Joanesburgo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto.
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Joanesburgo
Johannesburg
Vista de Joanesburgo.
Vista de Joanesburgo.
Bandeira oficial de Joanesburgo
Brasão oficial de Joanesburgo
Bandeira Brasão
Apelido: "Joburg; Jozi; Sauvageville, Egoli (Cidade de ouro); Gauteng Maboneng (Cidades das luzes); Joburg my Joburg, Joni; Maior cidade da África"
Lema: "Unidade de desenvolvimento"
Localização de Joanesburgo na província de Gauteng, África do Sul.
Localização de Joanesburgo na província de Gauteng, África do Sul.
País África do Sul
Província Gauteng
Prefeito Amos Masondo[1]
Área  
  Total 1.644,96 km²
População  
  Cidade (2007) 3.888.180
   -Densidade metropolitana   2.364/km²
  [2]
Website: www.joburg.org.za

Joanesburgo[3] ou Johannesburgo (em africâner e inglês Johannesburg) é a maior cidade da África do Sul. Com cerca de 5,3 milhões de habitantes, é a quarta maior do continente africano (superada pelo Cairo, Lagos e Kinshasa), e é a capital da província de Gauteng bem como sede da Corte Constitucional Sul-africana. Está a uma altitude de 1 753 metros acima do nível do mar. Foi fundada em 1886 com a descoberta de ouro na zona. Em 1900 tinha já 100 mil habitantes. É o maior centro industrial e financeiro do país.

Joanesburgo tem uma das 40 maiores áreas metropolitanas do mundo, e é uma cidade global. Apesar de às vezes ser confundida como capital da África do Sul, a cidade não é um dos centros políticos (apesar de Pretória, pertencer a sua região metropolitana).

Os habitantes locais apelidaram a cidade com o nome de "Jo'burg", "Jozi" e "eGoli". Devido à proximidade da cadeia de colinas de Witwatersrand, ricas em minerais, Joanesburgo é um centro de ouro e diamante em larga-escala.

De acordo com o censo de 2001, a população da cidade supera os três milhões. A área urbana é de 1644 km², resultando numa densidade de apenas 1,962 hab/km². Já a população da região metropolitana da Grande Joanesburgo chega a oito milhões. É em Joanesburgo que fica a township de Soweto, que ficou famosa por conta do apartheid.

O maior e mais movimentado aeroporto da África é o Aeroporto Internacional de Joanesburgo que, por conta disso, serve como principal portal de entrada para toda a parte meridional do continente africano.

História[editar | editar código-fonte]

Pré-história[editar | editar código-fonte]

A região que cerca a cidade de Joanesburgo é habitada há milhões de anos. Nas cavernas de Sterkfontein, a noroeste, foi encontrado um esqueleto completo de um hominídeo de 3,3 milhões de anos de idade bem como 700 espécimes de Australopithecus africanus, dentre eles Mrs Ples, que tem entre 2,8 e 2,3 milhões de anos de idade.

Há cerca de 100 mil anos, a região de Joanesburgo era habitada por nômades.

Mas só em 1060 a.C. que os povos conhecidos como Bantu migraram para a região. Os bantus eram um povo da Idade do Ferro que domesticava animais, cultivava o solo, trabalhava com metal, confeccionava potes de cerâmica e vivia em vilas organizadas.

Europeus[editar | editar código-fonte]

Os primeiros europeus que chegaram à área constituíam um pequeno grupo de bôeres que estabeleceram plantações. Até a década de 1880 nenhum assentamento havia sido estabelecido. Quando o ouro foi encontrado na região, em 1886, houve uma corrida ao material.

O ouro foi inicialmente encontrado a leste da atual Joanesburgo, em Barberton. Mineradores logo descobriram uma reserva ainda mais rica em Witwatersrand.

A cidade cresceu como um pequeno assentamento de mineradores, mas com a notícia do ouro se espalhando, milhares de pessoas de outras regiões estabeleceram-se na área, vindas principalmente da América do Norte, Reino Unido e do resto da Europa. Com a supervalorização das terras, as tensões cresceram entre os africânders, que controlavam a região durante o século XIX, e os britânicos, culminando na Segunda Guerra dos Bôeres. Os bôeres perderam a guerra e o controle da área foi cedido aos britânicos.

Apartheid[editar | editar código-fonte]

Com a União Sul-africana declarada em 1910, o governo passou a controlar mais as áreas de extração. Foi instituido um sistema racial em que negros e indianos seriam pesadamente taxados e barrados na contratação de trabalhos não-braçais.

O governo também instituiu a mudança forçada das população não-européias para áreas delimitadas. Foi neste sistema que foi criada a Township de South Western Townships, mais conhecida como Soweto onde Nelson Mandela viveu por diversos anos.

