Joelma Mendes

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Este artigo é sobre a cantora brasileira e ex-vocalista da Banda Calypso. Para outros significados, veja Joelma.
Joelma
Joelma durante uma apresentação em setembro de 2018
Nome completo Joelma da Silva Mendes
Nascimento 22 de junho de 1974 (46 anos)
Almeirim, Pará, Brasil
Cônjuge Ximbinha (c. 2003; div. 2015)
Filho(s) 3
Ocupação
Período de atividade 1994–presente
Carreira musical
Gênero(s)
Extensão vocal meio-soprano
Instrumento(s)
Gravadora(s)
Afiliações
Assinatura
Joelma signature.svg
Página oficial
joelmaoficial.com.br

Joelma da Silva Mendes (Almeirim, 22 de junho de 1974), mais conhecida apenas como Joelma, é uma cantora, compositora, dançarina, coreógrafa, estilista e empresária brasileira.[1] Sua carreira teve início em 1994.[2] Em 1999, formou em companhia do guitarrista Ximbinha, seu cônjuge até então, a Banda Calypso. O casal atingiu o auge comercial de sua carreira na década de 2000, tornando-se líderes absolutos na vendagem de discos no país: o registro Banda Calypso pelo Brasil (2006) foi responsável pelo seu maior recorde de vendas, tendo vendido, ao todo, mais de 2 milhões de cópias, estabelecendo-se como um dos álbuns mais vendidos de todos os tempos no Brasil, e recebendo certificação de disco de diamante quíntuplo pelas vendas do DVD, sendo a única banda musical brasileira a conseguir este feito. Em 2007, em levantamento realizado pelo instituto Datafolha, Joelma e Ximbinha eram os artistas mais populares do país. Em 2015, eles se divorciaram e encerraram as atividades em conjunto.

Após o fim da banda em dezembro de 2015, Joelma passou quase três meses seguintes concentrando seus esforços na produção de sua estreia em carreira solo; em abril de 2016, ela lançou seu álbum de estreia solo autointitulado Joelma, que foi precedido pelo hit single "Não Teve Amor" e alcançou a segunda posição na parada de álbuns da Pro-Música Brasil (PMB). Em abril de 2017, lançou seu primeiro álbum ao vivo, Avante, que teve como carro-chefe a canção "Amor Novo". Em julho de 2020, Joelma lançou seu segundo registro ao vivo, 25 Anos.

Ao longo de sua carreira, Joelma, que é uma dos artistas recordistas em vendas de discos no Brasil, vendeu mais de 20 milhões de álbuns e acumulou diversas vitórias e indicações a prêmios importantes da música, incluindo três indicações ao Grammy Latino. Ela é reconhecida como um ícone da música do Pará e tem sido creditada por levantar a bandeira de seu estilo musical e do seu estado de origem nos maiores meios de comunicação nacional.

Início da vida e carreira[editar | editar código-fonte]

Joelma da Silva Mendes nasceu em 22 de junho de 1974 em Almeirim, no Pará.[3][4][5] Ela é a quinta dos sete filhos da costureira Maria de Nazaré da Silva Mendes e de José Benahum Mendes (falecido em 2019).[6][7] Seu pai abandonou a família quando Joelma tinha entre sete e oito anos de idade.[8][9][10] Devido a isso, ela e os irmãos foram obrigados a ser criados apenas pela mãe em condições precárias, pois o mesmo era alcoólatra e, por efeito do vício, agredia brutalmente a esposa.[11][12][13][14] Em retrospecto, numa entrevista para a Marie Claire, Joelma comentou: "Alimentei o ódio pelo meu próprio pai desde aquela noite em que vi minha mãe com o rosto surrado. Nunca esqueço que passei boa parte da infância achando que podia perdê-la a qualquer momento em que ele bebesse demais". Anos após o abandono de seu genitor, dois de seus irmãos foram assassinados.[7]

"Eu sempre ficava cantarolando nos intervalos da escola. Aí um amigo, que fazia teclado e voz no barzinho, ficou um ano me chamando pra cantar com ele. Eu entrei por diversão. Eu entrava na música e dava muito certo. Aí eu saía, minha vida não andava. Quando completei 23 anos, disse: é agora ou nunca. Embarquei nisso e deu tudo certo."

— Joelma sobre o início de sua carreira musical.[15]

Embora desejasse ingressar na profissão de advogada,[3][16] por ser um sonho de infância, Joelma começou a cantar por intermédio de um colega de escola que a incitava a cantar com ele em pequenos bares e festivais locais.[15] Aos 19 anos, tornou-se conhecida na região depois de se apresentar na Feira de Arte e Cultura de Almeirim (FEARCA).[3] Por esta época, ela foi descoberta por uma proprietária da Banda Fazendo Arte que a convidou para ir à Belém realizar um teste a fim de integrar os vocais do grupo. Com certo reluto, Joelma recusava o convite, no entanto, acabou aceitando-o e foi selecionada.[5][17] Com o grupo, lançou dois álbuns, sendo eles Fazendo Arte (1994) e II (1996).[18][19]

Sua saída da banda, aos 23 anos de idade, impulsionou-lhe a decisão de gravar um álbum solo e estava a procura de um produtor musical que produzisse este trabalho, sendo apresentada pelo cantor e compositor Kim Marques ao guitarrista Ximbinha, que era responsável pela produção de vários artistas de Belém. Logo depois de se conhecerem e concluírem o álbum, Joelma e Ximbinha começaram a namorar e não queriam a divisão no ramo profissional por conta da relação.[20] À vista disso, decidiram fundar, juntos, uma banda musical,[21][22] batizada de Banda Calypso.[23]

Carreira[editar | editar código-fonte]

1999–2015: Banda Calypso[editar | editar código-fonte]

O álbum de estreia dos artistas, a princípio, foi difícil para ser lançado. O trabalho de Joelma e Ximbinha foi recusado por diversas gravadoras, até que conseguiram uma parceria que possibilitou uma vendagem limitada de mil unidades do disco que foram esgotadas em uma semana.[20][24] O álbum, autointitulado Banda Calypso, foi lançado em novembro de 1999 e ficou marcado pelo sucesso de "Dançando Calypso", recebendo certificação de disco de ouro e ultrapassando a marca de 750 mil cópias vendidas.[21][25][26][27] Entre 2001 e 2002, tiveram uma breve parceria com a gravadora Sony Music, pela qual lançaram o primeiro álbum ao vivo da banda, Ao Vivo (2002), que foi condecorado com disco de ouro pela Pro-Música Brasil (PMB).[28]

Joelma e Ximbinha em show da Banda Calypso em janeiro de 2003.

O segundo e terceiro álbum de estúdio – O Ritmo Que Conquistou o Brasil! (2002) e Volume 4 (2003) – conquistaram os certificados de disco de ouro e disco de platina,[29][30] respectivamente, e produziram singles como "Chamo por Você", "Temporal" e "Maridos e Esposas",[21][31] bem como "Pra Te Esquecer" e "Imagino".[32] O segundo álbum ao vivo e primeiro DVD dos artistas, Ao Vivo, foi lançado em novembro de 2003. O registro audiovisual recebeu certificado de disco de diamante duplo pelas vendas do DVD.[29][33] Em outubro de 2004, o casal lançou seu quarto álbum de estúdio, Volume 6. O álbum, premiado com disco de diamante,[34] vendeu mais de um milhão de cópias e ficou marcado pelo sucesso do single "A Lua Me Traiu".[35][36] Em novembro, durante um "show histórico" no sambódromo de Manaus, a banda gravou seu terceiro álbum ao vivo e segundo DVD, Banda Calypso na Amazônia,[29] lançado em fevereiro de 2005. A obra recebeu disco de diamante triplo pelas vendas do DVD.[34][37]

Joelma e Ximbinha se apresentando durante um concerto em março de 2006.

Em outubro de 2005, foi lançado o quinto álbum de estúdio, Volume 8, que vendeu mais de 1,8 milhão de cópias e foi condecorado com disco de diamante.[38][39][40] O álbum produziu singles como "Tchau pra Você", "Pra Me Conquistar", "Isso é Calypso" e "Esqueça Meu Coração" e foi responsável pela primeira indicação da banda ao Grammy Latino de Melhor Álbum de Música de Raízes em Língua Portuguesa,[41] e, embora tenham acumulado três nomeações ao prêmio durante a carreira, nunca o venceram.[42] Em setembro de 2006, a banda lançou seu quarto álbum ao vivo e terceiro DVD, intitulado Banda Calypso pelo Brasil, que consiste em uma combinação de gravações realizadas em Brasília, Rio de Janeiro, Recife, Salvador e Belém.[22][43][44] Banda Calypso pelo Brasil foi considerado um "divisor de águas" na carreira de Joelma e Ximbinha; o projeto recebeu disco de diamante pelas vendas do CD e disco de diamante quíntuplo pelas vendas do DVD – tornando-se a única banda musical brasileira a alcançar este nível de certificação –,[44][45][46][47] vendeu, ao todo, mais de 2 milhões de cópias e se tornou um dos álbuns mais vendidos de todos os tempos no Brasil.[48] Também em 2006, Joelma e Ximbinha se apresentaram para um público de 1,5 milhão de pessoas em Nova Iorque, durante o festival Brazilian Day.[49][50]

Em janeiro de 2007, eles lançaram seu sexto álbum de estúdio, 10, que gerou singles como "Louca Sedução", "Acelerou" e "Nessa Balada". O álbum, condecorado com disco de diamante,[51] vendeu mais de um milhão de cópias e apareceu no top 10 de álbuns mais vendidos no Japão.[52][53] No mesmo ano, a Banda Calypso foi homenageada no Carnaval de Manaus pela escola de samba Balaku Blaku.[54] Em julho, em pesquisa publicada pelo instituto Datafolha, Joelma e Ximbinha eram os artistas mais populares do Brasil.[55] Em novembro de 2007, o casal lançou seu quinto álbum ao vivo e quarto DVD, Ao Vivo em Goiânia.[56]

Em junho de 2008, foi lançado, através da gravadora Som Livre, o sétimo álbum de estúdio dos artistas, Acústico, com setlist formada por diversos hits da carreira e seis músicas inéditas.[57] A PMB condecorou o álbum com disco de ouro.[28] Também em 2008, a banda foi escolhida por voto popular para se apresentar no espetáculo Dia da Amizade Angola-Brasil, no Estádio dos Coqueiros, em Luanda, capital de Angola. O show, promovido e transmitido pela TV Globo Internacional, possui intenções sociais e políticas de firmar a amizade entre ambos países.[58] Em fevereiro de 2009, foi lançado o oitavo álbum de estúdio, Amor sem Fim, que produziu singles como "Vida Minha" e "Xonou, Xonou".[59] No mesmo ano, foram convidados para regravar a canção "Acelerou" em inglês, sob o nome de "Accelerated My Heart", para a trilha sonora do filme estadunidense Cupid's Arrow (2010).[60]

Joelma performando em show da Banda Calypso em junho de 2010.

