John J. Pershing

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de John Pershing)
Ir para: navegação, pesquisa
John J. Pershing
Nome completo John Joseph Pershing
Apelido "Black Jack"
Nascimento 13 de setembro de 1860
Laclede, Missouri
Estados Unidos
Morte 15 de julho de 1948 (87 anos)
Washington, D.C., Estados Unidos
Progenitores Mãe: Ann Elizabeth Thompson
Pai: John Fletcher Pershing
Cônjuge Helen Frances Warren
Filho(s) Helen Pershing
Anne Pershing
Francis Warren Pershing
Mary Pershing
Alma mater Academia Militar dos Estados Unidos em West Point
Serviço militar
Lealdade Flag of the United States (1912-1959).svg Estados Unidos
Serviço Exército dos Estados Unidos
Tempo de serviço 1886–1924
Patente General dos Exércitos
Batalhas/Guerras Guerras Indígenas
Guerra Hispano-Americana
Guerra Filipino-Americana
Guerra Russo-Japonesa
Expedição Pancho Villa
Primeira Guerra Mundial
Condecorações Cruz de Serviço Distinto
Medalha de Serviço Distinto
Estrela de Prata
Ordem do Banho
Legião de Honra
Assinatura
John J Pershing Signature.svg

John Joseph Pershing (Laclede, 13 de setembro de 1860Washington, D.C., 15 de julho de 1948) foi um militar norte-americano do Exército dos Estados Unidos que conduziu as Forças Expedicionárias Americanas na Primeira Guerra Mundial entre 1917 e 1918. Pershing rejeitou os pedidos britânicos e franceses para que as forças americanas estivessem integradas com os seus exércitos, e insistiu em que as FEA operassem como unidade única sob o seu comando, apesar de algumas divisões terem lutado sob a liderança britânica; algumas das suas tropas de reserva juntaram-se ao exército francês. Os primeiros combates com a intervenção das forças norte-americanas, ocorreram em Cantigny, Chateau-Thierry, Belleau e Soissons. Para acelerar a chegada das tropas americanas, os soldados partiram para França, deixando o equipamento pesado para trás, e utilizaram os tanques, artilharia, aeronaves e munições dos britânicos e dos franceses. Em Setembro de 1918, em Saint Mihiel, o Primeiro Exército estava sob as ordens directas de Pershing; o seu exército conquistou o saliente que estava sob controlo dos alemães havia três anos. Pershing mobilizou 600 000 homens para combater uma forte defesa nas florestas de Argonne, mantendo as suas divisões em combate durante 47 dias, juntamente com os franceses. Aquela vitória foi um de muitos factores que levaria os alemães a pedir um armistício, apesar de Pershing querer continuar a guerra.

Pershing é o único norte-americano a ser promovido a General dos Exércitos, durante a sua vida.[nota 1] Ele serviu de exemplo para uma geração de generais que comandaram os Estados Unidos na Europa durante a Segunda Guerra Mundial, incluindo George Marshall, Dwight D. Eisenhower, Omar Bradley e George S. Patton. Algumas das suas tácticas foram criticadas por outros comandantes contemporâneos e por historiadores actuais. A sua insistência em assaltos frontais, muito depois de os outros exércitos Aliados terem já abandonado esta táctica, tem sido apontada como causadora de baixas americanas desnecesssárias.[1]

As suas memórias My Experiences in the World War de 1932, valeram-lhe o Prémio Pulitzer de História.

Notas

  1. Um decreto do Congresso em 1976, promoveu George Washington ao mesmo posto mas com maior senioridade.

Referências

  1. Sheffield, G. (2001). Forgotten Victory: The First World War: Myths and Realities (2002 ed.). London: Headline Book Publishing. ISBN 0-7472-7157-7
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.