar o 4° distrito da Carolina do Sul, no noroeste do estado, contra a democrata Liz J. Patterson e o republicano Bob Inglis. Jorgensen ficou em terceiro lugar com 2,2% do total de votos.

4º Distrito Congressional da Carolina do Sul

Resultado das Eleições de 1992

Partido Candidato Votos %
Republicano Bob Inglis 99.879 50,3
Democrata Liz J. Patterson 94.182 47,5
Libertário Jo Jorgensen 4.286 2,2
Margem de vitória 5.697 2,8
Comparecimento 198.410

Campanha vice-presidencial de 1996[editar | editar código-fonte]

Na eleição presidencial de 1996, o Partido Libertário indicou Jorgensen para ser companheira de chapa de Harry Browne, que concorria ao cargo de presidente dos Estados Unidos. Jorgensen foi indicada na primeira votação com 92% dos votos.[8][9] Ela participou de um debate vice-presidencial televisionado em todo o país pela C-SPAN em 22 de outubro, junto com Herbert Titus do Partido dos Contribuintes e Mike Tompkins do Partido da Lei Natural.[10]

A chapa de Browne e Jorgensen esteve presente nas urnas de todos os cinquenta estados e em Washington D.C. e recebeu 485.759 votos no total. O resultado os colocou em quinto lugar com 0,5% dos votos. Na época, este foi o melhor desempenho do Partido Libertário desde 1980.

Campanha presidencial de 2020[editar | editar código-fonte]

Em 13 de agosto de 2019, Jorgensen entrou com um processo na Comissão Eleitoral Federal (FEC) para concorrer à nomeação presidencial Libertária na eleição de 2020.[11] Sua campanha foi lançada formalmente na convenção do Partido Libertário da Carolina do Sul em 2 de novembro de 2019, antes de participar do debate presidencial oficial do partido, que ocorreu no mesmo dia.[12]

Nas primárias libertárias, Jorgensen ficou em segundo lugar no voto popular cumulativo, vencendo duas das 12 primárias.[13][14]

Em 23 de maio de 2020, Jorgensen se tornou a candidata oficial do Partido Libertário à presidência, tornando-se a primeira mulher a ser indicada pelo partido e a única candidata mulher nas eleições presidenciais de 2020 com pouco mais de 51% dos votos na quarta votação.[15] Spike Cohen foi nomeado vice-presidente de Jorgensen;[16] Cohen se identifica como um anarquista.[17] No mesmo dia, os apoiadores de Jorgensen reaproveitaram o slogan não oficial da campanha de 2016 de Hillary Clinton, "I'm With Her" (Eu estou com ela). O slogan ganhou destaque no Twitter naquela noite e chegou às manchetes nacionais.[18] Ela ainda não registrou apoio significante nas pesquisas eleitorais.[19]

Posições políticas[editar | editar código-fonte]

Saúde e seguridade social[editar | editar código-fonte]

Jorgensen apóia um sistema de saúde privado, que cobre diretamente os indivíduos por seus gastos e assim permita que os indivíduos mantenham todas as economias, o que ela acredita criar um incentivo maior para os provedores de saúde competirem atendendo à demanda do consumidor por serviços de baixo custo.[20][21][22] Ela se opõe a um sistema universal de saúde pública, chamando-o de "desastroso".

Jorgensen também apoia a substituição do sistema de seguridade social por contas individuais de aposentadoria.[23] No debate final das primárias, o candidato Jacob Hornberger acusou Jorgensen de "apoiar um estado de bem-estar social por meio da Previdência Social e do Medicare "; Em resposta, Jorgensen chamou a Previdência Social de um "esquema Ponzi" e disse que, em seu primeiro dia de mandato, permitiria que os americanos desistissem do programa. No entanto, ela enfatizou a incapacidade constitucional de um presidente de encerrar unilateralmente o programa sem o apoio do Congresso, bem como a necessidade de o governo cumprir as obrigações já existentes com a Previdência Social. [24] [25] De acordo com o plano de Jorgensen, qualquer pessoa poderia optar por sair da Previdência Social e investir 6,2% de seus impostos sobre os salários futuros em contas individuais que seriam utilizadas para fornecer renda após eles se aposentarem.[26]

Justiça criminal e política de drogas[editar | editar código-fonte]

Jorgensen se opõe ao confisco de bens civis, que permite que policiais confisquem bens e propriedades que eles suspeitem ter relação com algum crime[27] e também se opõe à imunidade qualificada, dispositivo que protege os funcionários públicos de acusações caso eles violem os direitos de alguém, a menos que haja "direitos claramente estabelecidos" protegendo a vítima.[28][29] Jorgensen se opõe à guerra contra as drogas e apoia a abolição das leis sobre drogas, prometendo perdoar todos os infratores não-violentos.[30] Ela também pediu a desmilitarização da polícia.[31]

Política externa e defesa[editar | editar código-fonte]

Jorgensen se opõe a embargos, sanções econômicas e ajudas externas; ela apóia o não-intervencionismo, a neutralidade armada e a retirada das tropas americanas do exterior.[32][33][28][34]

Imigração, economia e comércio[editar | editar código-fonte]

