Joana de Montefeltro

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Ambox important.svg
Foram assinalados vários aspectos a serem melhorados nesta página ou se(c)ção:
Joana de Montefeltro
Princesa de Urbino
Duquesa Consorte de Sora
Consorte João Della Rovere
Casa Casa ducal de Urbino
Dinastia Montefeltro
Nascimento 1463
  Urbino
Morte 1514 (51 anos)
  Urbino
Filho(s) Maria Joana
Beatriz
Francisco Maria I, Duque de Urbino
Pai Frederico da Montefeltro
Mãe Batista Sforza

Joana de Montefeltro (em italiano: Giovanna da Montefeltro; Urbino, 1463 — Urbino, 1514) foi uma nobre italiana, princesa de Urbino e duquesa consorte de Sora e Arce.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Era a terceira filha[1]nascida do segundo casamento de Frederico da Montefeltro[2], duque de Urbino, com Batista Sforza, filha de Alexandre Sforza.

Ficou noiva em 22 de agosto de 1474 de João Della Rovere (Giovanni della Rovere), duque de Sora e Arce, senhor de Senigália e vigário papal de Mondavio, que em 1475 foi feito prefeito de Roma por seu tio, o Papa Sisto IV[3].

Do matrimónio, celebrado em 10 de maio de 1478, nasceram seis filhos:

  1. Maria Joana (Maria Giovanna) (1486-1538), que casou em primeiras núpcias com Venanzio da Varano, senhor de Camerino, e depois com Galeazzo Riario della Rovere Sforza, senador de Bolonha;
  2. Jerónimo (Girolamo) (1487-1492);
  3. Beatriz (Beatrice) (1488-1505), religiosa;
  4. Francisco Maria I (Francesco Maria) (1490- 1538), que casou com Leonor Gonzaga, e que herdou o Ducado de Urbino e o de Sora;
  5. Frederico (Federico) (1491-1494);
  6. Constança (Costanza) (1492-1507), religiosa.

Quando o marido morreu, a duquesa teve a tutela do herdeiro, Francisco Maria, e o governo dos territórios e na correspondência diplomática era expressamente designada com o título de Prefetessa.

Joana é também conhecida por ter protegido Rafael, existindo uma carta sua, datada de 1 de outubro de 1504, na qual recomenda Rafael ao gonfaloneiro de Florença Piero Soderini, para que este acolhesse na cidade o jovem artista. Alguns historiadores levantam a hipótese de, na sua obra La Muta ("Retrato de uma Dama"), Rafael ter retratado a duquesa [4].

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. vide em Sangiorgi, cit., pag. 94, nota 24
  2. http://genealogy.euweb.cz/italy/mtfeltro.html#GF2 Montefeltro[fonte confiável?]
  3. http://genealogy.euweb.cz/italy/rovere.html#GSA della Rovere[fonte confiável?]
  4. vide em Sangiorgi, cit., pag. 95

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • "Dynasties of the World", de John E. Morby, Oxford University Press, ISBN 0-19-860473-4
  • Fert Sangiorgi, "La Muta" di Raffaello : considerazioni storico-iconografiche, "Commentari", XXIV/1-2, 1973, pag. 90-97