Ainda em 2009, a banda completou 10 anos de carreira. O fato foi comemorado em Recife com a gravação de seu sexto álbum ao vivo e quinto DVD, 10 Anos,[61] lançado em março de 2010 pela Som Livre. O projeto recebeu, pela PMB, disco de platina, para as vendas do DVD, e dois discos de ouro para ambos volumes do CD duplo.[28] Também em 2010, o casal lançou o seu nono álbum de estúdio e sétimo álbum ao vivo, respectivamente Vem Balançar! e Ao Vivo em Recife. Em abril de 2011, eles lançaram a sua versão da canção "Entre Tapas e Beijos" para tema de abertura da série Tapas & Beijos, da Rede Globo, sendo um dos singles de seu novo álbum; em maio, foi lançado, através da Som Livre, o décimo álbum de estúdio dos artistas, intitulado Meu Encanto.[62]

Em 2012, o casal lançou seu oitavo álbum ao vivo e sexto DVD, Banda Calypso em Angola,[63] e seu décimo primeiro álbum de estúdio, Eternos Namorados. Este último produziu singles como "Quem Ama Não Deixa de Amar", com a participação de Amado Batista, e "Me Beija Agora".[64] Joelma estreou como compositora nesse álbum; ela compôs a música gospel "O Poder de Deus".[65] No decorrer de 2013, lançaram seu décimo segundo álbum de estúdio, Eu Me Rendo, e seu nono álbum ao vivo e sétimo DVD, Ao Vivo no Distrito Federal.[66]

Joelma e Ximbinha durante uma apresentação em abril de 2015.

Em agosto de 2014, foi lançado o décimo terceiro álbum de estúdio dos artistas, Vibrações.[67][68] No mesmo ano, a banda completou 15 anos de carreira. O fato foi comemorado em Belém com a gravação de seu décimo álbum ao vivo e oitavo DVD, 15 Anos,[69][70] que foi lançado em junho de 2015.[71] Em 19 de agosto de 2015, a assessoria de imprensa da banda anunciou a separação conjugal de Joelma e Ximbinha.[72] No mesmo mês, numa participação no Programa da Sabrina, a cantora anunciou o fim das atividades em conjunto com o guitarrista e que seguiria carreira como artista solo: "[...] vou deixar a Calypso. Seguirei meus compromissos até dezembro e, depois, vou seguir minha carreira solo. Mas no mesmo estilo [...] É uma carreira solo, mas costumo dizer que nunca estou só."[73][74] Após o anúncio, ela deu início às gravações de seu primeiro álbum e lançou a sua primeira canção solo, "Voando pro Pará".[75][76][77] Em 31 de dezembro de 2015, Joelma realizou, sem a presença de Ximbinha, em Macapá, o último show da Banda Calypso.[78] Sobre o fim da banda e a decisão de prosseguir em carreira solo, Joelma disse que "é diferente":

"[...] estou com um sentimento de renovação. A vida continua, é reter o que foi bom, as experiências, os sucessos que vou cantar para sempre, que conquistei com a banda. Apesar de tudo, foi maravilhoso."[79]

2016–2018: Joelma e Avante[editar | editar código-fonte]

Joelma em show da turnê Avante Tour, junho de 2016.

A carreira solo começou oficialmente em 18 de março de 2016, com a estreia de sua primeira turnê, Avante Tour.[80] A série de shows foi responsável pela primeira indicação solo da artista ao Prêmio Multishow de Música Brasileira,[81] sendo condecorada com o prêmio em sua 24ª edição, na categoria de Melhor Show.[82][83] Em 24 de março, após assinar contrato fonográfico com a Universal Music,[84][85] Joelma lançou seu primeiro extended play (EP), o autointitulado Joelma.[86] O EP foi divulgado como uma prévia de seu primeiro álbum de estúdio; Joelma, o seu álbum de estreia homônimo, foi lançado em 29 de abril de 2016 e alcançou a segunda posição na parada de álbuns da PMB,[87] sendo recebido com críticas positivas. Vinícius Cunha, do Gshow, escreveu: "Como era de se esperar, o registro marca a superação após o tumultuado divórcio [com Ximbinha] e a saída da banda [Calypso] no final do ano passado. Joelma é capaz e este [CD] é uma carta aberta de uma mulher bem resolvida e disposta a conquistar o mundo mais uma vez".[86] Para promover o álbum, foram lançadas como singles "Ai Coração",[88] "Não Teve Amor" e "Debaixo do Mesmo Céu".[89][90] Na época de seu lançamento, o vídeo musical de "Debaixo do Mesmo Céu" estreou em primeiro lugar no top 100 mundial do iTunes Store.[91] Em 30 de setembro, foi lançado o EP Assunto Delicado, que antecedeu a gravação de seu primeiro registro ao vivo.[92]

Com participação de seus três filhos e das cantoras Ivete Sangalo e Solange Almeida, Joelma gravou no dia 9 de novembro de 2016, em São Paulo, o seu primeiro álbum ao vivo.[93][94][95][96] A parceria entre Joelma e Ivete Sangalo rendeu a gravação da canção "Amor Novo", lançada como carro-chefe da obra em 13 de janeiro de 2017.[97][98][99] Como prévia, foi lançado um EP contendo quatro faixas do álbum em 14 de abril.[100] O projeto, intitulado Avante, chegou às lojas em 28 de abril de 2017.[101] Também em 2017, Joelma lançou um livro sobre sua vida pessoal e carreira profissional, além de relatos de fãs, intitulado Joelma entre Olhares, escrito por Jessyca Campos.[102]

Joelma se apresentando no festival Forró Caju, junho de 2018.

Em 8 de março de 2018, no Dia Internacional da Mulher, é lançado o single "Perdeu a Razão", uma colaboração com a cantora Marília Mendonça sobre violência contra a mulher.[103] Joelma alega que a canção "veio para tirar os resíduos que ainda tinha" de sua infância difícil, marcada pela violência doméstica vivida na família: "Você se sente impotente, incapaz, de acudir uma pessoa que tu amas. É muito difícil, me marcou a vida inteira. Essa música veio para cicatrizar esta ferida."[104] Em abril, Joelma liberou um dueto com o cantor Zé Felipe, "Se Vira Aí".[105] Em setembro, lançou o single "18 Quilates".[106]

2019–presente: 25 Anos[editar | editar código-fonte]

Em abril de 2019, é lançado o single "Ai Baby".[107][108] Em 6 de setembro, Joelma deu início ao projeto Minhas Origens, que consiste em seu nono EP, o qual, ao longo do mês, lançara uma nova canção a cada sexta-feira.[109] O primeiro single foi lançado com a canção "Eclipse de Amor";[110] "Cupim de Coração" e "Gigantes do Norte" foram lançadas, respectivamente, como segundo e terceiro single;[111][112] a quarta e última faixa do projeto, "Minha Fortaleza", foi disponibilizada em 27 de setembro de 2019.[113] No mesmo ano, Joelma completou 25 anos de carreira. A cantora, para celebrar tal fato, gravou em 12 de novembro em Goiânia, com participação de Xand Avião, Ludmila Ferber e Lauana Prado, o seu segundo álbum ao vivo, 25 Anos,[114] lançado em 24 de julho de 2020.[115]

Em janeiro de 2020, Joelma assina contrato fonográfico com a gravadora Midas Music e lança, em março, o single "Botar pra Chorar".[116][117]

Características artísticas[editar | editar código-fonte]

Influências[editar | editar código-fonte]

Barbra Streisand foi citada por Joelma como sua maior influência musical.

Quando perguntada sobre suas primeiras influências musicais, Joelma respondeu: "Eu desde pequena sempre ouvia cantoras americanas, como Céline Dion, Mariah Carey e na adolescência eu era apaixonada por Barbra Streisand. Elas [musicalmente] me influenciaram muito".[118] Para Joelma, Barbra Streisand foi sua maior influência musical, a qual nomeou como sua "professora", e ainda cita "Woman in Love" como sua canção predileta da cantora.[119] Joelma também diz ser "fascinada por [...] vozes e timbres diferentes", afirmando pesquisá-los; ela disse ter uma forte influência do rock e aponta Rod Stewart como seu maior ídolo do gênero: "O rock me fascina [...] pela agressividade. O cantor tem que ter suavidade e agressividade, porque faz parte dos sentimentos. Você tem que ter tudo isso para colocar numa música, o romantismo, a garra, essa coisa toda. Então o rock me fascina muito, por conta dessa agressividade. E eu uso muito isso nas [...] músicas."[120]

Outra grande influência para ela foi Daniela Mercury.[121] Uma cantora peruana, Rossy War, também foi grande influência. Rossy, por sua vez, comentou sobre possibilidade de gravar uma canção com a artista.[122] Joelma considera Thalía, também, como uma das suas principais referências musicais, com quem revelou ter o desejo de gravar um dueto.[123] Outras influências incluem Marisa Monte, Madonna e Roberta Miranda.[17]

Estilo musical e composição[editar | editar código-fonte]

"É uma coisa muito nossa. Sofremos influência dos ritmos que vinham pelas Guianas, que era o merengue, a cúmbia, o zouk. A gente pegou esses ritmos e misturou com o que a gente tinha lá [no Pará], o próprio cal[y]pso."

— Joelma sobre a música do Pará.[15]

O estilo musical de Joelma é basicamente calypso, e inclui outros gêneros recorrentes como cúmbia, zouk, lambada e carimbó.[15][22] A cantora, ao longo de sua carreira, experimentou diversos gêneros musicais e, com menos frequência, incorpora merengue, bachata, sertanejo universitário e elementos de música pop.[124] Outros gêneros, como forró, tecnobrega,[125] reggae,[126] bolero, reggaeton[127] e rock,[126] ainda foram apresentados em algumas canções específicas. Ela também passou a investir na música gospel, como "uma maneira de agradecer a Deus por tudo" que conquistou.[128] Joelma possui um tipo vocal classificado como meio-soprano e seu timbre é descrito como "único" e "inconfundível".[129][130][131] Sebastião Vilela Abreu, d'O Popular, descreveu a voz dela, em tons médios, como "manhosa" e, em registros graves, como "rouca", por englobar entonações "rasgadas", uma de suas principais características vocais.[132] Em tons mais agudos, seu timbre é rotulado como "estridente".[133] Guilherme Guimarães, do Abril.com, designou a voz dela como "adocicada".[134] Escrevendo para a Marie Claire, Natacha Côrtez descreveu a voz da cantora como uma "voz eloquente".[135]

Amor é o tema principal da maioria das canções de Joelma, enquanto suas composições são de temática gospel. Joelma estreou como compositora no álbum Eternos Namorados (2012); ela compôs a faixa "O Poder de Deus".[65] A cantora dificilmente baseia-se em suas próprias experiências pessoais para escrever; Joelma começou a escrever em 2011, depois de sofrer depressão antes da gravação do DVD Banda Calypso em Angola (2012): "Eu levei uns três meses, com muita dificuldade, porque toda vez que eu ouvia as músicas eu ficava triste e eu ia dormir. Eu ficava tão triste, e eu não tinha motivo nenhum pra ficar triste, tava tudo bem. [...] chegou uma semana perto da gravação e eu não tinha ensaiado nada [...] Cheguei uma semana antes na Angola e eu comecei a orar. Dobrei meu joelho no primeiro dia, pedi ajuda pra Deus e eu consegui ensaiar a metade. No segundo dia dobrei o joelho e consegui ensaiar tudo. [...] quando cheguei no Brasil, depois de um mês, [...] veio tudo à tona na minha mente e eu corri e escrevi tudinho."[136]

Performance e coreografias[editar | editar código-fonte]

Joelma performando durante concerto da Banda Calypso em novembro de 2005.