A violência em larga-escala de Soweto estourou em 1976, quando o Conselho Representativo de Estudantes organizou protestos contra o ensino da língua africâner, considerada como a língua opressora, em escolas negras. A polícia abriu fogo em uma dessas manifestações, e 1000 pessoas morreram nos doze meses seguintes. Um dos mártires mais famosos foi Hector Pieterson, que mereceu um grande museu dedicado a sua memória.

As regras do apartheid foram abolidas em fevereiro de 1990, e desde as eleições de 1994, Joanesburgo se viu livre das leis discriminatórias. A township negra foi integrada ao sistema de governo municipal. Apesar disso, há uma migração em larga-escala de homens de negócio e comerciantes saídos do distrito central e dos subúrbios ao sul em favor dos subúrbios ao norte da cidade, em parte devido ao aumento das taxas de homicídio, aos sérios problemas de congestionamento e ao inadequado sistema de transporte público.

Demografia[editar | editar código-fonte]

Joanesburgo vista de cima do Carlton Centre.

A população de Joanesburgo tem 73% de Negros Africanos, 16% de Brancos Europeus, Mestiços 6% e Asiáticos 4% de um total de mais de 3.8 milhões de habitantes.42% da população têm menos de 24 anos de idade,enquanto 6% estão acima dos 60 anos.37% dos residentes estão desempregados,destes 91% são negros.As mulheres compreendem 43% da população economicamente ativa;19% da PEA da cidade trabalha no setor de comércio,18% no setor financeiro,mercado imobiliário ou na área de negócios,17% nas áreas de prestação de serviços comunitários,socias ou pessoais e 12% estão no setor industrial;apenas 0.7% trabalham no setor de mineração.

Política[editar | editar código-fonte]

A cidade de Joanesburgo faz parte do Município Metropolitano de Joanesburgo, que é o seu órgão de governo local.[4] [5]

Cidades-irmãs[editar | editar código-fonte]

Joanesburgo é geminada com as seguintes cidades:

Economia[editar | editar código-fonte]

Imagem do distrito de Central Business, em Joanesburgo.

Turismo[editar | editar código-fonte]

Joanesburgo não é tradicionalmente conhecido como um destino turístico, mas a cidade é um ponto de escala de voos para Cidade do Cabo, Durban e o Parque Nacional Kruger. Consequentemente, a maioria dos visitantes estrangeiros da África do Sul passam por Joanesburgo pelo menos uma vez, que lidera no desenvolvimento de mais atrações turísticas. Trabalhos recentes se concentraram em torno dos museus de história do país, tais como o Museu do Apartheid e o Museu Hector Pieterson. Gold Reef City, um grande parque de diversões no sul do distrito de Central Business, também é um importante destino para os turistas da cidade. O Zoológico de Joanesburgo é um dos maiores do país.

A cidade tem vários museus de arte, como a Galeria de Arte de Joanesburgo, que se destaca com paisagens da África do Sul e da Europa e com pinturas figurativas. O Museu da África abrange a história de Joanesburgo, assim como uma grande coleção de arte rupestre. O complexo do Market Theatre alcançou notoriedade nas décadas de 1970 e 1980 e é hoje um centro da dramaturgia moderna sul-africana.

Há, também, uma vasta indústria em torno dos distritos visitados, como Soweto e Alexandra. A maioria dos visitantes de Soweto vão para ver o Museu de Mandela, que está situado na antiga casa de Nelson Mandela.

O Berço da Humanidade (Patrimônio Mundial) está a 25 quilômetros a noroeste da cidade. O sítio arqueológico de Sterkfontein é famoso por ser o mais rico sítio de hominídeos e por ter produzido o primeiro adulto Australopithecus africanus e o primeiro esqueleto quase completo de um Australopithecine anterior.

Cultura[editar | editar código-fonte]

Futebol[editar | editar código-fonte]

Joanesburgo tem uma grande tradição no futebol. Atualmente, possui cinco times na primeira divisão do campeonato sul-africano (Orlando Pirates, Bidvest Wits, Jomo Cosmos, Kaizer Chiefs e Morokota Swallows). A cidade também abriga dois estádios utilizados na Copa do Mundo FIFA de 2010, realizada na África do Sul: o Soccer City (antigo FNB Stadium) e o Ellis Park Stadium.[6]

Rugby[editar | editar código-fonte]

A cidade é sede do time do Lions que disputa a Currie Cup e o Super Rugby que joga no Ellis Park, a cidade também recebeu a final da Copa do Mundo de Rugby de 1995.

Vista panorâmica de Joanesburgo.
Vista panorâmica de Joanesburgo.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui multimídias sobre Joanesburgo
Ícone de esboço Este artigo sobre a África do Sul é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.