John Gielgud

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
John Gielgud
Nome completo Arthur John Gielgud
Outros nomes Sir John Gielgud
Nascimento 14 de abril de 1904
Londres,  Inglaterra
Nacionalidade britânico
Morte 21 de maio de 2000 (96 anos)
Aylesbury, Inglaterra
Ocupação ator
Oscares da Academia
Melhor ator secundário
Arthur (1981)
Globos de Ouro
Melhor Ator (coadjuvante/secundário) em cinema
Arthur (1981)
Melhor ator (coadjuvante/secundário) em televisão
War and Remembrance (1988)
IMDb: (inglês)
John Gielgud como Ricardo III

Sir Arthur John Gielgud OM, OCH ( /ˈɡlɡʊd/; 14 de Abril de 1904 - 21 de Maio de 2000) foi um actor e director de teatro inglês cuja carreira se prolongou por oito décadas. Juntamente com Ralph Richardson e Laurence Olivier, Gielgud foi um do trio de actores que dominou os palcos britânicos durante quase todo o século XX. Membro da família Terry, uma dinastia teatral, obteve o seu primeiro papel pago na companhia de teatro do seu primo Phyllis Neilson-Terry em 1922. Depois de ter estudado na Royal Academy of Dramatic Art trabalhou em teatro de repertório e no Teatro West End antes de se estabelecer no Old Vic como um dos expoentes de Shakespeare no período 1929-1931.

Durante a década de 1930, Gielgud foi uma das estrelas do palco do West End e da Broadway, surgindo em clássicos e em novas peças. Gielgud deu início a uma carreira paralela como director, criando a sua própria companhia no Queen's Theatre, em Londres. Foi considerado como o melhor Hamlet do seu tempo, e também era conhecido pelos seus personagens de comédia como John Worthing em The Importance of Being Earnest. Nos anos 50, Gielgud temeu que a sua carreira tivesse sido ameaçada quando foi condenado e multado por um delito de natureza homossexual, mas tanto os seus colegas como o público o apoiaram com lealdade. Quando o teatro avant-garde começou a superar as produções tradicionais do West End no final da década de 1950, Gielgud não conseguiu encontrar novos papéis para desempenhar, e por vários anos ficou conhecido no teatro pelas suas representações a solo de Shakespeare, Ages of Man. No do final da década de 1960, encontrou algumas peças teatrais que se adequavam ao seu estilo, de autores como Alan Bennett, David Storey e Harold Pinter.

Durante a primeira metada da sua carreira, Gielgud não levou o cinema a sério. Embora tenha feito o seu primeiro filme em 1924, e de ter tido sucesso com The Good Companions (1933) e Júlio César (1953), apenas nos seus 60 anos é que encarou a carreira cinematográfica mais a sério. Gielgud participou em mais de sessenta filmes, desde Becket (1964), recebendo a sua primeira nomeação para o Óscar pelo seu papel como Luís VII de França, e Elizabeth (1998). No papel do sarcástico Hobson em Arthur (1981), ganhou he won the Óscar de melhor actor secundário. Por todo o seu trabalho cinematográfico, recebeu Globo de Ouro e dois BAFTA.

Apesar de indiferente aos prémios, Gielgud teve a rara distinção de ganhar um Óscar, um Emmy, um Grammy e um Tony. Gielgud ficou famoso, desde o início da sua carreira, pela sua voz e mestria nas obras de Shakespearean. Na rádio e na televisão, esteve em mais de uma centena de programas entre 1929 e 1994, gravando algumas das suas peças, incluindo dez de Shakespeare. Das honras recebidas, destaca-se a de cavaleiro em 1953, e o nome de um teatro. Entre 1977 e 1989, foi presidente da Royal Academy of Dramatic Art.

Filmografia selecionada[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Applications-multimedia.svg A Wikipédia possui o