John Gray (socialista)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
John Gray
Nascimento 1799
Escócia
Morte 26 de abril de 1883 (84 anos)
Cidadania Reino da Grã-Bretanha, Reino Unido da Grã-Bretanha e Irlanda
Ocupação economista, autor, jornalista, escritor

John Gray (1799-1883)[1] foi um socialista e economista britânico.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Muito pouca informação pessoais sobre John Gray são disponíveis. Ele viveu principalmente em Edimburgo. De acordo com seu próprio relato, era um pobre estudante que abandonou a escola cedo, indo para Londres para trabalhar em uma fábrica. Suas dificuldades o convenceram dos males do sistema econômico e levou-o a ler os escritos de Adam Smith, David Ricardo e outros economistas, e ter interesse em vários esquemas de reforma social.[2] Ele era um admirador do reformador social Abram Combe.[3] Gray foi por algum tempo associado com o movimento cooperativo de Robert Owen e foi um dos seguidores do Socialismo Ricardiano, junto com Thomas Hodgskin e John Francis Bray. .

John Gray escreveu vários livros, incluindo Lectures on Human Happiness (1825), The Social System: A Treatise on the Principle of Exchange(1831), An Efficient Remedy for the Distress of Nations (1842), The Currency Question(1847), Lectures on the Nature and Use of Money (1848) e vários outros. Em 1825, John Gray e seu irmão James fundaram o Edinburgh and Leith Advertiser e em 1826 o North British Advertiser.

Em 1844-49, encontramos os irmãos listados como proprietários do jornal Gray's Local Advertiser em Glasgow.[4] John Gray também contribuiu com artigos para uma variedade de revistas na Grã-Bretanha e até mesmo no Estados Unidos, como o artigo sobre "Reforma industrial" publicado em 1848 no United States Magazine and Democratic Review.[5]

Karl Marx cita Grey, juntamente com outros socialistas Ricardianos, em sua polêmica contra Pierre-Joseph Proudhon.[6] Ele críticous as ideias de Gray e de outros socialistas ricardianos em sua obra Contribuição para a Crítica da Economia Política (1859).[7]

Não se sabe muito mais sobre John Gray. Em 1846, há uma referência a ele no The Law Times, citando "falido, cuja propriedade foram totalmente administrada".[8]

Apesar de 1883 é dado como o ano de sua morte na maioria das fontes mais recentes, muitas outras fontes citam o ano como 1850.

Referências

  1. Algumas fontes dão o ano de 1850 como o da sua morte.
  2. Gray, John, The Social System. Edinburgh, 1831, p. 338
  3. Abram Combe (15 de janeiro 1775-19 de setembro de 1827) foi uma figura prominente em movimentos cooperativos em Orbiston em 1825. Gray escreveu um ensaio sobre Orbiston, A Word of Advice to the Orbistonians, on the Principles Which Ought to Regulate their Present Proceedings (1826).
  4. Cp. 'GRAY, J[ames] & J[ohn] newspaper printers Edinburgh,' no Scottish Book Trade Index. National Library of Scotland website at:http://www.nls.uk/catalogues/resources/sbti/glen-gray.
  5. The United States Magazine and Democratic Review, Vol. 23 (Dezembro de 1848), pagina 513-524
  6. Cp. Marx, K., Miséria da Filosofia (1847).
  7. Cp. Saad-Filho, A., 'Labour, Money, and "Labour Money": A Review of Marx' Critique of John Gray's Monetary Analysis.' History of Political Economy. 1993 25(1), pp. 65-84.
  8. The Law Times, Volume 7, London, 1846, p. 106.

Fontes[editar | editar código-fonte]

  • Thompson, N.W., The People's Science. Cambridge, 1984.
  • Kimball, J., The economic doctrines of John Gray, 1799-1883. Washington, 1948.
  • Cole, G.D.H., A History of Socialist Thought. Vol. 1: The Forerunners, 1789-1850. London and New York, 1953.
  • The Great Soviet Encyclopedia. Moscow, 1979.
  • Saad-Filho, A., 'Labour, Money, and "Labour Money": A Review of Marx' Critique of John Gray's Monetary Analysis.' History of Political Economy. 1993 25(1), pp. 65–84.
  • Thompson, N., The Market and its Critics: Socialist Political Economy in Nineteenth Century Britain. London and New York, 1988.
  • Lowenthal, E., The Ricardian Socalists. New York, 1911.