Joelma é reconhecida pela sua presença de palco, singularizada pela habilidade de cantar e dançar sincronicamente sobre botas de plataforma com salto-alto – sua então marca registrada – "sem perder o fôlego".[137][138][139] Acerca de suas performances ao vivo, o Gshow escreveu: "Não tem como não se impressionar com as apresentações de Joelma! Ela canta, dança, pula, [...] e entrega sempre o máximo de si no palco [...]".[140] Outras características notáveis da artista, em suas apresentações, são os seus figurinos.[141] A Veja descreveu a cantora como "a rainha dos figurinos inusitados" e "dona de alguns dos looks mais [...] bizarros e, de certa forma, sensuais, desfilados pelo país", afirmando que "Seu guarda-roupa tem de tudo um pouco. Desde estilos “luxuosos”, metalizados, com tom futurista, até uma invasão de flores que deixariam Carme[n] Miranda com inveja" e defende que "não dá para negar que Joelma sabe como poucos expressar sua “arte” através de roupas e maquiagem".[142]

Como coreógrafa, a artista afirma se inspirar em gestos simples do seu cotidiano para elaborar coreografias,[3] que, habitualmente, envolvem bate-cabelo – outra marca registrada da cantora – e encenações.[143][144] Para o R7, a sua dança é "envolvente e sensual".[145] Fernand Alphen, da revista FFWMAG, escreveu: "Sem render-se ao star system, sem artificialismo, sem baboseira mercadológica nem produções over ensaiadas, Joelma é o avesso do artificialismo. É do genuíno prazer de cantar, dançar e comunicar que ela tira sua inspiração para figurinos absurdos e coreografias delirantes. Na montagem do personagem, é tudo verdade. É gosto de verdade. É um luxo que só verdade confere. O verdadeiro luxo. O resto é castração, prisão e alienação".[146]

Imagem pública[editar | editar código-fonte]

Joelma durante uma entrevista no talk show Lady Night em 2017.

A capacidade de Joelma em reinventar sua música, estilo e imagem foi notada pela mídia.[147] Em 2019, Ana Carolina Matos, d'O Liberal, escreveu: "Ela mudou. Mais loira, mais bonita, mais dançante, mais sorridente e até mais pop, Joelma não parou de passar por transformações, ao longo de mais de duas décadas de carreira".[148] À época em que iniciou carreira solo, em 2016, após a sua tumultuada separação de Ximbinha, a cantora passou a transmitir uma imagem de "mulher empoderada" e afirma ter influenciado diversas mulheres a solucionarem um relacionamento abusivo:[149][150]

"Muitas chegam em mim e dizem: ʽObrigada, Joelma, você me ajudou muito, pois eu [também] tinha um relacionamento que me fazia muito mal e hoje eu resolviʼ."[126]

Para Renata Nogueira, do Universo Online, Joelma "volt[ou em carreira solo] com pose e atitude de super-mulher" e confirma que ela passou a "incorpor[ar] a imagem de poderosa",[126] enquanto para Vinícius Cunha, do Gshow, "a cantora mostra estar disposta a conquistar o mundo mais uma vez" e a descreve como uma "mulher bem resolvida, sem papas na língua".[151] Em 2017, Mariana Perim, d'A Gazeta, observou que "a mídia agora explora um outro lado de Joelma: o da superação" e nota que "As letras [das canções agora] são assertivas, mostrando uma volta por cima da paraense após todo o imbróglio com o ex-marido e ex-parceiro musical, [X]imbinha".[152]

A cantora é rotulada como um ícone gay.[153] No entanto, em 2012, após incentivar um fã homossexual a "[...] se converter, [...] virar homem, [...] casar, ter filhos" em vídeo publicado na internet,[154][155] sua imagem passou a ser associada por muitos à homofobia.[156] Em seguida, Joelma, através de uma postagem no Twitter, explicou: "Um dos [membros do fã-clube] [...] estava brincando comigo, falando das intimidades dele para eu ficar vermelha e brinquei. Se eu fosse preconceituosa, meu melhor amigo não seria um gay".[157] Por sua vez, a assessoria de imprensa da artista esclareceu que "ela é uma pessoa ligada a religião" e que "ela tem os princípios religiosos dela, mas isso não quer dizer que seja preconceituosa": "Ela trabalha com vários homossexuais e tem esse público enorme há muito tempo. Cerca de 90% dos fãs da [Banda] Calypso são homossexuais e eles estão [...] ao lado dela, porque conhecem ela. Muitos deles sabem da relação dela com a religião e brincam dessa forma para deixá-la constrangida, [...] e ela brinca assim para reverter a situação, mas não que ela queira converter alguém, é uma troca de brincadeiras."[158] Em 2013, foi acusada de comparar a homossexualidade ao estado de dependência química numa entrevista à revista Época, afirmando que "Já vi[u] muitos [homossexuais] se regenerarem. [...] É como um drogado tentando se recuperar".[159][160] Logo após, sua assessoria de imprensa comunicou que as declarações foram distorcidas: "Em momento algum a cantora comparou homossexualidade à dependência química. O que foi relatado foram depoimentos, feitos a ela, de amigos e fãs sobre a dificuldade que sentem, quando assim o desejam, de mudar sua opção sexual e que, eles mesmos, compararam tal dificuldade à dificuldade do dependente químico. Embora a religião seguida por Joelma não apoie o casamento entre pessoas do mesmo sexo, a cantora respeita e aceita a opção sexual de todas as pessoas, [...] não tendo por ninguém preconceito de religião, sexo e cor."[161][162][163][164][165] Já em 2016, foi acusada de fazer um infeliz comentário sobre o massacre de Orlando, no qual cerca de 50 pessoas morreram e 53 ficaram gravemente feridas durante um atentado terrorista no bar gay Pulse, aconselhando que homossexuais deveriam frequentar igrejas ao invés de boates. Posteriormente, a mesma postou em suas redes sociais um comunicado esclarecendo que não deu nenhuma entrevista ou opinião sobre o ataque: "Recebi com muita tristeza a notícia do atentado [...] que vitimou 49 vidas inocentes. Entretanto, atribuíram a mim alguns conteúdos infelizes e difamatórios sobre o fatídico incidente, a partir de blogs e sites de origem duvidosa e claramente tendenciosa. Esclareço que não concedi qualquer entrevista sobre a tragédia que ocorreu, e que me solidarizo com as famílias das pessoas que faleceram, orando a Deus pelo conforto e a realização da justiça. Ratifico que o objetivo da minha banda é proporcionar ao público alegria e diversão, independentemente de cor, raça, gênero ou orientação sexual."[166][167][168] Anos após, a cantora, sobre sua relação com homossexuais, afirmou: "Amo de paixão. Tenho muitos amigos, fãs, pessoas que admiro. Até mesmo na religião. As pessoas acham que por eu ser evangélica, tem que ter essa rivalidade. E pelo contrário. Como cristã, tenho que amar, respeitar e não julgar".[169][170][171]

Joelma durante cerimônia de entrega do Título de Cidadã Pernambucana à artista na Assembleia Legislativa de Pernambuco, outubro de 2009.

Joelma foi eleita por seis anos consecutivos, entre 2007 e 2012, uma das 100 mulheres mais sexy do mundo pela revista VIP.[172] Sua melhor colocação na lista anual foi o 27º lugar, alcançado em 2009.[173] Escrevendo para o Extra, Michel Sá observou que a "timidez" da artista ao ser a 83ª mulher mais sexy do mundo em 2012 "é deixada de lado quando a cantora sobe aos palcos com roupas curtas, abusando da sensualidade, mostrando porque ganhou o título".[174] Joelma, geralmente, não explora sua imagem como uma mulher sensual; referida como uma sex symbol,[175] ela foi convidada a posar nua para publicações como Playboy e Sexy,[176][177] as quais recusa,[178][179] alegando que isso não faz parte de seu "comportamento".[174] Em 2009, a cantora, juntamente com Ximbinha, foram honrados pela Assembleia Legislativa de Pernambuco, em Recife, com o Título de Cidadãos Pernambucanos.[180] Em 2012, o SBT realizou o programa O Maior Brasileiro de Todos os Tempos para eleger a maior personalidade do Brasil; Joelma ficou entre os 100 mais votados, estando em 83º lugar.[181] No mesmo ano, foi considerada a segunda celebridade mais querida do país em escrutínio promovido pela revista Contigo!.[182] Em 2018, foi honrada pela Assembleia Legislativa de Goiás, em Goiânia, com o Título de Cidadã Goiana.[183][184][185]

Legado e impacto[editar | editar código-fonte]

Durante sua carreira, Joelma converteu-se em uma recordista em vendas de discos no Brasil, com mais de 20 milhões de álbuns vendidos.[186][187] Nos anos 2000, Joelma e Ximbinha tornaram-se um dos maiores vendedores de álbuns no país; a Banda Calypso foi chamada de "máquina de vender CD" pela Folha de S.Paulo.[188] O álbum Banda Calypso pelo Brasil está entre os mais vendidos de todos os tempos no país e recebeu certificação de disco de diamante quíntuplo, sendo a única banda musical brasileira a conseguir este feito.[44][45][46][47][48] O casal foi creditado por ter liderado e aberto caminho para uma dissolução de muitas outras bandas de calypso no Brasil durante a década de 2000. O Agora São Paulo chamou o fenômeno de "genéricos do Calypso".[189] Como consequência, Joelma foi descrita como uma "Rainha do Calypso" por diversas publicações.[190][191] Para Patrícia Moraes, do Internet Group, "a cantora e o músico forma[ra]m um dos casais brasileiros mais influentes do showbiz".[192]

Joelma se apresentando no réveillon de Brasília, dezembro de 2017.

Joelma é reconhecida como um ícone da música do Pará e também é consistentemente creditada por levantar a bandeira de seu estilo musical e do seu estado de origem nos maiores meios de comunicação nacional.[193] Em Joelma Fenomenal: A Arte, a Música e a Vida da Pequena Notável do Norte, o jornalista e escritor Leo Villaverde compara o impacto da cantora ao de Carmen Miranda, dizendo: "Duas Pequenas Notáveis separadas por 60 anos na história da MPB. Uma “portuguesa”. A outra, brasileiríssima. As duas vestindo as cores, os sabores, o encanto e a alegria exótica das terras brasilis. Duas artistas originalíssimas e fenomenais. Dois sucessos nacionais e internacionais inquestionáveis, admiráveis. As duas surpreenderam e alegraram o Brasil e o mundo. As duas quebraram as geleiras da mesmice, o lugar-comum e a monotonia da MPB de suas épocas. Carme[n] Miranda nos anos 40 e 50. A Joelma Mendes nas duas primeiras décadas do século XXI. A Carme[n] cantou o samba e a tropicalidade do Brasil do Sul. A Joelma canta o calypso e a vibrante tropicalidade do Brasil do Norte".[194]

Outras atividades[editar | editar código-fonte]

Filantropia[editar | editar código-fonte]

Em dezembro de 2005, durante uma participação da Banda Calypso no programa Domingo Legal, Joelma doou um figurino usado no registro ao vivo Banda Calypso na Amazônia para leilão em prol da Fundação Pestalozzi do Pará, entidade em Belém que atende a mais de 800 crianças com deficiência.[195][196] A cantora também já contribuiu com a Associação de Assistência à Criança Deficiente (AACD) através da maratona televisiva Teleton: ela já doou para o leilão do programa, em prol da AACD, dois pares de botas (um na edição de 2012 e outro em 2013)[197][198] e um figurino – este no Teleton de 2014. Em 2018, ela doou todos os seus itens de vestuário usados durante a carreira com a Banda Calypso para arrecadar recursos a fim de reforçar o tratamento aos pacientes da AACD de Recife, que promoveu um bazar beneficente realizado em abril no RioMar Shopping.[199][200] No mesmo ano, foi nomeada madrinha do Hospital de Câncer de Goiás (HCG).[201]

