Joaquim Naegele

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Joaquim Antônio Langsdorf Naegele (Cantagalo, 2 de junho de 18993 de março de 1986) foi um maestro, compositor e jornalista brasileiro.

Biografia[editar | editar código-fonte]

O maestro Joaquim Naegele é uma das referências musicais no Brasil quando se trata de composição para bandas musicais.

Começou a estudar música ainda menino, sendo um de seus professores o ilustre maestro Francisco Braga, com o qual completou sua formação teórica.[1]

Em 1942, criou a Sociedade Musical Flor do Ritmo[2], situada no subúrbio da Piedade, transferindo-se em 1952 para o Méier, ambos no Rio de Janeiro. Alguns personagens de destaque na cultura brasileira, como Wilson das Neves, Elza Soares, Zeca Pagodinho, Bezerra da Silva e muitos outros, iniciaram sua formação musical em sua escola.

Foi jornalista na cidade de Miracema e membro do Conselho de Cultura do Estado do Rio de Janeiro. Maestro por vinte e cinco anos da Sociedade Musical Beneficente Campesina Friburguense[3], seu acervo musical e sua batuta foram doados pela família ao maestro Affonso Gonçalves dos Reis, da Banda Musical do Colégio Salesiano Santa Rosa de Niterói, que o acompanhou nos últimos tempos.

Atuou como militante político e patriota, destacando-se, sobretudo, como defensor na campanha O Petróleo É Nosso, nos anos 1950. Naegele foi preso e perseguido várias vezes, o que o motivou na composição de seu famoso dobrado A Voz do Cárcere. O dobrado Janjão, também de sua autoria, ficou conhecido internacionalmente ao virar prefixo da BBC de Londres, durante a Segunda Guerra Mundial.[1]

Composições[editar | editar código-fonte]

Suas composições, criadas exclusivamente para bandas de música, integram os acervos de partituras de todo o Brasil e sua lembrança é parte fundamental da memória das bandas centenárias.[4][5]

  • Dobrado Ouro Negro
  • Janjão
  • Mão de Luva
  • A Voz do Cárcere
  • Professor Celso Wotzenlogel
  • Rio Quatrocentão
  • Carlos Rotay
  • Carlos Teixeira
  • Prefeito Wilder S. de Paula
  • Passeio Trágico
  • José Naegele
  • A Estrela de Friburgo
  • A Canjerana
  • Dobrado Mestre Filó


Referências

  1. a b «Filhos Ilustres». Portal da Prefeitura Municipal de Cantagalo (RJ). Consultado em 15 de dezembro de 2014 
  2. José Campos Reinato (2010). Música Ao Seu Alcance Vol Ii. [S.l.]: Clube de Autores. p. 85. 214 páginas 
  3. «Maestro Joaquim Naegele». Sociedade Musical Beneficente Campesina Friburguense. Consultado em 24 de dezembro de 2014 
  4. «Série Repertório de Ouro das Bandas de Música do Brasil» (PDF). Fundação Nacional de Artes - FUNARTE. Consultado em 15 de dezembro de 2014 
  5. «memória do teatro musical do Rio de Janeiro». El Bufon. Consultado em 15 de dezembro de 2014