Jorgensen é totalmente contrária a qualquer imposto sobre riqueza e, para ela, a pobreza é culpa do governo. Por isso, ela propõe a eliminação de políticas e regulamentações governamentais que, do seu ponto de vista, aumentam os custos de habitação, saúde e novos negócios.[35] Ela apoia o corte de gastos do governo para reduzir impostos.[36]

Jorgensen apoia a liberdade dos cidadãos americanos de viajar e fazer comércio e pede a eliminação de barreiras comerciais e tarifárias. Também apoia a revogação de cotas sobre o número de pessoas que podem entrar legalmente nos Estados Unidos para trabalhar, visitar ou residir.[37] Em um debate presidencial libertário nas primárias, Jorgensen disse que pararia imediatamente a construção do muro da fronteira dos Estados Unidos com o México, proposto pelo presidente Donald Trump. Durante outro debate primário, ela culpou a cobertura da mídia pelo sentimento anti-imigração, pois esta seria desproporcional sobre crimes cometidos por imigrantes e argumentou que a imigração ajuda a economia e que a diversidade cultural é benéfica.[38][39][40][41]

COVID-19[editar | editar código-fonte]

Jorgensen caracterizou a resposta do governo dos EUA à pandemia COVID-19 como excessivamente burocrática e autoritária, chamando as restrições ao comportamento individual (como as ordens para ficar em casa) e os resgates corporativos "o maior ataque às nossas liberdades em nossa vida".[21][42][43]

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

Jorgensen é casada e tem duas filhas adultas e um neto.[44]