Em abril de 2020, Joelma procedeu um show virtual com o objetivo de arrecadar doações para ajudar famílias e instituições afetadas pela pandemia de COVID-19.[202][203] Em maio, ela realizou outra apresentação virtual com o mesmo propósito e também arrecadou fundos para o Hospital do Câncer de Londrina.[204][205] No mesmo mês, a cantora também participou do festival de música à distância Masks4All, promovido pelo POPline, que teve como intuito arrecadar recursos a fim de produzir e distribuir máscaras cirúrgicas para comunidades carentes, como forma de combate ao COVID-19.[206] Em junho, ela participou também, ao lado das cantoras Naiara Azevedo, Lauana Prado e Solange Almeida, do festival de música online Festival 360, que arrecadou fundos para o Hospital do Câncer de Londrina.[207] Em julho, Joelma realizou outra apresentação virtual, desta vez com o propósito de arrecadar fundos para o Hospital de Amor.[208][209] Em outubro, ela procedeu um show online que arrecadou doações para ajudar músicos do Pará em meio a pandemia.[210]

Produtos e publicidade[editar | editar código-fonte]

Na década de 2000, diversos produtos (incluindo perfumes e sandálias) foram licenciados com a marca Banda Calypso.[211] Em 2008, Joelma lançou a grife de roupas Calypso Vest em sua cidade natal, Almeirim.[3] As peças da grife, geralmente, faziam referência à fauna e flora da Amazônia e eram incrementadas por sementes e outros produtos naturais.[212] O objetivo do projeto era ajudar a população da cidade, conseguindo empregar várias pessoas e beneficiar mais de 60 famílias.[213] Em 2009, a cantora lançou ainda a sua meia-calça invisível, em parceira com a Natusense,[214][215] e a linha de sandálias Ritmus Calypso. Em 2010, a grife encerrou suas atividades. Ao lado de Ximbinha, Joelma estrelou diversas campanhas publicitárias de marcas e empresas como Assolan,[216][217][218] Hipercard,[219][220] Eletro Shopping,[221] entre outras. Em 2012, estrearam sua loja virtual de produtos personalizados, a Loja da Calypso, extinta em 2015 com o fim da Banda Calypso.[222]

Em 28 de abril de 2016, Joelma matizou seus cabelos em um loiro com tons mais acinzentados para uma campanha da marca de cosméticos capilar Garnier, da empresa L'Oréal, que teve grande repercussão na mídia e redes sociais.[223][224] Alguns veículos noticiaram que ela teria recebido R$ 300 mil para fazer a campanha publicitária.[225] Em 2018, ela estrelou duas campanhas do Jornal Daqui.[226][227] No mesmo ano, tornou-se garota-propaganda das marcas Romance e Favorita e da loja de utilidades domésticas Big Lar, da qual estrelou diversas campanhas.[228][229] Ainda em 2018, a cantora lançou sua coleção de óculos em parceria com a Marielas.[230] Em 2019, ela lançou sua linha de cosméticos em parceria com a PeHD Cosmetics e as linhas de folheados 18 Quilates e Só Pra Você e Eu, em parceria com a Unika Prata e Folheados e Fokal Folheados.[231][232][233] No mesmo ano, estrelou a campanha de inauguração das lojas do Magazine Luiza no Pará.[234][235] Entre 2019 e 2020, Joelma estrelou duas campanhas da Tele Sena.[236][237] Em 2020, estrelou uma campanha do Mercado Pago.[238]

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

Relacionamentos e maternidade[editar | editar código-fonte]

Joelma e Ximbinha em 2011.

Em 25 de dezembro de 1989, Joelma deu à luz sua primeira filha, Natália Mendes Sarraff, fruto de seu relacionamento com o motorista Luiz Alberto da Gama Sarraff.[239] Em 23 de novembro de 1995, nasceu Yago Mendes Matos, seu filho com o advogado Robson Cristiano Leão Matos.[240] Joelma e o guitarrista Ximbinha se conheceram em 1998.[241][242][243] Os dois começaram a namorar e, então, passaram a morar juntos. Em 25 de dezembro de 2003, casaram-se oficialmente.[244] Em 11 de julho de 2004, Joelma deu à luz sua terceira filha e primeira com Ximbinha, Yasmin Mendes Farias.[245] Em fevereiro de 2009, anunciou estar grávida de dois meses do quarto filho,[246][247] porém sofreu um aborto espontâneo dias depois do anúncio.[248][249][250]

No final de julho de 2015, iniciaram-se rumores acerca de que Joelma e Ximbinha estariam separados, depois de 17 anos de união, porém a separação não foi confirmada, e o casal negou os boatos.[251] Em 19 de agosto, a assessoria de imprensa da Banda Calypso anunciou, enfim, a separação.[72] Após o anúncio, alguns veículos noticiaram que a separação foi pedida por Joelma depois de descobrir que Ximbinha estaria mantendo relacionamento extraconjugal com outra mulher. Além disso, foi informado que eles estavam passando por crise no casamento desde 2013 e que já havia dois meses que não dividiam a mesma casa.[252] Ximbinha, por sua vez, negou a traição,[253][254] porém foi divulgado, em 8 de setembro de 2015, um registro de áudio no qual assume a infidelidade a esposa.[255] Por esta época, Joelma, que alegou sentir-se ameaçada pelo ex-companheiro, chegou a conseguir uma medida de proteção com base na Lei Maria da Penha, o que proibiu Ximbinha de ficar a menos de 100 metros de distância da cantora, impossibilitando-o de se apresentar em shows.[256] No entanto, o guitarrista recorreu e conseguiu uma liminar parcial para voltar a banda.[257][258] Numa entrevista para o Fantástico, Joelma revelou que houveram diversas outras traições: "As mulheres que passam por isso vão me entender. Quando você descobre uma traição, o homem chora, pede perdão e você perdoa por causa da família, de tudo que os dois construíram. Aí vem uma segunda traição. Tem uma hora que você não aguenta mais." Na mesma entrevista, ela contou que Ximbinha a teria agredido fisicamente várias vezes: "No início da banda ele me bateu e eu tive que passar três dias trancada no quarto de um hotel até meu rosto voltar ao normal [...] Depois de três anos, ele tentou me jogar do segundo andar de uma casa [...] ele era muito tranquilo, mas não podia ser contrariado."[259][260] Em 9 de novembro de 2015, eles assinaram o divórcio.[261][262][263][264][265]

Em julho de 2017, assumiu o namoro com o empresário Alessandro Cavalcante.[266][267] O relacionamento chegou ao fim em junho de 2018.[268][269]

Discografia[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Discografia de Joelma Mendes
Álbuns de estúdio
Álbuns ao vivo

Filmografia[editar | editar código-fonte]

Ano Título Papel Nota
2007 Show do Tom Ela mesma Episódio: "17 de março de 2007"
2008 A Turma do Didi Ela mesma Episódio: "Não Perturbe o Calypso" (Temporada 11)[270]
2009 Toma Lá, Dá Cá Ela mesma Episódio: "O Anel Que Tu Me Destes" (Temporada 3)
2010 Casseta & Planeta, Urgente! Ela mesma Episódio: "8 de maio de 2010"[271]
2010;
2012
Aventuras do Didi Ela mesma Episódio: "18 de julho de 2010" (Temporada 1)[272]
Episódio: "2 de dezembro de 2012" (Temporada 3)
2011 Tapas & Beijos Ela mesma Episódio: "Dia dos Namorados ao Som da Banda Calypso" (Temporada 1)[273]
2012 Cheias de Charme Ela mesma Episódio: "7 de maio de 2012"[274]
2014 Domingo da Gente Apresentadora convidada Episódio: "2 de março de 2014"
2017;
2018;
2019
Popstar Jurada convidada Episódio: "27 de agosto de 2017" (Temporada 1)[275]
Episódio: "4 de novembro de 2018" (Temporada 2)[276]
Episódio: "1 de dezembro de 2019" (Temporada 3)[277]
2017 A Força do Querer Ela mesma Episódio: "16 de setembro de 2017"[278]
2018;
2019
TVZ Apresentadora convidada Episódio: "30 de julho de 2018"[279]
Episódio: "17 de abril de 2019"[280]

