Joaquim Trigo de Negreiros

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Joaquim Trigo de Negreiros
Nascimento 11 de agosto de 1900
Mirandela
Morte 23 de março de 1973 (72 anos)
Lisboa
Cidadania Portugal
Alma mater Universidade de Coimbra
Ocupação político
Prêmios Grã-Cruz da Ordem Militar de Cristo, Grande-Oficial da Ordem Militar de Cristo

Joaquim Trigo de Negreiros (Longra, Mirandela, 11 de agosto de 1900Lisboa, 23 de março de 1973) foi um advogado e magistrado, formado em Direito pela Universidade de Coimbra (1923), que exerceu importantes cargos políticos durante o regime do Estado Novo, entre os quais o de presidente da Câmara Municipal de Vila Flor (1926-1927), governador civil do Distrito do Porto (1938-1940), Subsecretário de Estado das Corporações e Previdência Social (1940-1944), Secretário de Estado da Assistência Social e Ministro do Interior. Colaborou em vários jornais e revistas na área do Direito e da Assistência Social.[1]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Foi uma figura de grande influência no seu tempo. Foi Presidente da Câmara de Vila Flor (1926-1927), conservador do Registo Predial em Esposende e em Valpaços, exercendo advocacia na região do Porto até 1943.

Foi secretário do Tribunal da Relação do Porto (1934-1936) e depois delegado do Procurador da República junto daquele tribunal (1936-1938).

Foi governador civil do Distrito do Porto (1938-1940) ingressando de seguida no governo, primeiro como Subsecretário de Estado das Corporações e Previdência Social (1940-1944), passando a Secretário de Estado da Assistência Social. Foi Ministro do Interior (1950-1958).

A 30 de abril de 1942, foi agraciado com o grau de Grande-Oficial da Ordem Militar de Cristo, tendo sido elevado a Grã-Cruz da mesma Ordem a 15 de junho de 1955.[2]

Colaborou em vários jornais e revistas na área do Direito. Existe um busto em bronze de Joaquim Negreiros junto à entrada principal do Hospital de Mirandela, bem como na aldeia de Barcel, onde a sua familia por afinifade é natural.

Obras publicadas[editar | editar código-fonte]

  • Crédito Agrícola
  • Assistência social : princípios e realizações, separata do Boletim da Assistência Social, Lisboa, 1949.
  • Bragança: Da Terra e da Gente, Lisboa, 1949.
  • Seara de Deus, Lisboa, 1956.
  • Pensamento e Acção, Lisboa, 1957.
  • A Ordem Jurídica e a Revolução, Lisboa, Edições Panorama (1966).

Notas

  1. Nota biográfica de Joaquim Negreiros Arquivado em 23 de junho de 2013, no Wayback Machine. na Câmara Municipal de Mirandela.
  2. «Cidadãos Nacionais Agraciados com Ordens Portuguesas». Resultado da busca de "Joaquim Trigo de Negreiros". Presidência da República Portuguesa. Consultado em 10 de agosto de 2019 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]