Joel Branco

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
NoFonti.svg
Esta biografia de uma pessoa viva cita fontes confiáveis e independentes, mas elas não cobrem todo o texto. (desde maio de 2016) Ajude a melhorar esta biografia providenciando mais fontes confiáveis e independentes. Material controverso sobre pessoas vivas sem apoio de fontes confiáveis e verificáveis deve ser imediatamente removido, especialmente se for de natureza difamatória.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Joel Branco
Nome completo Joel Fernandes Branco
Nascimento 14 de janeiro de 1945 (73 anos)
Lisboa
Nacionalidade português
Ocupação Ator, cantor, dançarino
Atividade 1963-presente
Outros prémios
(1981) Prémio Imprensa : Melhor Actor de Teatro de Revista
IMDb: (inglês)

Joel Fernandes Branco (Lisboa, 14 de Janeiro de 1945) é um actor português. Faz especialmente trabalho televisivo, mas também teatro.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Joel Branco nasceu em 14 de Janeiro de 1945.[1]

Viveu sozinho na cidade do Porto, entre os 14 e os 18 anos, numa tentativa parental de o afastar das escolas de bailado.[2]

Iniciou a sua actividade artística como bailarino no Teatro Maria Vitória, em 1963.[1] Entrou também em Godspell, no Teatro Villaret[1]. Em 1976 gravou a canção "Algodão Doce". Em 1977 participou no Festival RTP da Canção, com o grupo Cara Ou Coroa, onde interpretam uma das versões de "Rita Rita Limão".

No âmbito exclusivamente televisivo, estreou-se em 1977 no programa A Feira da RTP, protagonizando em 1981 Branco, Sousa e Companhia com Victor de Sousa.[3] Com Herman José faz o popular "Olho Vivo e Zé de Olhão".

Em 1981, Joel Branco recebeu Prémio Imprensa de Melhor Actor de Teatro de Revista atribuído pela Casa da Imprensa, (o de Melhor Actriz foi para Ivone Silva e de Actriz Revelação para Maria Vieira),[4], e o Troféu Nova Gente da revista Nova Gente[1].

Desempenhou o papel de Afonso na telenovela Origens de 1983.

Na música cantou "Amigos Até ao Fim", defendeu "Uma Árvore, um Amigo", cantando a natureza, a paz e a amizade. Gravou vários temas da autoria do seu amigo Carlos Paião. O seu tema "A Gente Cresce Cresce" teve uma versão em finlandês ("Sateinen päivä") gravada em 1982 por Kirka.

O disco 76/86 - Cantigas Vol. 1, editado pela Movieplay Portuguesa em 1986, inclui o inédito "E a Peça Acabou" e outros sucessos do actor-cantor nos dez anos anteriores.

Na década de 2000, participou em produções de Filipe La Féria como Amália My Fair Lady: Minha Linda Senhora, A Canção de Lisboa, o Musical, Música no Coração ou Um Violino no Telhado.[1][3]

Em 2008, Joel Branco comemorou 45 anos de carreira, uma vida a dançar, representar ou cantar.[2]

Televisão[3][editar | editar código-fonte]

Teatro[editar | editar código-fonte]

† (Com transmissão televisiva)

Discografia[editar | editar código-fonte]

Singles[editar | editar código-fonte]

  • "Algodão Doce" / "Chapa Ganha, Chapa Gasta" (Movieplay, 1976) SP 26.019
  • "Rita Rita Limão", no grupo Cara Ou Coroa (1977)
  • "Olho Vivo e Zé de Olhão", com Herman José (Movieplay, 1978)[5]
  • "D. Roberto" / "Cidade, cidade" (Rossil, 1979) Rossil ROSS7041
  • "A Lareira Acesa"
  • "A Gente Cresce, Cresce..." / "Sete e Meia, Sete e Meia" (EMI, 1980)
  • "É Tão Giro" / "Volta A Volta" (EMI, 1981) 11C 008 40551 H
  • "Ora Toma" (1982)
  • "Nós Havemos de Cantar" / "Canta Samanta" (1983) VC 1VCS1043
  • "Uma Árvore, um Amigo" / "Piquenique, Piquenique" (Valentim de Carvalho, 1984)[5]
  • "Bailarina!" / "Amigos Até ao Fim" (Vaga/Transmédia, 1985) VS10008
  • "O Mundo É Teu" / "Viva Toda a Gente"

Compilações[editar | editar código-fonte]

  • 76/86 - Cantigas Vol. 1 (LP, Movieplay, 1986)

Outros[editar | editar código-fonte]

Compilações[editar | editar código-fonte]

  • Momentos de humor (CD, Movieplay, 1998, Colecção O Melhor dos Melhores) - "Olho Vivo e Zé de Olhão" com Herman José[6]
  • Histórias Mágicas (CD, Boa Memória, 1999) - História "O Rouxinol" de Hans Christian Andersen[7]

Referências

  1. a b c d e f g h i j k l m n «Ficha de Pessoa : "Joel Branco"». Centro de Estudos de Teatro & Tiago Certal. 13 de Novembro de 2012. Consultado em 16 de maio de 2016 
  2. a b Redacção (22 de janeiro de 2009). «Com 45 anos de carreira Joel Branco diz que ainda espera o papel da sua vida». Revista Caras. Consultado em 16 de maio de 2016 
  3. a b c d e f g h i j Joel Branco (em inglês) no Internet Movie Database. Consultado em 2016-05-18.
  4. «Prémios Bordalo». Sindicato do Jornalistas. 22 de janeiro de 2002. Consultado em 16 de maio de 2016 
  5. a b «Discografia de Joel Branco» (em inglês). Discogs. Consultado em 18 de maio de 2016 
  6. «Catálogo - Detalhes do registo de "Momentos de humor : vários artistas"». Fonoteca Municipal de Lisboa. Consultado em 18 de maio de 2016 
  7. «Catálogo - Detalhes do registo de "Histórias mágicas"». Fonoteca Municipal de Lisboa. Consultado em 18 de maio de 2016 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) cantor é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
Ícone de esboço Este artigo sobre um ator é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.