Referências

  1. «Imagens da cantora Joelma». Folha de S.Paulo. F5. Universo Online. 30 de março de 2013. Consultado em 11 de agosto de 2020 
  2. «Joelma lança DVD de 25 anos de carreira em transmissão ao vivo exclusiva no Youtube». Diário do Nordeste. 22 de julho de 2020. Consultado em 11 de agosto de 2020 
  3. a b c d e «60 curiosidades que você não sabia sobre Joelma». Diário Online. 15 de novembro de 2017. Consultado em 18 de julho de 2020 
  4. «Joelma». O Liberal. Consultado em 10 de setembro de 2020 
  5. a b «Joelma». Caras. Consultado em 10 de setembro de 2020 
  6. «Veja Joelma em imagens inéditas ao lado de sua família». Gshow. Globo.com. 1 de maio de 2019. Consultado em 18 de julho de 2020 
  7. a b Cortêz, Natacha (12 de novembro de 2018). «Joelma: "Passei uma vida alimentando o ódio pelo meu próprio pai"». Marie Claire. Globo.com. Consultado em 18 de julho de 2020 
  8. Dias, Leo (29 de junho de 2019). «Morre o pai da cantora Joelma». Universo Online. Consultado em 18 de julho de 2020 
  9. Gregório, Léo (29 de junho de 2019). «Joelma lamenta a morte do pai: "Proporcionou a lição mais libertadora: o perdão"». Quem. Globo.com. Consultado em 18 de julho de 2020 
  10. «Cantora Joelma lamenta morte do pai e agradece por terem feito as pazes». Correio. 29 de junho de 2019. Consultado em 10 de setembro de 2020 
  11. «Joelma revela que pai era violento por conta do alcoolismo». O Estado de S. Paulo. 3 de abril de 2018. Consultado em 18 de julho de 2020 
  12. Folhapress (3 de abril de 2018). «Joelma diz: 'Minha infância foi marcada pela violência'». Folha de Pernambuco. Consultado em 18 de julho de 2020 
  13. Caixeta, Heloisa (2 de outubro de 2019). «Em entrevista, Joelma revela que pediu perdão ao pai violento». Metrópoles. Consultado em 10 de setembro de 2020 
  14. «Emoção! Joelma abre o coração e fala sobre pai violento: "Ele espancava a minha mãe"». Máxima. Universo Online. 4 de abril de 2020. Consultado em 10 de setembro de 2020 
  15. a b c d «Divas do forró, Joelma e Solange Almeida falam sobre conquistas femininas». Gshow. Globo.com. 30 de junho de 2018. Consultado em 18 de julho de 2020 
  16. «"A vida me levou para a música sem eu querer", diz Joelma, do "Calypso"». Universo Online. 10 de maio de 2020. Consultado em 10 de setembro de 2020 
  17. a b «Joelma conta que sua carreira na música começou por acaso: 'Não queria como profissão'». Gshow. Globo.com. 11 de março de 2019. Consultado em 18 de julho de 2020 
  18. «Fazendo Arte». Instituto Memória Musical Brasileira. Consultado em 18 de julho de 2020 
  19. «Banda Fazendo Arte - Vol. 2». Instituto Memória Musical Brasileira. Consultado em 18 de julho de 2020 
  20. a b «Joelma é uma das estrelas do CD Divas do Pará». Diário Online. 11 de março de 2012. Consultado em 10 de setembro de 2020 
  21. a b c «A Trajetória Da Banda Calypso». Cultura Mix. Consultado em 19 de julho de 2020 
  22. a b c «Banda Calypso: Dados Artísticos». Dicionário Cravo Albin da Música Popular Brasileira. Instituto Cultural Cravo Albin. Consultado em 18 de julho de 2020 
  23. «Joelma». A Revista da Mulher. Consultado em 19 de julho de 2020 
  24. JC Online (10 de junho de 2019). «Primeiro CD da Banda Calypso completa 20 anos de lançamento». Jornal do Commercio. NE10. Universo Online. Consultado em 19 de julho de 2020 
  25. «Vol. 1». Brega Pop. Consultado em 19 de julho de 2020 
  26. Lobato, Paloma (17 de setembro de 2019). «Primeiro disco da Banda Calypso completa 20 anos; você lembra das músicas?». Diário Online. Consultado em 10 de setembro de 2020 
  27. Freire, Érika (7 de março de 2020). «Os 12 maiores sucessos da carreira da Banda Calypso». Letras.mus.br. Consultado em 19 de julho de 2020 
  28. a b c «Certificados». Pro-Música Brasil. Consultado em 19 de julho de 2020 
  29. a b c Kriss, Elba (11 de dezembro de 2005). «Calypso, sucesso que vem de Belém». OFuxico. Consultado em 27 de setembro de 2020 
  30. «[Áudio] Banda Calypso em Teresina - PI 2003 * Completo *». YouTube. Consultado em 27 de setembro de 2020 
  31. «Vol. 3». Brega Pop. Consultado em 19 de julho de 2020 
  32. «Vol. 4». Brega Pop. Consultado em 19 de julho de 2020 
  33. «Vol. 5». Brega Pop. Consultado em 19 de julho de 2020 
  34. a b Rede Globo (6 de março de 2005). «Banda Calypso recebendo disco de DVD Triplo de Diamante no Faustão». YouTube. Consultado em 27 de setembro de 2020 
  35. «"Divulgar a música paraense é minha missão"». Diário da Manhã. 31 de julho de 2015. Consultado em 29 de setembro de 2020 
  36. «Vol. 6». Brega Pop. Consultado em 19 de julho de 2020 
  37. «Vol. 7». Brega Pop. Consultado em 19 de julho de 2020 
  38. SBT (11 de dezembro de 2005). «Banda Calypso Programa Do Gugu 2005». YouTube. Consultado em 27 de setembro de 2020 
  39. «Vol. 8». Brega Pop. Consultado em 19 de julho de 2020 
  40. «História de Joelma e Chimbinha, do Calypso, vai virar filme». Iguatu.net. 1 de julho de 2011. Consultado em 19 de julho de 2020. Arquivado do original em 2 de abril de 2017 
  41. Folha Online (26 de setembro de 2006). «Veja os indicados nas principais categorias do Grammy Latino». Folha de S.Paulo. Universo Online. Consultado em 19 de julho de 2020 
  42. «Joelma e Chimbinha já foram indicados ao Grammy Latino por três vezes». Purepeople. Consultado em 19 de julho de 2020 
  43. Sato, Nelson (11 de agosto de 2006). «SHOW - Calypso em Londrina». Folha de Londrina. Consultado em 12 de setembro de 2020 
  44. a b c «Vol. 9». Brega Pop. Consultado em 19 de julho de 2020 
  45. a b «Bamboa Brasília recebe banda Calypso em outubro». Jornal de Brasília. 2 de outubro de 2015. Consultado em 20 de julho de 2020 
  46. a b Mairins, Simão (11 de junho de 2014). «Banda Calypso: você precisa reconhecer que eles sabem fazer negócios». Administradores. Consultado em 12 de setembro de 2020 
  47. a b «Os 22 discos brasileiros mais vendidos de todos os tempos». Associação Brasileira de Música e Artes. Consultado em 20 de julho de 2020 
  48. «Brazilian Day – Edições». Memória Globo. Globo.com. Consultado em 20 de julho de 2020 
  49. Agência Estado (3 de setembro de 2006). «Brazilian Day celebrou neste domingo independência do Brasil em NY». O Estado de S. Paulo. Consultado em 12 de setembro de 2020 
  50. Diamante: A Cooperdisc® parabeniza a Banda Calypso pela vendagem de 500.000 cópias do CD "Banda Calypso — Vol. 10"
  51. «Banda Calypso repreende Ariano Suassuna: Ele deveria ter orgulho de nós. Conquistamos o Brasil». Blog de Jamildo. NE10. Universo Online. 20 de março de 2007. Consultado em 12 de setembro de 2020 
  52. «Vol. 10». Brega Pop. Consultado em 20 de julho de 2020 
  53. «Homenagem à Banda Calypso • Escola de Samba Balaku Blaku • Manaus, AM». YouTube. 2007. Consultado em 12 de setembro de 2020 
  54. Marco Aurélio Caônico, Tereza Novaes (22 de julho de 2007). «Preferência nacional». Folha de S.Paulo. Universo Online. Consultado em 11 de agosto de 2020 
  55. Freitas, Alan. «Encarte: Banda Calypso - Ao Vivo em Goiânia». Encartes Pop. Consultado em 8 de outubro de 2020 
  56. «Banda Calypso em formato acústico». Música do Brasil. SAPO Blogs. 2 de julho de 2008. Consultado em 11 de agosto de 2020 
  57. «Biografia de Banda Calypso». LETRAS. Consultado em 11 de agosto de 2020 
  58. Folha Online (26 de setembro de 2009). «Numismata lança "Chorume" no Sesc Pompeia; veja roteiro de shows». Folha de S.Paulo. Universo Online. Consultado em 11 de agosto de 2020 
  59. Rodrigues, Evelyn (11 de novembro de 2010). «Calypso comemora música em filme americano e planeja CD em espanhol». OFuxico. Terra. Consultado em 11 de agosto de 2020 
  60. Piunti, André (7 de novembro de 2009). «Calypso grava DVD em comemoração aos 10 anos da banda em quase três horas de show». Universo Online. Consultado em 11 de agosto de 2020 
  61. «Novo CD da Banda Calypso». FM 93. 18 de maio de 2011. Consultado em 11 de agosto de 2020 
  62. «Joelma e Chimbinha em show neste sábado na Shock». Tribuna do Norte. 21 de setembro de 2012. Consultado em 11 de agosto de 2020 
  63. «CD BANDA CALYPSO - ETERNOS NAMORADOS». Clube Radar. Consultado em 11 de agosto de 2020 
  64. a b «Sem novo da Calypso». O Povo. 13 de janeiro de 2013. Consultado em 11 de agosto de 2020 
  65. Guirra, Rafael (25 de outubro de 2013). «Banda Calypso participa da abertura do Teleton 2013». Recanto Adormecido. Consultado em 18 de setembro de 2020 
  66. Esteves, Eduarda (30 de outubro de 2014). «Banda Calypso completa 15 anos e lança novo CD». Leia Já. Internet Group. Consultado em 11 de agosto de 2020 
  67. Folhapress (12 de novembro de 2014). «Calypso lança 21º CD da carreira». O Popular. Consultado em 18 de setembro de 2020 
  68. «Banda Calypso completa 15 anos e grava DVD em Belém». Universo Online. 23 de novembro de 2014. Consultado em 11 de agosto de 2020 
  69. «Gravação do DVD da banda Calypso atrai multidão em Belém». Rede Globo. Globo.com. 24 de novembro de 2014. Consultado em 18 de setembro de 2020 
  70. «Banda Calypso lança clipe em parceria com Daniel, assista». Recife FM. 3 de junho de 2015. Consultado em 11 de agosto de 2020 
  71. a b «Joelma e Chimbinha terminam casamento, diz assessoria do Calypso». G1. Globo.com. 19 de agosto de 2015. Consultado em 11 de agosto de 2020 
  72. «Joelma anuncia fim do Calypso, chora e emociona plateia e Sabrina Sato». RecordTV. R7. 25 de agosto de 2015. Consultado em 11 de agosto de 2020 
  73. Falcheti, Fabrício (29 de agosto de 2015). «Record exibe "Programa da Sabrina" onde Joelma anuncia saída da Calypso». NaTelinha. Universo Online. Consultado em 11 de agosto de 2020 
  74. «Joelma lança nova música e homenageia o Pará». G1. Globo.com. 9 de dezembro de 2015. Consultado em 12 de agosto de 2020 
  75. «Joelma lança primeira música de sua carreira solo; ouça 'Voando pro Pará'». Caras. Universo Online. 9 de dezembro de 2015. Consultado em 12 de agosto de 2020 
  76. «Joelma lança primeira música como cantora solo; ouça "Voando pro Pará"». Jovem Pan. 9 de dezembro de 2015. Consultado em 12 de agosto de 2020 
  77. «Joelma faz último show com a banda Calypso». Hoje em Dia. 1 de janeiro de 2016. Consultado em 12 de agosto de 2020 
  78. Pacheco, John (1 de janeiro de 2016). «'Não é o fim, é o começo', diz Joelma durante último show com a Calypso». G1. Globo.com. Consultado em 12 de agosto de 2020 
  79. Túlio, Sílvio (19 de março de 2016). «Joelma estreia carreira solo, agita fãs e alfineta: 'Tomei as rédeas de tudo'». G1. Globo.com. Consultado em 12 de agosto de 2020 
