John Dryden

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
John Dryden
Nascimento 19 de agosto de 1631
Aldwinkle, Northamptonshire
Morte 12 de maio de 1700 (68 anos)
Nacionalidade Inglaterra Inglês
Ocupação Poeta

John Dryden (Aldwinkle, Northamptonshire, 19 de agosto de 163112 de maio de 1700) foi um poeta, crítico literário e dramaturgo inglês que dominou a vida literária na Inglaterra durante a Restauração.[1]

Vida[editar | editar código-fonte]

Dryden nasceu na aldeia de Aldwincle, próximo Oundle em Northamptonshire. Era o mais velho dos catorze filhos nascidos de Erasmus Dryden e Mary Pickering,[2] neto paterno de Sir Erasmus Dryden.

Em 1650 Dryden passou para o Trinity College, Cambridge onde ele teria experimentado um retorno ao ethos religioso e político da sua infância.[3] Chegando em Londres durante o protectorado, Dryden obteve trabalho com o secretário de Estado de Cromwell, John Thurloe.[2] Pouco tempo depois ele publicou seu primeiro poema importante, Heroique Stanzas (1658), uma elegia sobre a morte de Cromwell, que é cauteloso e prudente na sua exibição emocional. Em 1660 Dryden comemorou a Restauração da monarquia e do regresso de Carlos II com Astraea Redux, uma autêntico panegirico monárquico . Neste trabalho o interregno é ilustrado como um período de anarquia, e Carlos é visto como o restaurador da paz e da ordem.

Dryden morreu em 1700 e se encontra enterrado na Abadia de Westminster.[4] Sua poesia, patriótica, religiosa e satírico-política, popularizou um tipo de verso endecassílabo que será o preferido do século XVIII, pois foi tomada como modelo por poetas como Alexander Pope e Samuel Johnson.

Trabalhos selecionados[editar | editar código-fonte]

A página de rosto de The Hind and the Panther
Uma ilustração na festa de Alexandre

Trabalhos dramáticos[editar | editar código-fonte]

As datas fornecidas são (atuadas / publicadas) e, a menos que indicado de outra forma, foram retiradas da edição de Scott.[5]

  • The Wild Gallant, a Comedy (1663/1669)
  • The Rival Ladies, a Tragi-Comedy (1663/1664)
  • The Indian Queen, a Tragedy (1664/1665)
  • The Indian Emperor, or the Conquest of Mexico by the Spaniards (1665/)
  • Secret Love, or the Maiden Queen (1667/)
  • Sir Martin Mar-all, or the Feigned Innocence, a Comedy (1667/1668)
  • The Tempest, or the Enchanted Island, a Comedy (1667/1670)
  • An Evening's Love, or the Mock Astrology, a Comedy (1668/1668)
  • Tyrannick Love, or the Royal Martyr, a Tragedy (1668 or 1669/1670)
  • Almanzor and Almahide, or the Conquest of Granada by the Spaniards, a Tragedy, Part I & Part II (1669 or 1670/1672)
  • Marriage-a-la-Mode, a Comedy (1673/1673)
  • The Assignation, or Love in a Nunnery, a Comedy (1672/1673)
  • Amboyna; or the Cruelties of the Dutch to the English Merchants, a Tragedy (1673/1673)
  • The Mistaken Husband (comedy) (1674/1675)[6]
  • The State of Innocence, and Fall of Man, an Opera (/1674)
  • Aureng-Zebe, a Tragedy (1676/1676)
  • All for Love, or the World Well Lost, a Tragedy (1678/1678)
  • Limberham, or the Kind Keeper, a Comedy (/1678)
  • Oedipus, a Tragedy (1678 or 1679/1679)
  • Troilus and Cressida, or Truth found too late, a Tragedy (/1679)
  • The Spanish Friar, or the Double Discovery (1681 or 1682/)
  • The Duke of Guise, a Tragedy (1682/1683) com Nathaniel Lee
  • Albion and Albanius, an Opera (1685/1685)
  • Don Sebastian, a Tragedy (1690/1690)
  • Amphitryon, or the Two Sosias, a Comedy (1690/1690)
  • King Arthur, or the British Worthy, a Dramatic Opera (1691/1691)
  • Cleomenes, the Spartan Hero, a Tragedy (1692/1692)
  • Love Triumphant, or Nature will prevail, a Tragedy (1693 or 1694/1693 or 1694)
  • The Secular Masque (1700/1700)

Outros trabalhos[editar | editar código-fonte]

O infante Príncipe de Gales, cujo nascimento Dryden celebrou na Britannia Rediviva
  • Astraea Redux, 1660
  • Annus Mirabilis (poem), 1667
  • An Essay of Dramatick Poesie, 1668
  • Absalom and Achitophel, 1681
  • Mac Flecknoe, 1682
  • The Medal, 1682
  • Religio Laici, 1682
  • To the Memory of Mr. Oldham, 1684
  • Threnodia Augustalis, 1685
  • The Hind and the Panther, 1687
  • A Song for St. Cecilia's Day, 1687
  • Britannia Rediviva, 1688
  • Epigram on Milton, 1688
  • Creator Spirit, by whose aid, 1690.[7]
  • The Works of Virgil, 1697
  • Alexander's Feast, 1697
  • Fables, Ancient and Modern, 1700
  • Palamon and Arcite
  • The Art of Satire

Referências

  1. The Mirror of Literature, Amusement, and Instruction. [S.l.]: J. Limbird. 1839. p. 25 
  2. a b John Dryden (5 de março de 2013). Selected Poems. [S.l.]: Courier Corporation. pp. 7–8. ISBN 978-0-486-15392-6 
  3. Samuel Greatheed; Daniel Parken; Theophilus Williams; Josiah Conder, Thomas Price, Jonathan Edwards Ryland, Edwin Paxton Hood (1842). The Eclectic Review. [S.l.: s.n.] p. 47 
  4. George Lewis SMYTH (1843). Biographical Illustrations of Westminster Abbey. [S.l.: s.n.] p. 78 
  5. Walter Scott, ed. (1808). The Works of John Dryden. London: William Miller 
  6. Authorship is unresolved; not included in Scott.
  7. Hatfield, Edwin F., ed., The Church Hymn book, 1872 (n. 313, pp. 193–94), New York and Chicago
Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: John Dryden
Wikisource
A Wikisource contém fontes primárias relacionadas com John Dryden
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço relacionado ao Projeto Biografias. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.