Johann Georg Baiter

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Johann Georg Baiter
Nascimento 31 de maio de 1801
Zurique
Morte 10 de outubro de 1877 (76 anos)
Zurique
Cidadania Suíça
Alma mater
Ocupação linguista, filólogo clássico, erudito clássico

Johann Georg Baiter (Zurique, 31 de maio de 1801 — Zurique, 10 de outubro de 1877) foi um filólogo, crítico textual suíço.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Baiter recebeu sua educação primária em Zurique e em 1818 foi para a Universidade de Tübingen, mas por falta de fundos para se manter nos estudos foi obrigado a voltar para Zurique, onde durante vários anos trabalhou como professor particular. De 1824 a 1829 estudou em Munique, sob a orientação do filólogo Friedrich Thiersch; em Göttingen sob a direção do também filólogo Georg Ludolf Dissen; em Königsberg, sob a orientação de Christian August Lobeck. De 1833 a 1876, foi professor experiente (Oberlehrer) na escola secundária de Zurique, onde morreu.[1]

Obras[editar | editar código-fonte]

O ponto forte de Baiter era a crítica textual, principalmente aplicada a Cícero e aos dez oradores áticos; foi muito bem sucedido na consulta dos melhores manuscritos e suas compilações foram feitas com a maior precisão. A maioria de suas obras foram produzidas em colaboração com outros estudiosos, tais como Johann Caspar von Orelli, que o considerava seu braço direito. Em 1831 editou Panegírico de Isócrates; com Hermann Sauppe, Leocratea de Licurgo em 1834 e Oratores Atticae (1838-1850); com Orelli e Winckelmann, uma edição crítica de Platão (1839-1842), que marcou um avanço distinto no texto, dois novos manuscritos foram publicados com o auxílio de contribuições: com Orelli, Babrius, Fabellae Iambicae nuper repertae (1845); Isócrates, na coleção de clássicos Didot (1846).[1]

Colaboradores[editar | editar código-fonte]

Baiter tinha já há algum tempo se associada com Orelli em sua grande obra sobre Cícero, e ajudou no Ciceronis Scholiastae (1833) e Onomasticon Tullianum (1836-1838). Os Fasti Consulares e Triumphales são todos trabalhos próprios. Com Orelli e (após sua morte) Karl Felix Halm, Baiter ajudou na segunda edição de Cícero, e, com Karl Ludwig Kayser, editou o mesmo autor para a série Tauchnitz (1860-1869). Ele também publicou as novas edições de Tácito e Horácio, de Orelli. Vale a pena notar que, com Sauppe, ele traduziu Topografia de Atenas de William Martin Leake.[1]

Notas

  1. a b c Chisholm, Hugh;. «Baiter, Johann Georg». Encyclopædia Britannica (em inglês). 3 1911 ed. Cambridge: Cambridge University Press. 225 páginas 

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]