  80. «Saiba quem são os indicados ao Prêmio Multishow 2016». Multishow. Globo.com. 7 de outubro de 2016. Consultado em 12 de agosto de 2020 
  81. «Confira os vencedores da 24ª edição do Prêmio Multishow de Música Brasileira». Quem. Globo.com. 24 de outubro de 2017. Consultado em 12 de agosto de 2020 
  82. «Nem Anitta, nem Luan Santana: Joelma foi o nome do Prêmio Multishow». Jornal do Commercio. Universo Online. NE10. Consultado em 12 de agosto de 2020 
  83. JC Online (8 de março de 2016). «Joelma assina contrato com a Universal Music». Jornal do Commercio. Universo Online. NE10. Consultado em 12 de agosto de 2020 
  84. «Em carreira solo, Joelma assina contrato com a gravadora Universal: 'Agora é oficial'». Correio. 8 de março de 2016. Consultado em 12 de agosto de 2020 
  85. a b Cunha, Vinícius (28 de março de 2016). «Joelma dá volta por cima em primeiro trabalho solo». Gshow. Globo.com. Consultado em 12 de agosto de 2020 
  86. «Brazil Albums». Billboard. Billboard.biz. 2 de julho de 2016. Consultado em 10 de julho de 2020. Arquivado do original em 22 de outubro de 2016 
  87. «Joelma lança primeira música de trabalho da carreira solo: "Ai Coração"». G1. Globo.com. 21 de janeiro de 2016. Consultado em 12 de agosto de 2020 
  88. «Joelma Calypso lança música 'Não Teve Amor' e fãs apontam: "é para o Ximbinha?"». iBahia.com. 29 de janeiro de 2016. Consultado em 12 de agosto de 2020 
  89. Lima, Victoria (8 de julho de 2016). «Joelma lança clipe de Debaixo do Mesmo Céu». OFuxico. Terra. Consultado em 12 de agosto de 2020 
  90. «Joelma divulga "Debaixo do Mesmo Céu"». SAT FM. 13 de julho de 2016. Consultado em 12 de agosto de 2020 
  91. Oliveira, Paula (30 de setembro de 2016). «Joelma lança EP e fala do primeiro DVD na carreira solo: 'Um dos mais importantes da minha vida'». Gshow. Globo.com. Consultado em 12 de agosto de 2020 
  92. «Joelma grava primeiro DVD solo e canta com Ivete, Solange Almeida e com os filhos». R7. 10 de novembro de 2016. Consultado em 18 de setembro de 2020 
  93. Nogueira, Renata (10 de novembro de 2016). «Fãs provam fidelidade a Joelma em gravação de DVD: "É a Madonna brasileira"». Universo Online. Consultado em 12 de agosto de 2020 
  94. Izel, Adriana (10 de novembro de 2016). «Joelma grava primeiro DVD da carreira solo em clima de volta por cima». Correio Braziliense. Consultado em 12 de agosto de 2020 
  95. Estephania, Camila (11 de novembro de 2016). «Joelma grava primeiro DVD solo». Folha de Pernambuco. Consultado em 18 de setembro de 2020 
  96. «Joelma lança "Amor Novo" com Ivete Sangalo». Billboard Brasil. Universo Online. 13 de janeiro de 2017. Consultado em 12 de agosto de 2020. Arquivado do original em 10 de dezembro de 2018 
  97. «Joelma lança dueto com Ivete Sangalo e fala sobre deixar a fila andar». Contigo!. Universo Online. 13 de janeiro de 2017. Consultado em 12 de agosto de 2020 
  98. «Ivete aconselha Joelma em clipe: 'A fila anda'». Veja. Abril.com. 13 de janeiro de 2017. Consultado em 12 de agosto de 2020 
  99. Autran, Gabriella (14 de abril de 2017). «O EP Avante, de Joelma, lançado nesta sexta (14)». Folha de Pernambuco. Consultado em 12 de agosto de 2020 
  100. «Joelma lança o CD, DVD e álbum digital "Avante – Ao Vivo em São Paulo"». Universal Music Brasil. 28 de abril de 2017. Consultado em 12 de agosto de 2020 
  101. Félix, Bruno (7 de fevereiro de 2017). «Joelma recebe o público para lançamento de livro». O Popular. Consultado em 12 de agosto de 2020 
  102. Juliotti, Camila (8 de março de 2018). «Joelma lança música sobre violência contra mulher: 'Muito forte'». R7. Consultado em 12 de agosto de 2020 
  103. Velasco, Murillo (8 de março de 2018). «Joelma lança clipe com Marília Mendonça e relembra violência doméstica vivida na família». G1. Globo.com. Consultado em 12 de agosto de 2020 
  104. Camarão, Adriana (23 de abril de 2018). «Videoclipe 'Se Vira Aí' de Joelma e Zé Felipe já está na TV Liberal». Gshow. Globo.com. Consultado em 12 de agosto de 2020 
  105. Ferreira, Mauro (10 de setembro de 2018). «Joelma volta ao mercado com o single e o clipe da música inédita '18 quilates'». G1. Globo.com. Consultado em 12 de agosto de 2020 
  106. «Joelma encarna boneca na capa de novo single e surpreende fãs». Quem. Globo.com. 27 de março de 2019. Consultado em 12 de agosto de 2020 
  107. «Joelma lança single "Ai, Baby" nas plataformas digitais; ouça aqui». O Liberal. 5 de abril de 2019. Consultado em 18 de setembro de 2020 
  108. Ferreira, Mauro (26 de agosto de 2019). «Joelma lança quatro músicas inéditas em setembro, dois meses antes de gravar show em Goiânia». G1. Globo.com. Consultado em 12 de agosto de 2020 
  109. Santos, Daiv (9 de setembro de 2019). «Joelma lança clipe de seu novo single "Eclipse de Amor", primeira amostra de seu próximo EP». POPline. Terra. Consultado em 12 de agosto de 2020 
  110. Santos, Daiv (16 de setembro de 2019). «Joelma solta mais um clipe; assista a "Cupim de Coração", segunda amostra de seu próximo EP». POPline. Terra. Consultado em 12 de agosto de 2020 
  111. «Joelma compartilha foto de ensaio de novo videoclipe». O Liberal. 18 de setembro de 2019. Consultado em 12 de agosto de 2020 
  112. «Joelma lança última faixa para completar seu EP Minhas Origens». Universo Online. 27 de setembro de 2019. Consultado em 12 de agosto de 2020 
  113. «Joelma grava DVD com participação de Xand Avião, Lauana Prado e Ludmila Ferber». O Liberal. 12 de novembro de 2019. Consultado em 12 de agosto de 2020 
  114. Ferreira, Mauro (19 de julho de 2020). «Joelma lança gravação de show de 25 anos de carreira em álbum e DVD com capas diferentes». G1. Globo.com. Consultado em 12 de agosto de 2020 
  115. Barros, Adriana de (22 de janeiro de 2020). «De casa nova! Joelma assina contrato com gravadora de Rick Bonadio». Universo Online. Consultado em 12 de agosto de 2020 
  116. Ferreira, Mauro (10 de março de 2020). «Joelma dança conforme a música do produtor Rick Bonadio». G1. Globo.com. Consultado em 12 de agosto de 2020 
  117. Ferreira, Diana Neto (28 de janeiro de 2013). «Tenho essa promessa de Deus, na hora que ele me chamar eu estou pronta!, diz Joelma sobre virar cantora gospel». Contigo!. Abril.com. Consultado em 12 de agosto de 2020. Arquivado do original em 1 de fevereiro de 2013 
  118. RecordTV. «Joelma - Legendários - 28/05/2016». YouTube. Consultado em 12 de agosto de 2020 
  119. Dorigatti, Bruno (14 de setembro de 2009). «Banda Calypso, dez anos subvertendo a lógica». Livraria Saraiva. Consultado em 12 de agosto de 2020. Arquivado do original em 6 de abril de 2019 
  120. TV Aratu. «Joelma (Banda Calypso) manda recado para Daniela Mercury». YouTube. Consultado em 12 de agosto de 2020 
  121. «Rossy War comenta la posibilidad de cantar junto a Joelma Banda Calypso». YouTube. Consultado em 12 de agosto de 2020 
  122. «Joelma e Thalia? Maria do Bairro especula parceria». Sistema Brasileiro de Televisão. 3 de abril de 2018. Consultado em 12 de agosto de 2020 
  123. Monteiro, Rafael (23 de abril de 2020). «Joelma conquista a internet em live com dança com vassoura e look "Mortal Kombat"». Yahoo!. Consultado em 12 de agosto de 2020 
  124. «Rainha do tecnobrega, Joelma se apresenta em Goiânia pela primeira vez em carreira solo». Curta Mais. 15 de janeiro de 2016. Consultado em 12 de agosto de 2020 
  125. a b c d Nogueira, Renata (18 de maio de 2016). «Joelma assume pose de heroína em 1º trabalho solo: "Mulheres me agradecem"». Universo Online. Consultado em 12 de agosto de 2020 
  126. Meire Kusumoto, Raquel Carneiro (21 de maio de 2016). «Joelma fala sobre nova fase: 'Nunca fui tão feliz'». Veja. Abril.com. Consultado em 12 de agosto de 2020 
  127. «'Calypso nunca vai acabar', diz Joelma no 'Programa da Tarde'». Caras. Universo Online. 13 de junho de 2013. Consultado em 12 de agosto de 2020 
  128. Gomes, Joatan (29 de maio de 2018). «JOELMA». Banco de Dados Vocais. Consultado em 25 de dezembro de 2018 
  129. Penerotti, Álvaro (17 de janeiro de 2018). «Cantora Joelma pode migrar para o sertanejo, diz colunista». Observatório dos Famosos. Universo Online. Consultado em 7 de setembro de 2020 
  130. «Joelma comenta a evolução de seus figurinos ao longo da carreira: "Meu passado me condena"». RecordTV. R7. 21 de abril de 2016. Consultado em 7 de setembro de 2020 
  131. Abreu, Sebastião Vilela (22 de fevereiro de 2013). «Romântico, mas caliente». O Popular. Consultado em 7 de setembro de 2020 
  132. «Figurinos extravagantes e polêmicas! Nova quarentona, Joelma coleciona saias justas no palco e fora dele». R7. 22 de junho de 2014. Consultado em 7 de setembro de 2020 
  133. Guimarães, Guilherme (2005). «É lambada, é axé? Não, é Calypso». Abril.com. Consultado em 7 de setembro de 2020. Arquivado do original em 24 de dezembro de 2005 
  134. Côrtez, Natacha (6 de novembro de 2018). «Joelma abre sua história com a violência doméstica: "Passei a temer pelos meus filhos"». Marie Claire. Globo.com. Consultado em 7 de setembro de 2020 
  135. «Joelma responde a perguntas curiosas nos bastidores do 'Altas Horas'». Gshow. Globo.com. 27 de junho de 2018. Consultado em 12 de agosto de 2020 
  136. «'Joelma faz melhor', disparam internautas após suposto playback de Anitta». Diário Online. 6 de outubro de 2019. Consultado em 13 de agosto de 2020 
  137. Caroline, Amanda (21 de maio de 2020). «5 coisas que Joelma consegue fazer usando bota de salto e você não». Yahoo!. Consultado em 13 de agosto de 2020 
  138. Alberto, João (21 de maio de 2016). «Joelma na Dança dos Famosos». João Alberto Blog. Pernambuco.com. Consultado em 13 de agosto de 2020 
  139. «Joelma revela segredo de como aguenta cantar e dançar de salto». Gshow. Globo.com. 25 de maio de 2019. Consultado em 13 de agosto de 2020 
  140. «Joelma sempre chamou atenção pelos seus figurinos». Purepeople. Consultado em 13 de agosto de 2020 
  141. «Joelma, a rainha dos figurinos inusitados (e bizarros)». Veja. Abril.com. 16 de outubro de 2015. Consultado em 13 de agosto de 2020 
  142. «Joelma bate cabelo com Maraisa no palco e revela: 'Aprendi com os roqueiros'». Gshow. Globo.com. 26 de outubro de 2019. Consultado em 13 de agosto de 2020 
  143. Huertas, Caroline (4 de julho de 2020). «Joelma brilhou em sua live cheia de looks e encenações». OFuxico. Terra. Consultado em 13 de agosto de 2020 
  144. «Figurinos extravagantes e polêmicas! Nova quarentona, Joelma coleciona saias justas no palco e fora dele». R7. 22 de junho de 2014. Consultado em 13 de agosto de 2020 