Referências

  1. Winger, Richard (23 de maio de 2020). «Jo Jorgensen Wins Libertarian Presidential Nomination on Fourth Vote». Ballot Access Date. Consultado em 24 de abril de 2020. Cópia arquivada em 24 de maio de 2020 
  2. «Greenville Woman To Run For Vice President». Herald-Journal. Associated Press. 11 de julho de 1996. pp. A3?. Consultado em 1 de junho de 2012. Cópia arquivada em 11 de junho de 2020 
  3. Susnjara, Bob (25 de maio de 2020). «Woman who grew up in Grayslake is Libertarian Party's presidential pick». Daily Herald. Consultado em 25 de maio de 2020. Cópia arquivada em 26 de maio de 2020 
  4. «Jo Jorgenson | Meet Our Faculty | Who We Are | Center for Corporate and Professional Development». Furman University. Consultado em 25 de abril de 2020. Cópia arquivada em 6 de dezembro de 2017 
  5. «College of Behavioral, Social and Health Sciences | Faculty and Staff Profile». Clemson University. Consultado em 8 de fevereiro de 2020. Cópia arquivada em 10 de junho de 2020 
  6. «About Jo Jorgensen Campaign». Consultado em 14 de agosto de 2020 
  7. «Faculty – Department of Psychology». Clemson University. Consultado em 14 de setembro de 2019. Cópia arquivada em 10 de junho de 2020 
  8. Broder, David S. (7 de julho de 1996). «SEEKING POLITICAL BREAKTHROUGH, LIBERTARIANS PICK HARRY BROWNE». Washington Post. Consultado em 13 de abril de 2020. Cópia arquivada em 12 de junho de 2020 
  9. «Libertarian Convention Acceptance Speeches». C-SPAN Video Library. 6 de julho de 1996. Consultado em 27 de maio de 2012 
  10. «Third Party Vice Presidential Debate». www.c-span.org. Consultado em 20 de julho de 2020. Cópia arquivada em 12 de junho de 2020 
  11. «Jorgensen, Jo CANDIDATE FOR PRESIDENT ID: P00013524». FEC.gov. 13 de agosto de 2019. Consultado em 14 de setembro de 2014. Cópia arquivada em 19 de outubro de 2019 
  12. Welch, Matt (7 de novembro de 2019). «Candidates Vie to Represent the Libertarian Wing of the Libertarian Party». Reason. Consultado em 12 de fevereiro de 2020. Cópia arquivada em 14 de dezembro de 2019 
  13. «Resultados não oficiais das primárias». Secretaria de Estado do Nebraska. 12 de maio de 2020. Consultado em 24 de setembro de 2020 
  14. «Novo México - Resultados das primárias». Secretaria de Estado do Novo México. 19 de junho de 2020. Consultado em 24 de setembro de 2020 
  15. Brian Doherty (23 de maio de 2020). «Jo Jorgensen Wins Libertarian Party Presidential Nomination». Reason.com (em inglês). Consultado em 24 de maio de 2020. Cópia arquivada em 23 de maio de 2020 
  16. Steinhauser, Paul (20 de maio de 2020). «Libertarians pick first female presidential nominee». Fox News (em inglês). Consultado em 26 de maio de 2020. Cópia arquivada em 25 de maio de 2020 
  17. Doherty, Brian (24 de maio de 2020). «O Partido Libertário escolhe Spike Cohen como seu candidato a vice-presidente». Consultado em 24 de setembro de 2020 
  18. Obeidallah, Dean. «The truth about 'I'm with her'». www.cnn.com. Consultado em 3 de junho de 2020. Cópia arquivada em 3 de junho de 2020 
  19. Jeremy W. Peters, 'Hidden' Trump Voters Exist. But How Much Impact Will They Have?, New York Times (August 16, 2020).
  20. «Libertarian Party Presidential Candidate Jo Jorgensen campaigns in Wisconsin». WSAW. Consultado em 14 de agosto de 2020 
  21. a b «Jorgensen Brings Pragmatic Approach to Libertarian Presidential Campaign». The Amarillo Pioneer (em inglês). Consultado em 24 de maio de 2020. Cópia arquivada em 11 de junho de 2020 
  22. «Libertarian Presidential Contender Jo Jorgensen Wants To Combine Principle With Palatable Persuasion». Reason.com (em inglês). 21 de maio de 2020. Consultado em 24 de maio de 2020. Cópia arquivada em 24 de maio de 2020 
  23. «Social Security». Consultado em 14 de agosto de 2020 
  24. Doherty, Brian (22 de maio de 2020). «Libertarian Party Presidential Debate Offers Choice Between All Liberty Now or Moving the Ball of Liberty Down the Field». Reason. Consultado em 7 de agosto de 2020 
  25. «Final Libertarian Presidential Debate with John Stossel». YouTube. LibertarianParty. 21 de maio de 2020. Consultado em 7 de agosto de 2020 
  26. «Social Security Would Be Drastically Changed Under This Presidential Candidate's Plan». Consultado em 29 de junho de 2020. Cópia arquivada em 29 de junho de 2020 
  27. Corrêa, Alessandra (12 de junho de 2015). «Polícia nos EUA lucra milhões confiscando dinheiro de inocentes, diz relatório». Consultado em 24 de setembro de 2020 
  28. a b «Jo Jorgensen's Bold, Practical, Libertarian Vision for America's Future». Jo Jorgensen for President 2020 (em inglês). Consultado em 24 de maio de 2020. Cópia arquivada em 25 de maio de 2020 
  29. Uchoa, Pablo (5 de junho de 2020). «Protestos por George Floyd: a 'imunidade qualificada' que protege policiais que matam em serviço nos EUA». Consultado em 24 de setembro de 2020 
  30. Dinan, Stephen (12 de junho de 2020). «Libertarian nominee says Trump, Biden both tainted on race». Washington Times (em inglês). Consultado em 21 de junho de 2020. Cópia arquivada em 20 de junho de 2020 
  31. DiStaso, John (4 de junho de 2020). «NH Primary Source: Libertarian presidential candidate Jorgensen urges end of police 'militarization'». WMUR (em inglês). Consultado em 18 de junho de 2020. Cópia arquivada em 18 de junho de 2020 
  32. «Turn America into One Giant Switzerland: Armed and Neutral». Jo Jorgensen for President 2020 (em inglês). Consultado em 24 de maio de 2020. Cópia arquivada em 9 de junho de 2020 
  33. Doherty, Brian (21 de maio de 2020). «Libertarian Presidential Contender Jo Jorgensen Wants To Combine Principle With Palatable Persuasion». Reason (em inglês). Consultado em 24 de maio de 2020. Cópia arquivada em 24 de maio de 2020 
  34. Redman, Jamie (9 de junho de 2020). «2020 Libertarian Presidential Candidate Jo Jorgensen Talks Bitcoin, Endless Wars, Covid-19 Response». Bitcoin.com 
  35. Solem, Rick (13 de junho de 2020). «The other 'Jo' wants your 2020 vote, if you're fed up with the two-party system, or if you're not». WIZM News Talk 1410 AM 
  36. «Taxes», Jo Jorgensen for President 
  37. «Trade and Immigration | Libertarian Candidates stance | 2020». Consultado em 14 de agosto de 2020 
  38. «Libertarian Party Presidential Debate Offers Choice Between All Liberty Now or Moving the Ball of Liberty Down the Field». Reason. 22 de maio de 2020. Consultado em 22 de maio de 2020. Cópia arquivada em 22 de maio de 2020 
  39. «Final Libertarian Presidential Debate with John Stossel». Youtube.com. Consultado em 21 de maio de 2020. Cópia arquivada em 12 de julho de 2020 
  40. «Libertarian Party of Kentucky Presidential Debates: the Finale». Youtube. Consultado em 9 de maio de 2020. Cópia arquivada em 11 de julho de 2020 
  41. Cami Mondeaux, “The alternative presidential candidate: Jo Jorgensen runs for the Libertarian Party”, KLS News radio 102.7 FM, July 5, 2020
  42. «Libertarian Party Presidential Debate Offers Choice Between All Liberty Now or Moving the Ball of Liberty Down the Field». Reason. 22 de maio de 2020. Consultado em 22 de maio de 2020. Cópia arquivada em 22 de maio de 2020 
  43. «NH Primary Source: Libertarian presidential candidate Jorgensen urges end of police 'militarization'». www.wmur.com. Consultado em 18 de junho de 2020. Cópia arquivada em 18 de junho de 2020 
  44. «Archived copy». Consultado em 9 de julho de 2020. Cópia arquivada em 4 de junho de 2020