Joachim Lebreton

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Lebreton, por Adelaide Labille-Guiard, 1795

Joaquim Lebreton (Saint-Méen-le-Grand, França, 1760Rio de Janeiro, 1819) foi um professor, administrador e legislador francês.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Lebreton começou as suas atividades como professor de Retórica no Collége de Tulle.

No contexto da Revolução Francesa, à época do Diretório, foi nomeado administrador das Belas Artes do Ministério do Interior. Participou do golpe de estado do 18 de Brumário, tornando-se, no ano VIII da Revolução, membro do Tribunat, e, no seculo XI, membro do Institut de France; desde o ano XII, era ainda membro da Légion d'honneur.

Com a Restauração, foi afastado de seus cargos e obrigado a se exilar, vindo a conseguir refúgio no Brasil, sob a proteção da família real portuguesa, ali instalada desde 1808.

Lebreton aportou no Rio de Janeiro em 1816, como encarregado de chefiar a Missão Artística Francesa. Faleceu poucos anos após a sua chegada ao Brasil, sem que os seus projetos de implantar um ensino artístico sistematizado tivessem sido de todo materializados.

Obra[editar | editar código-fonte]

Enquanto secretário perpétuo da seção de Belas-Artes do Instituto Lebreton formulou um julgamento aprofundado e engajado nas discussões artísticas de seu tempo.