  145. Alphen, Fernand (2009). «Joelma que é a mulher de verdade». FFWMAG 17 ed. p. 321. Consultado em 13 de agosto de 2020 
  146. «Violência doméstica, carreira solo, lives: 5 vezes que Joelma se reinventou». Universo Online. 24 de setembro de 2020. Consultado em 2 de outubro de 2020 
  147. Matos, Ana Carolina (7 de abril de 2019). «Joelma se sente mais feliz em nova fase da carreira». O Liberal. Consultado em 13 de agosto de 2020 
  148. Hemerly, Deborah (2 de julho de 2020). «Joelma: "Estou mais forte do que nunca"». Tribuna Online. Consultado em 13 de agosto de 2020 
  149. Alves, Iara (17 de julho de 2019). «Joelma faz show com músicas empoderadas no São João 2019 de Campina Grande e inspira fãs». G1. Globo.com. Consultado em 13 de agosto de 2020 
  150. Cunha, Vinícius (3 de maio de 2016). «Joelma supera divórcio e lança disco solo: 'Passado e ressentimento não têm vez'». Gshow. Globo.com. Consultado em 13 de agosto de 2020 
  151. Perim, Mariana (23 de maio de 2017). «Joelma rebate a sofrência e se reinventa em "Avante"». A Gazeta. Consultado em 13 de agosto de 2020 
  152. Robson (19 de fevereiro de 2018). «Após polêmica com público gay, Joelma faz show em boate LGBT do Recife». Jornal do Commercio. Universo Online. NE10. Consultado em 13 de agosto de 2020 
  153. Folhapress (2 de agosto de 2012). «Joelma, do Calypso, aconselha fã a deixar de ser gay». Gazeta do Povo. Consultado em 13 de agosto de 2020 
  154. «Joelma, do Calypso, diz em vídeo para fã 'se converter e virar homem'». G1. Globo.com. 2 de agosto de 2012. Consultado em 13 de agosto de 2020 
  155. «Joelma: 'Tenho muito amor e gratidão pelo meu público gay'». Guia Gay São Paulo. 10 de maio de 2017. Consultado em 13 de agosto de 2020 
  156. «Aconselhado por Joelma a deixar de ser gay, fã defende cantora». Folha de S.Paulo. Universo Online. F5. 3 de agosto de 2012. Consultado em 13 de agosto de 2020 
  157. Abílio, Felipe (2 de agosto de 2012). «Vídeo de Joelma cai na rede e cantora é acusada de homofobia». Ego. Globo.com. Consultado em 13 de agosto de 2020 
  158. Diario de Pernambuco (31 de março de 2013). «Joelma, do Calypso, compara gays a drogados e causa polêmica na internet». Correio Braziliense. Consultado em 13 de agosto de 2020 
  159. «Joelma, vocalista da banda Calypso, compara gays a drogados». Hoje em Dia. 30 de março de 2013. Consultado em 13 de agosto de 2020 
  160. «Joelma, vocalista da Banda Calypso, divulga nota de retratação após polêmica com gays». Hoje em Dia. 1 de abril de 2013. Consultado em 13 de agosto de 2020 
  161. «Joelma diz que declaração sobre homossexuais foi distorcida». Folha de S.Paulo. Universo Online. F5. 1 de abril de 2013. Consultado em 13 de agosto de 2020 
  162. «Joelma esclarece polêmica em comunicado oficial». Ego. Globo.com. 1 de abril de 2013. Consultado em 13 de agosto de 2020 
  163. Diario de Pernambuco (1 de abril de 2013). «Banda Calypso se pronuncia, em nota, sobre declarações polêmicas de Joelma». Correio Braziliense. Consultado em 13 de agosto de 2020 
  164. Rocha, Ará (1 de abril de 2013). «Joelma esclarece polêmica envolvendo seu nome». OFuxico. Terra. Consultado em 13 de agosto de 2020 
  165. «Joelma fala sobre atentado em Orlando: "Orando pelas famílias"». R7. 14 de junho de 2016. Consultado em 13 de agosto de 2020 
  166. Pollilo, Aline (14 de junho de 2016). «Joelma se pronuncia sobre atentado em Orlando: 'Orando pelas famílias'». Ego. Globo.com. Consultado em 13 de agosto de 2020 
  167. Frank, Gustavo (14 de junho de 2016). «Joelma fala sobre atentado em boate gay após polêmica». OFuxico. Terra. Consultado em 13 de agosto de 2020 
  168. «Evangélica, Joelma garante: 'Amo os gays de paixão'». Yahoo!. 4 de julho de 2018. Consultado em 13 de agosto de 2020 
  169. «Joelma diz ter cinco casas e fala sobre relação com gays: "Amo de paixão"». Universo Online. 3 de julho de 2018. Consultado em 13 de agosto de 2020 
  170. Prisco, Giovanna (5 de julho de 2018). «Joelma revela que tem cinco casas no Brasil». OFuxico. Terra. Consultado em 13 de agosto de 2020 
  171. «Joelma recusa convite para posar nua: "Desviaria o foco dos meus objetivos"». R7. 27 de novembro de 2015. Consultado em 13 de agosto de 2020 
  172. «Joelma, da Banda Calypso, está entre as 100 mais sexy». R7. 3 de novembro de 2009. Consultado em 13 de agosto de 2020 
  173. a b Sá, Michel (31 de outubro de 2012). «Tímida, Joelma do Calypso comemora título de mulher 'sexy', mas descarta nu: 'Não está de acordo com os conceitos religiosos'». Extra. Globo.com. Consultado em 13 de agosto de 2020 
  174. Bandeira, Regina (1 de agosto de 2010). «De olho no mercado latino, o Calypso prepara um CD em espanhol e faz shows no Japão, em Angola e em países da América do Sul». Correio Braziliense. Consultado em 18 de setembro de 2020 
  175. «Joelma, do Calypso, é convidada para posar nua, diz jornal». Correio. 17 de novembro de 2012. Consultado em 13 de agosto de 2020 
  176. Girão, Luisa (26 de novembro de 2015). «Joelma é convidada para posar nua na revista 'Sexy'». Ego. Globo.com. Consultado em 13 de agosto de 2020 
  177. «16 famosas que se recusaram a posar nuas e você nem imaginava; veja lista». iBahia.com. 4 de abril de 2015. Consultado em 13 de agosto de 2020 
  178. «Joelma fala sobre convite para posar nua na revista 'Sexy': "Lisonjeada"». Correio. 27 de novembro de 2015. Consultado em 13 de agosto de 2020 
  179. «Joelma e Chimbinha, novos cidadãos pernambucanos». Vermelho. 27 de outubro de 2009. Consultado em 13 de agosto de 2020 
  180. Sistema Brasileiro de Televisão (2012). «Joelma 83° lugar. O maior brasileiro de todos os tempos». YouTube. Consultado em 12 de agosto de 2020 
  181. «Joelma é a segunda mais querida do Brasil». João Alberto Blog. Pernambuco.com. 4 de novembro de 2012. Consultado em 13 de agosto de 2020 
  182. Túlio, Sílvio (13 de dezembro de 2018). «Cantora Joelma faz show no plenário da Assembleia Legislativa após receber título de Cidadã Goiana; vídeo». G1. Globo.com. Consultado em 13 de agosto de 2020 
  183. «Joelma recebe título de cidadã goiana e faz 'show' no meio do plenário da Assembleia Legislativa». Caras. Universo Online. 13 de dezembro de 2018. Consultado em 13 de agosto de 2020 
  184. Costa, Carlos (12 de dezembro de 2018). «Joelma recebe título de cidadã goiana». Jornal Daqui. O Popular. Consultado em 13 de agosto de 2020 
  185. Tecidio, Luciana (11 de março de 2020). «Joelma completa 25 anos de carreira e avisa: 'Posso tudo, menos desistir'». Gshow. Globo.com. Consultado em 24 de agosto de 2020 
  186. Bonini, Marina (24 de julho de 2020). «Joelma relembra auge de Calypso: "Acabou levando minha saúde pro buraco"». Quem. Globo.com. Consultado em 24 de agosto de 2020 
  187. Folha Online (24 de agosto de 2006). «Saiba mais sobre a Banda Calypso». Folha de S.Paulo. Universo Online. Consultado em 13 de agosto de 2020 
  188. «Genéricos do calypso». Agora São Paulo. Universo Online. Consultado em 13 de agosto de 2020 
  189. «No palco, a rainha do Calypso». O Popular. 15 de dezembro de 2017. Consultado em 13 de agosto de 2020 
  190. «Calypso! Joelma anuncia data de sua live show e fãs ficam eufóricos». Sistema Brasileiro de Televisão. 14 de abril de 2020. Consultado em 13 de agosto de 2020 
  191. Patrícia Moraes, do Internet Group (2 de maio de 2014). «Chimbinha sobre banda Calypso: "Eu quero parar, mas a Joelma não deixa"». LeiaMais.Ba. Consultado em 13 de agosto de 2020 
  192. Stephania, Bianca Siarom (29 de julho de 2019). «Em comemoração de 25 anos de carreira, Joelma escolhe Goiânia para gravar DVD». Curta Mais. Consultado em 13 de agosto de 2020 
  193. Villaverde, Leo (2020). Joelma Fenomenal! 25 Anos: A Arte, a Música e a Vida da Pequena Notável do Norte. [S.l.]: Editora O Pensador. p. Contracapa 
  194. Rocha, Ará (15 de janeiro de 2006). «Domingo Legal promove leilão beneficente de roupa da banda Calypso». OFuxico. Terra. Consultado em 14 de agosto de 2020 
  195. Rocha, Ará (24 de janeiro de 2006). «Vocalista do Calypso formaliza documento sobre vestido leiloado». OFuxico. Terra. Consultado em 14 de agosto de 2020 
  196. «Joelma doa bota ao Teleton 2012: 'Sempre que posso, eu ajudo'». Caras. Universo Online. 10 de novembro de 2012. Consultado em 14 de agosto de 2020 
  197. «Famosos doam objetos pessoais para leilão do Teleton». OFuxico. Terra. 26 de outubro de 2013. Consultado em 14 de agosto de 2020 
  198. «Cantora Joelma doa peças do acervo da banda Calypso para bazar e ajuda crianças deficientes». G1. Globo.com. 13 de abril de 2018. Consultado em 14 de agosto de 2020 
  199. «Cantora Joelma apoia AACD Recife». Associação de Assistência à Criança Deficiente. 25 de julho de 2018. Consultado em 14 de agosto de 2020 
  200. Costa, Carlos (12 de dezembro de 2018). «Homenagem a Joelma». Assembleia Legislativa de Goiás. Consultado em 14 de agosto de 2020 
  201. «Joelma faz live com sucessos da carreira, nesta quarta, para ajudar instituições do Pará». G1. Globo.com. 22 de abril de 2020. Consultado em 14 de agosto de 2020 
  202. Dias, Leo (23 de abril de 2020). «Joelma faz de live um reality show e ensina que criatividade é fundamental». Universo Online. Consultado em 14 de agosto de 2020 
  203. Rodrigues, Mirtes (27 de maio de 2020). «Segunda live de Joelma será realizada no próprio quarto da cantora». O Povo. Consultado em 14 de agosto de 2020 
  204. «Joelma vai de princesa da Disney a cangaceira, mas é "traída" em live». Universo Online. 28 de maio de 2020. Consultado em 14 de agosto de 2020 
  205. Marques, Helena (31 de maio de 2020). «POPlineMasks4ALL: Joelma canta música nova, "Botar Pra Chorar"!». POPline. Universo Online. Consultado em 14 de agosto de 2020 
  206. Barbosa, Millena (13 de junho de 2020). «Joelma, Naiara Azevedo, Lauana Prado e Solange Almeida fazem live 'Festival 360°', em Goiânia». G1. Globo.com. Consultado em 14 de agosto de 2020 
  207. «Fique em Casa e Seja Solidário: descubra quais lives de cantores estão acontecendo em prol do Hospital de Amor». Hospital de Amor. 8 de maio de 2020. Consultado em 14 de agosto de 2020 
  208. Dias, Leo (4 de julho de 2020). «Joelma "raiz" brilha em live no rádio, TV e YouTube. Ouça áudio exclusivo». Metrópoles. Consultado em 14 de agosto de 2020 
  209. «Joelma - #JoelmaBateuSaudade Fique Em Casa e Cante #Comigo». YouTube. 3 de outubro de 2020. Consultado em 14 de novembro de 2020 
  210. «Bate-papo com Calypso». Universo Online. 18 de abril de 2005. Consultado em 18 de setembro de 2020 
