Joaquim Lobo de Macêdo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Joaryvar Macedo
Joaquim Lobo de Macêdo
Cidadania Brasil
Ocupação escritor

Joaquim Lôbo de Macêdo (Lavras da Mangabeira, 20 de maio de 1937 -- Fortaleza, 29 de janeiro de 1991), também conhecido como Joaryvar Macêdo, foi um escritor brasileiro.[1][2]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Filho de Antônio Lobo de Macêdo e Maria Torquato Gonçalves de Macêdo, Joaquim nasceu no sitio Calabaço, em Lavras da Mangabeira no Ceará. Casou-se com Antônia Saraiva de Macêdo com quem teve duas filhas: Jessen Violene de Macêdo e Karen Iracles de Macêdo e quatro netas Ana Macêdo Santos, Clara Macêdo Santos, Karine Macêdo Matos e Anike Macedo Matos.[3]

Foi aluno do seminário Diocesano do Crato e do Arquidiocesano de Fortaleza. Cursou Teologia nos Seminários de Olinda/PB e Recife/PE. Em 1965 ingressou na Faculdade de Filosofia do Crato. Pós-Graduou-se em Metodologia do Ensino Superior pela Universidade Católica de Salvador.

Lecionou em Juazeiro do Norte,no Ginásio Municipal Antônio Xavier de Oliveira, sob a direção da mestra Maria Assunção Gonçalves, também escritora e pintora de grande destaque. Durante sua estadia naquele estabelecimento, o mestre Joaryvar Macedo (como gostava de ser chamado) recebeu diversas críticas elogiosas da imprensa caririense e de entidades vinculadas à educação do Estado do Ceará, pela aplicação de uma nova metodologia voltada para o ensino da Língua Portuguesa no curso ginasial. Seu talento como docente deixou marcas indeléveis numa leva de alunos que tiveram o orgulho de tê-lo como mestre. Lecionou ainda na Faculdade de Filosofia do Crato e na Universidade Regional do Cariri. Fundou e dirigiu por mais de dez anos, o Instituto Cultural do Vale Caririense. Dedicou-se ao estudo da formação ética,histórica e cultural da Região do Cariri.

Transferiu-se para Fortaleza em 1983 onde assumiu o cargo de Assessor Especial do Presidente do Conselho de Educação do Ceará. Foi Secretário de Cultura e Desporto do Estado do Ceará no período de 1983 a 1987, e presidiu o Conselho Estadual de Cultura. Integrou o Conselho Estadual de Educação.[4]

Obras[editar | editar código-fonte]

  • Caderno de Loucuras - Versos, Empresa Gráfica Ltda, Crato - CE, 1965.
  • Discurso de Orador oficial da Turma de 1968, Faculdade de Filosofia de Crato - CE, 1968.
  • Apresentação de Fagundes Varela, Faculdade de Filosofia de Crato - CE, 1971.
  • Os Augustos, Imprensa Universitária da universidade Federal do Ceará, Fortaleza - CE, 1971.
  • Otacílio Macedo, Tipografia e Papelaria do Cariri, Crato - CE, 1972.
  • Um Bravo Caririense, Empresa Gráfica Ltda, Crato - CE, 1974.
  • O Poeta Lobo Manso, Instituto Cultural do Vale Caririrense, Juazeiro do Norte - CE, 1975.
  • A Estirpe da Santa Teresa, Imprensa Universitária da universidade Federal do Ceará, Fortaleza - CE, 1976.
  • Fagundes Varela e Outros Rabiscos, Crato - CE, Empresa Gráfica Ltda, 1978.
  • São Vicente das Lavras, Fortaleza, Secretaria de Cultura e Desporto, 1984
  • O Talento Poético de Alencar e Outros Estudos, Secretaria de Cultura e Desporto, Fortaleza,1984.
  • Povoamento e Povoadores do Cariri Cearense, IOCE, Fortaleza, 1985.
  • Antônio Lobo de Macedo - O Homem e o Poeta, Stylus Comunicação, Fortaleza, 1988.
  • Império do Bacamarte, Imprensa Universitária da Uni/versidade Federal do Ceará, Fortaleza, 1990.
  • Na Esfera das Letras, Edições Secult, Fortaleza, 2010.

Homenagens[editar | editar código-fonte]

  • Medalha José de Alencar do Governo do Estado,

Instituições culturais[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Joaryvar MACEDO». portal.ceara.pro.br (em inglês). Consultado em 30 de agosto de 2018 
  2. «CBG – Colégio Brasileiro de Genealogia: Joaquim Lôbo de Macedo». www.cbg.org.br. Consultado em 30 de agosto de 2018 
  3. (Dimas Macedo 2012, p.200)
  4. «Folha Ubajarense » Entrevista: Joaquim Lobo de Macedo». www.folhaubajarense.com.br (em árabe). Consultado em 30 de agosto de 2018 

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Dimas Macedo (2002): Martins Filho e Joaryvar Macedo, 2ª ed. Fortaleza, Edições Aceite.
  • Dimas Macedo (2012): Lavrenses Ilustres,3ª ed. Fortaleza, RDS Editora.
Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) escritor(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.