Joe's Apartment

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde junho de 2014). Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde junho de 2014). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Joe's Apartment
Joe e as Baratas[1] (BRA)
Pôster promocional
 Estados Unidos
1996 •  cor •  77 min 
Direção John Payson
Produção Bonni Lee
Diana Phillips
Griffin Dunne
Judy McGrath
Roteiro John Payson
Baseado em Curta-metragem:
John Payson
Elenco Jerry O'Connell
Megan Ward
Gênero comédia musical
fantasia
Música Carter Burwell
Cinematografia Peter Deming
Edição Peter Frank
Companhia(s) produtora(s) Geffen Pictures
MTV Productions
Blue Sky Studios(animação)
Tenth Annual Industries(não creditado)
Distribuição Warner Bros.
Lançamento Estados Unidos 26 de julho de 1996
Portugal 20 de junho de 1997
Idioma inglês
Orçamento US$13 milhões
Receita US$4,619,014[2]

Joe's Apartment (Joe e as Baratas BRA ou Sexo, Baratas e Rock 'n' Roll PRT) é um filme de comédia musical de 1996 estrelado por Jerry O'Connell e Megan Ward e o primeiro filme produzido pela MTV Films. Ele foi baseado em um curta-metragem de 1992 pela primeira vez para a MTV. O filme foi dirigido por John Payson, com seqüências de animação computadorizada supervisionadas por Chris Wedge através da Blue Sky Studios.

O foco principal da história é o fato de que sem o conhecimento de muitos seres humanos, as baratas podem falar, mas preferem não falar, porque os humanos "esmagam primeiro e perguntam depois". Elas também cantam (como fazem muitas vezes no filme) e até mesmo tem seu próprio canal de TV a cabo. Atores que fornecem as vozes das baratas incluem Billy West, Jim Turner, Rick Aviles e Dave Chappelle.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

O jovem Joe sai da cidade natal, no interior do estado de Iowa e vai tentar a vida em Nova York. Chegando lá, ele se depara com a dificuldade de encontrar uma moradia. Depois de descobrir que a senhora Grotovisk morreu rolando escada abaixo, ele se passa por filho dela e consegue a casa para morar. Seu apartamento está num bairro suburbano e violento. Ao decorrer da história ele descobre que nesse apartamento vive um exército de "milhares" de baratas que resolvem adotá-lo como amigo.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Vozes das baratas[editar | editar código-fonte]

Produção[editar | editar código-fonte]

John Payson criou o curta-metragem Joe's Apt., que foi ao ar na MTV entre os intervalos comerciais. Payson disse que foi inspirado por um curta-metragem de 1987 chamado Those Damn Roaches e pelo filme japonês de 1987 Twilight of the Cockroaches, mais tarde um cruzamento de animação desenhada à mão e live-action. Após o curta receber um CableACE Award, os executivos da MTV ficaram suficiente impressionados para discutir a produção de uma adaptação para o cinema com Payson. Em 1993, a MTV fez um acordo com a Geffen Pictures durante o desenvolvimento para produzir filmes com base nas propriedades da rede e liberá-los através da Warner Bros.. Enquanto Joe's Apartment foi colocado em produção com um orçamento de $13 milhões de dólares, um filme de Beavis and Butt-Head também foi colocado em desenvolvimento.[3][4]

Joe's Apartment foi o primeiro longa-metragem que a Blue Sky Studios estava envolvida, tendo produzido logotipos de empresas e comerciais de animação antes. Sob a supervisão de Chris Wedge, Blue Sky produziu seqüências de animação computadorizada das baratas. No entanto, o filme também era misturado com cenas de teatro de fantoches, baratas reais e animação em stop-motion (incluindo a TV pornô das baratas). Os produtores da 20th Century Fox foram impressionados o suficiente com Joe's Apartment para adquirir a Blue Sky, e, eventualmente, o estúdio tornou-se uma empresa de filmes de animação.

Recepção[editar | editar código-fonte]

Mesmo com o faturamento entusiasmado como "o primeiro longa-metragem da MTV" e com o apoio da empresa, Joe's Apartment falhou quando abriu no dia 26 de julho de 1996. Abertura para 1,512 cinemas, mas recebendo um sombrio $1.8 milhão, o filme fechou todas as sessões em meados de agosto e terminou com apenas US$4.6 milhões. Warner vendeu os direitos de distribuição para posteriores produções da MTV Film de volta para empresa controladora da MTV, Viacom, não muito tempo depois.

As críticas foram universalmente negativas, principalmente descontente com a mistura de piadas repugnantes e humor musical. Revisão de Roger Ebert foi certamente contundente, afirmando que "Joe's Apartment seria uma péssima comédia mesmo sem as baratas, mas não seria nojento. Não, espere: Eu retiro o que disse. Mesmo sem as baratas, ainda teríamos a subtrama envolvendo os bolos desinfetantes cor de rosa de mictório"[5] Atualmente, o filme é avaliado apenas 19% no Rotten Tomatoes.

Apesar de, sem sucesso, começando com Joe's Apartment, MTV Films foi um empreendimento de sucesso iniciado com Beavis and Butt-head Do America do mesmo ano. Joe's Apartment já evoluiu para um pequeno filme cult.

Portal A Wikipédia tem os portais:

Referências

  1. Joe e as Baratas no InterFilmes (Brasil)
  2. Joe's Apartment (em inglês) no Box Office Mojo
  3. [1]
  4. [2]
  5. Ebert, Roger (2 de agosto de 1996). «Film Review: "Joe's Apartment"». Chicago Sun-Times. Consultado em 11 de junho de 2014 
Ícone de esboço Este artigo sobre um filme estadunidense é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.