  211. Schimidt, Fernanda (15 de maio de 2009). «"Quero fazer roupa para todos os estilos", diz Joelma, do Calypso, sobre sua grife». Brasil Online. Universo Online. Consultado em 14 de agosto de 2020 
  212. Sant, Thaís (1 de dezembro de 2009). «Joelma, do Calypso, quer exportar peças de sua grife». OFuxico. Terra. Consultado em 14 de agosto de 2020 
  213. «Joelma lança Meia-Calça Invisível». O Povo. 18 de março de 2010. Consultado em 14 de agosto de 2020 
  214. «Não sabe como disfarçar estrias e varizes? Joelma te ensina!». Vírgula. R7. 7 de abril de 2010. Consultado em 14 de agosto de 2020 
  215. «MPM chama a banda Calypso para trilha sonora da campanha da Assolan no BBB7». Cidade Biz. 9 de janeiro de 2007. Consultado em 14 de agosto de 2020 
  216. «MPM cria primeira campanha para Assolan». PROPMARK. 9 de janeiro de 2007. Consultado em 14 de agosto de 2020 
  217. MTM Enterprises (2007). «Banda Calypso Propaganda Assolan (O Fenômeno)». YouTube. Consultado em 14 de agosto de 2020 
  218. «Banda Calypso mostra como personalizar Hipercard». PROPMARK. 10 de novembro de 2009. Consultado em 14 de agosto de 2020 
  219. «Comercial Hipercard Banda Calypso». YouTube. 2009. Consultado em 14 de agosto de 2020 
  220. «FILME ELETRO SHOPPING - CALYPSO (JOELMA E CHIMBINHA) - DIREÇÃO: PAULO DE TARSO». YouTube. 2012. Consultado em 14 de agosto de 2020 
  221. «Loja Oficial da Banda Calypso». Consultado em 10 de setembro de 2020. Arquivado do original em 1 de janeiro de 2013 
  222. Almeida, Flávia (29 de abril de 2016). «Joelma está com novo visual». OFuxico. Terra. Consultado em 14 de agosto de 2020 
  223. Kriss, Elba (28 de abril de 2016). «Em nova fase, Joelma repagina visual: "Preciso me encontrar comigo mesma agora"». Quem. Globo.com. Consultado em 14 de agosto de 2020 
  224. «Joelma recebeu R$ 300 mil para mudar visual, veja a diferença». iBahia.com. 29 de abril de 2016. Consultado em 14 de agosto de 2020 
  225. «Vem aí o "Superkit da Joelma", o novo kit do Jornal Daqui». Jornal Daqui. 22 de maio de 2018. Consultado em 14 de agosto de 2020 
  226. «Vem aí o Novo Super Kit da Joelma». Jornal Daqui. O Popular. 18 de outubro de 2018. Consultado em 14 de agosto de 2020 
  227. Waclawovsky, Verônica (13 de dezembro de 2018). «Cantora Joelma é a Nova Garota Propaganda das Marcas Romance e Favorita». Romance. Consultado em 14 de agosto de 2020 
  228. «Joelma x Big Lar». Cubo Talent. Consultado em 14 de agosto de 2020 
  229. joelmaareal (11 de novembro de 2018). «Boa tarde, meus maluquinhos! Ja foram conferir minha coleção de óculos em parceria com a @marielasstore ?! São 10...». Instagram. Consultado em 14 de agosto de 2020 
  230. joelmaareal (9 de abril de 2019). «Meus amores tem novidade chegando. Dia 15/04 estarei lançando minha linha de cosméticos em parceria com a @pehdcosmetics...». Instagram. Consultado em 14 de agosto de 2020 
  231. joelmaareal (30 de abril de 2019). «Meus amores, novidade pra vocês!!! Hoje estou lançando minha linha #18quilates em parceria com a @unikafolheados e...». Instagram. Consultado em 14 de agosto de 2020 
  232. joelmaareal (9 de outubro de 2019). «Dia de lançamento da minha linha prata: Só Pra Você e Eu ..."Em Linhas Prateadas Pelas Mãos de Deus"... Peças...». Instagram. Consultado em 14 de agosto de 2020 
  233. «Magazine Luiza inaugura lojas no Pará nesta segunda-feira (16)». Bacana News. 12 de setembro de 2019. Consultado em 14 de agosto de 2020 
  234. «Magazine Luiza chega ao Norte com inauguração de 19 lojas no Pará». Gazeta do Povo. 17 de setembro de 2019. Consultado em 14 de agosto de 2020 
  235. «Tele Sena apresenta formato de campanha regionalizada». Grandes Nomes da Propaganda. 10 de abril de 2019. Consultado em 14 de agosto de 2020 
  236. Brandão, Bruno (7 de abril de 2020). «Joelma, Solange Almeida e Naiara Azevedo estrelam campanha da Tele Sena». Thiago Lagos. Consultado em 14 de agosto de 2020 
  237. joelmaareal (16 de julho de 2020). «Sabia que você pode transferir o seu FGTS Emergencial para o @mercadopagobr? Você paga contas e boletos, recarrega o...». Instagram. Consultado em 14 de agosto de 2020 
  238. Soares, Rodrigo (26 de agosto de 2015). «'Ela será feliz', diz filha de Joelma sobre saída da mãe da banda Calypso». Ego. Globo.com. Consultado em 15 de agosto de 2020 
  239. «Ximbinha publica foto com filho de criação e o elogia pela formatura». Rolling Stone Country. Universo Online. 12 de março de 2020. Consultado em 15 de agosto de 2020 
  240. «Entenda o que acontece com a banda Calypso». OFuxico. Terra. 2 de novembro de 2015. Consultado em 16 de agosto de 2020 
  241. «Joelma». Caras. Universo Online. Consultado em 16 de agosto de 2020 
  242. Nogueira, Renata (13 de outubro de 2015). «Parceria com Joelma acaba após 15 anos, e Chimbinha diz que assume Calypso». Universo Online. Consultado em 16 de agosto de 2020 
  243. O Dia (24 de agosto de 2019). «Ximbinha aparece pela 1ª vez com a filha que teve fora do casamento com Joelma». IstoÉ Gente. Terra. Consultado em 16 de agosto de 2020 
  244. Nascimento, Rafael (24 de abril de 2020). «Filha de 15 anos de Joelma e Ximbinha sonha trabalhar com música e diz ter apoio dos pais». Extra. Globo.com. Consultado em 16 de agosto de 2020 
  245. «Joelma, da banda Calypso, anuncia gravidez». Terra. 21 de fevereiro de 2009. Consultado em 16 de agosto de 2020 
  246. «Joelma, da banda Calypso, está grávida de dois meses». Ego. Globo.com. 21 de fevereiro de 2009. Consultado em 16 de agosto de 2020 
  247. «Cantora Joelma sofre aborto espontâneo». G1. Globo.com. 27 de fevereiro de 2009. Consultado em 16 de agosto de 2020 
  248. «Joelma perde o bebê». Extra. Globo.com. 27 de fevereiro de 2009. Consultado em 16 de agosto de 2020 
  249. Folha Online (27 de fevereiro de 2009). «Calypso confirma que Joelma perdeu bebê». Folha de S.Paulo. Universo Online. Consultado em 16 de agosto de 2020 
  250. «Joelma e Chimbinha, do Calypso, negam rumores de separação». Veja. Abril.com. 31 de julho de 2015. Consultado em 16 de agosto de 2020 
  251. «Joelma pediu separação após saber que Chimbinha tinha outra mulher; empresário garante que nada muda na banda Calypso». Extra. Globo.com. 20 de agosto de 2015. Consultado em 16 de agosto de 2020 
  252. «Após separação, Chimbinha nega traição, mas pede perdão». Veja. Abril.com. 24 de agosto de 2015. Consultado em 16 de agosto de 2020 
  253. «Chimbinha nega traição e pede perdão: "Não quero viver longe de Joelma"». iBahia.com. 24 de agosto de 2015. Consultado em 16 de agosto de 2020 
  254. Correio Braziliense (9 de setembro de 2015). «Vaza áudio atribuido a Chimbinha em que ele confessa traição a Joelma». Uai. Consultado em 16 de agosto de 2020 
  255. «Justiça determina proteção para Joelma após denúncia, diz advogada». G1. Globo.com. 11 de setembro de 2015. Consultado em 16 de agosto de 2020 
  256. «Chimbinha consegue na Justiça liminar para se apresentar ao lado de Joelma em show». Extra. Globo.com. 18 de setembro de 2015. Consultado em 16 de agosto de 2020 
  257. «Chimbinha consegue liminar já pode voltar aos palcos com o Calypso». Correio. 18 de setembro de 2015. Consultado em 16 de agosto de 2020 
  258. «Joelma quebra o silêncio e diz que Chimbinha tentou jogá-la do 2º andar». Universo Online. 1 de novembro de 2015. Consultado em 16 de agosto de 2020 
  259. «No 'Fantástico', Joelma quebra o silêncio e acusa Chimbinha: 'Ele perdia o controle com bebida'». Caras. Universo Online. 2 de novembro de 2015. Consultado em 16 de agosto de 2020 
  260. «Joelma e Chimbinha assinam divórcio em Vara da Família no Recife». G1. Globo.com. 9 de novembro de 2015. Consultado em 16 de agosto de 2020 
  261. «Joelma e Chimbinha assinam os papéis do divórcio». R7. 9 de novembro de 2015. Consultado em 16 de agosto de 2020 
  262. «Agora é oficial: Joelma e Chimbinha assinam divórcio em Recife». Correio. 9 de novembro de 2015. Consultado em 16 de agosto de 2020 
  263. Pinheiro, Felipe (9 de novembro de 2015). «Chimbinha e Joelma assinam o divórcio em fórum no Recife». Universo Online. Consultado em 16 de agosto de 2020 
  264. Pinheiro, Felipe (9 de novembro de 2015). «Joelma assina papéis do divórcio – e comemora». Veja. Abril.com. Consultado em 16 de agosto de 2020 
  265. «Joelma assume namoro com empresário e diz que 'aprendeu a não guardar mágoas'». Folha de S.Paulo. Universo Online. F5. 26 de julho de 2017. Consultado em 16 de agosto de 2020 
  266. «Joelma assume namoro e diz que "desintoxicou o coração"». Universo Online. 25 de julho de 2017. Consultado em 16 de agosto de 2020 
  267. «Joelma termina namoro com empresário: "ganhei um amigo"». Terra. 15 de junho de 2018. Consultado em 16 de agosto de 2020 
  268. Sá, Michel (15 de junho de 2018). «Joelma anuncia fim do namoro com empresário: 'Ganhei um grande amigo'». Extra. Globo.com. Consultado em 16 de agosto de 2020 
  269. «Curiosidades sobre Banda Calypso». LETRAS. Consultado em 11 de agosto de 2020 
  270. «Estação Acarajette recebe Calypso». Globo.com. Consultado em 16 de agosto de 2020 
  271. «Banda Calypso tocou sucessos no programa». Globo.com. 18 de julho de 2010. Consultado em 16 de agosto de 2020 
  272. «Tapas & Beijos: Calypso grava com Fernanda Torres e Andréa Beltrão». Rede Globo. Globo.com. 24 de maio de 2011. Consultado em 16 de agosto de 2020 
  273. Oliveira, Emília (28 de abril de 2012). «Cheias de Charme: Chayene invade show da banda Calypso». iBahia.com. Consultado em 16 de agosto de 2020 
  274. Oliveira, Emília (27 de agosto de 2017). «Aparição de especialista no Popstar causou alvoroço na internet». Catraca Livre. Consultado em 16 de agosto de 2020 
  275. Menezes, Gabrielli (4 de novembro de 2018). «Participante de Popstar realiza sonho de Joelma». Veja. Abril.com. Consultado em 7 de setembro de 2020 
  276. «Luiza Possi, Joelma e Fernanda Abreu estarão na bancada de especialistas do 'Popstar'». Gshow. Globo.com. 30 de novembro de 2019. Consultado em 16 de agosto de 2020 
  277. «Joelma faz participação em "A Força do Querer" e repercute na web». Catraca Livre. 16 de setembro de 2017. Consultado em 16 de agosto de 2020 
  278. «Joelma comanda o TVZ Ao Vivo nesta segunda-feira (30)». Multishow. Globo.com. 30 de julho de 2018. Consultado em 16 de agosto de 2020 
  279. Marques, Helena (16 de abril de 2019). «Joelma e IZA apresentam o TVZ desta semana!». POPline. Terra. Consultado em 16 de agosto de 2020 

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Joelma Mendes