Joachim Yhombi-Opango

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Joachim Yhombi-Opango
Presidente da República do Congo
Período 4 de abril de 1977
a 5 de fevereiro de 1979
Antecessor(a) Marien Ngouabi
Sucessor(a) Jean-Pierre Thystère Tchicaya
Primeiro-ministro da República do Congo
Período 23 de junho de 1993
a 27 de agosto de 1996
Presidente Pascal Lissouba
Antecessor(a) Claude Antoine Dacosta
Sucessor(a) Charles David Ganao
Dados pessoais
Nome completo Jacques Joachim Yhombi-Opango
Nascimento 12 de janeiro de 1939
Owando, República do Congo
Morte 30 de março de 2020 (81 anos)
Neuilly-sur-Seine, França

Jacques Joachim Yhombi-Opango (Owando, 12 de janeiro de 1939Neuilly-sur-Seine, 30 de março de 2020) foi um político da República do Congo. Foi presidente da República de abril de 1977 a fevereiro de 1979 e primeiro-ministro de junho de 1993 a agosto de 1996. Militar de profissão, era um oficial do exército congolês e se tornou o primeiro general do país.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Yhombi-Opango nasceu em Fort Rousset (agora Owando) na região de Cuvette, no norte do Congo.[1] Sob a presidência de Marien Ngouabi, exerceu a chefia do estado-maior do exército (com o posto de major). Suspenso dessa posição em 30 de julho de 1970, posteriormente foi restaurado.[2] Era membro do Partido Trabalhista Congolês (PCT) e estava associado à direita do partido.[1]

Elementos esquerdistas do PCT afirmaram em uma transmissão no rádio Voz da Revolução, em 22 de fevereiro de 1972, que Yhombi-Opango estava tentando tomar o poder em um golpe de direita e que havia ordenado a prisão de membros do Bureau Político do PCT. Esta alegação foi parte de uma tentativa mal sucedida de golpe liderada pelo tenente Ange Diawara.[3]

Yhombi-Opango tornou-se membro do Comitê Central do PCT em 1972. Foi promovido ao posto de coronel e tornou-se membro do Bureau Político do PCT em janeiro de 1973.[1]

Após o assassinato de Ngouabi em março de 1977, Yhombi-Opango tornou-se chefe de Estado. Exerceu o cargo por quase dois anos até ser forçado a renunciar em fevereiro de 1979.[4] Acusado de tentar formar uma "facção de direita" no PCT, foi mantido detido por vários anos por seu sucessor, o presidente Denis Sassou Nguesso.[5]

Além de ser colocado em prisão domiciliar, foi expulso do PCT e sua propriedade foi confiscada em 1979. Ademais, foi rebaixado do posto de general para o de soldado, de acordo com um anúncio em 20 de outubro de 1979. [6] Sassou Nguesso anunciou a libertação de Yhombi-Opango quando de sua posse para um segundo mandato como Presidente em 10 de novembro de 1984,[5][7] citando "o interesse da unidade nacional e da paz".

Yhombi-Opango foi o candidato do seu partido, o Reagrupamento para a Democracia e o Desenvolvimento (RDD), na eleição presidencial de agosto de 1992, tomando o sexto lugar com 3,49% dos votos.[8] Em sua região natal, Cuvette, ele ficou em segundo lugar, com 27% dos votos, atrás de Sassou Nguesso.[9]

Ele se aliou ao presidente Pascal Lissouba e à União Pan-Africana para a Social Democracia (UPADS), no primeiro turno da eleição parlamentar de 1993, realizada em maio. Após as eleições, Lissouba nomeou-o primeiro-ministro em 23 de junho. 1993. A oposição contestou os resultados e uma grave disputa política eclodiu, tentando impedir a criação de um governo rival.[10]

Yhombi-Opango renunciou em 13 de janeiro de 1995 para que Lissouba estivesse livre para consultar outras partes na formação de um novo governo. Ele foi prontamente reeleito como primeiro-ministro, com um novo governo - incluindo quatro membros da oposição União para a Renovação Democrática (URD) - sendo nomeado em 23 de janeiro.[11]

Alguns membros da UPADS que pertenciam ao grupo étnico Téke, de Lissouba, pediram a renúncia de Yhombi-Opango em 1996, porque queriam que o primeiro-ministro também fosse um Téke. Como resultado, Yombi-Opango renunciou em 23 de agosto de 1996. Lissouba nomeou Charles David Ganao para substituí-lo em 27 de agosto.[12][13]

Morreu no dia 30 de março de 2020, aos 81 anos, em decorrência do COVID-19.[14]

Notas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c Bazenguissa-Ganga, Rémy (1997). Les voies du politique au Congo: essai de sociologie historique (em francês). [S.l.]: Karthala Editions. 447 páginas 
  2. "Jul 1971 - Reorganization of Council of State - Communist Chinese aid - Alleged anti-government plots", Keesing's Record of World Events, volume 17, July 1971, page 24,724.
  3. "Mar 1972 - Abortive left-wing coup", Keesing's Record of World Events, volume 18, March 1972, page 25,147.
  4. Clark, John F. (1997). Clark, John F.; Gardinier, David E., eds. "Congo: Transition and the Struggle to Consolidate". Political Reform in Francophone Africa: 64, 65.
  5. a b Jun 1986 - Release of former President - Party and Cabinet changes - Economic problems - Census", Keesing's Record of World Events, volume 32, June 1986, page 34,406
  6. "Jan 1980 - General Elections and Referendum on New Constitution - Earlier Appointment of New Council of Ministers - Other Developments", Keesing's Record of World Events, volume 26, January 1980, page 30,059.
  7. «LE CONGO DE 82 A 97». afriquepluriel.ruwenzori.net. Consultado em 28 de março de 2019 
  8. Xavier Bienvenu Kitsimbou,"La démocratie et les réalités ethniques au Congo" , University of Nancy II, October 26, 2001, pages 104–105 (in French).
  9. Clark, John F. (1997). Clark, John F.; Gardinier, David E., eds. "Congo: Transition and the Struggle to Consolidate". Political Reform in Francophone Africa: 71.
  10. I. William Zartman and Katharina R. Vogeli, "Prevention Gained and Prevention Lost: Collapse, Competition, and Coup in Congo", in Opportunities Missed, Opportunities Seized: Preventive Diplomacy in the Post-Cold War World (2000), ed. Bruce W. Jentleson, pages 273–274.
  11. "Jan 1995 - New Congo Cabinet", Keesing's Record of World Events, volume 41, January 1995, page 40,345.
  12. Joachim Emmanuel Goma-Thethet, "Alliances in the political and electoral process in the Republic of Congo 1991–97", in Liberal Democracy and Its Critics in Africa: Political Dysfunction and the Struggle for Social Progress (2005), ed. Tukumbi Lumumba-Kasongo, Zed Books, page 118.
  13. Aug 1996 - New Prime Minister", Keesing's Record of World Events, volume 42, August 1996, Congo, page 41,216.
  14. «Coronavirus : décès de l'ex-président congolais Yhombi Opango». Le Figaro (em francês). 30 de março de 2020. Consultado em 30 de março de 2020 
Ícone de esboço Este artigo sobre um político é um esboço relacionado ao Projeto Biografias de Políticos. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.