Joe-Max Moore

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Joe-Max Moore
Informações pessoais
Nome completo Joe-Max Moore
Data de nasc. 23 de fevereiro de 1971 (44 anos)
Local de nasc. Tulsa,  Estados Unidos
Nacionalidade Sul-africano e norte-american
Altura 1,75 m
Informações profissionais
Clube atual Aposentado
Posição Atacante
Clubes de juventude
1990–1993 Estados Unidos UCLA
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos (golos/gols)
1994–1995
1995–1996
1996–1999
1997
1999–2003
2003–2004
Alemanha 1. FC Saarbrücken
Alemanha 1. FC Nürnberg
Estados Unidos New England Revolution
Equador Emelec (emp.)
Inglaterra Everton
Estados Unidos New England Revolution
0030 000(13)
0027 0000(8)
0075 000(35)
0
0037 000(10)
0019 0000(4)
Seleção nacional
1992-2002 Flag of the United States.svg Estados Unidos 100 (24)

Joe-Max Moore (Tulsa, 23 de fevereiro de 1971) é um ex-futebolista norte-americano. Atuou em três Copas do Mundo e em duas Olimpíadas.

Em abril de 2013, foi incluído no Hall da Fama do futebol dos Estados Unidos.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Como a grande maioria de seus contemporâneos, Moore começou a carreira jogando futebol universitário, representando a UCLA. Sua profissionalização, no entanto, ocorreu apenas em 1994, quando a Federação Norte-Americana emprestou o atacante ao 1. FC Saarbrücken. Em uma temporada, foram 25 jogos e 13 gols. Em 1995 foi para o 1. FC Nürnberg, onde atuou em 27 jogos e marcou 8 gols.

Com a criação da Major League Soccer em 1996, Moore voltou aos EUA para defender o New England Revolution, onde se destacaria: em quatro temporadas, disputou 90 partidas e fez 49 gols. Inicialmente, o italiano Giuseppe Galderisi fora contratado para liderar o ataque, mas uma lesão fez com que Moore ganhasse a titularidade.

Em novembro de 1997, os Rev's emprestaram o atacante para o Emelec, mas não chegou a jogar.

Foi contratado pelo Everton em novembro de 1999. Antes, Moore chegou a ser impedido pela MLS para defender outras equipes, exceto o New England Revolution, mas não inviabilizou a transferência do atacante para os Toffees. Em três temporadas, foram apenas 52 jogos e 8 gols. Em novembro de 2002, três anos após ser contratado, Moore rescindiu o vínculo com o Everton por "mútuo acordo" e voltou aos Rev's em 2003.

Prejudicado por lesões, o atacante pouco atuou em sua segunda passagem: 19 partidas e quatro gols marcados. Uma ruptura nos ligamentos do joelho encerrou a temporada 2004 para o atacante, que ainda pensou em voltar aos gramados em 2005. Porém, uma nova lesão durante a pré-temporada praticamente selou o destino do jogador. Em 25 de janeiro, operou o joelho e dois dias depois, anunciou sua aposentadoria.

Seleção[editar | editar código-fonte]

Convocado pela primeira vez à seleção dos EUA em 1992, Moore disputou o Campeonato Mundial de Futebol sub-20 de 1989. Dois anos depois, nos Jogos Panamericanos de Havana, marcou o gol da vitória sobre o México; em 1992 disputou as Olimpíadas de Barcelona, mas os norte-americanos ficaram na primeira fase.

Em Copas, Moore participou das edições de 1994, 1998 e 2002. Nesta última, fez a centésima partida pela equipe, ao entrar no lugar de Brian McBride na partida contra a Polônia. Com a eliminação dos EUA nas quartas-de-final pela Alemanha, Moore encerrou sua carreira internacional, com 100 partidas e 24 gols marcados.

Bandeira de Estados UnidosSoccer icon Este artigo sobre futebolistas estadunidenses é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.