John Rudge

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
John Rudge
Nascimento 1792
Stround of Parrish, Gloucestershire
Morte 17 de agosto de 1854 (62 anos)
Rio de Janeiro, RJ
Nacionalidade  Reino Unido
Ocupação agricultor

John Rudge (Stround of Parish, Gloucestershire, Inglaterra, 1792Rio de Janeiro, 17 de agosto de 1854) foi um agricultor inglês.

Foi o patriarca da família Rudge que adentrou ao Brasil, tendo se transferido no ano de 1808, desembarcando no Rio de Janeiro, e dedicando-se ao comércio em importantes firmas das quais tinha sociedade, "Maxwell, Silva e Cia." e "MaxwellRight e Cia."

Chácara Morumbi[editar | editar código-fonte]

Como agricultor, foi o introdutor do chá da Índia no país, na Chácara Morumbi, de sua propriedade, em São Paulo, que recebeu de Diogo Antônio Feijó (um dos personagens mais importantes da história da capital). Uma das correntes mais disseminadas da História revela que junto com a frota portuguesa de D. João VI , no ano de 1808, em fuga das tropas napoleônicas, veio o inglês John Rudge, especialista no cultivo de chá. O rei português gostava muito da bebida, por isso doou terras da área posteriormente conhecida como o elegante bairro do Morumbi em São Paulo para John iniciar uma plantação. A propriedade, construída pelo regente Padre Diogo Antônio Feijó em taipa de pilão e com feições coloniais, foi inaugurada em 1813 e posteriormente se tornou conhecida como a Casa da Fazenda do Morumbi. A fazenda de chá se tornou próspera. Posteriormente, John Rudge plantou, também, videiras para produzir vinho, pois D. João VI cancelou um alvará que proibia manufaturas na colônia.

Capela da Casa da Fazenda do Morumbi

A Casa da Fazenda, assim como a Capela da Fazenda foram tombadas pelo CONPRESP, com base em estudo elaborado por técnicos do DPH, que apontou a importância histórica das construções e, sobretudo, de suas taipas, remanescentes de uma técnica construtiva hoje desaparecida (Prefeitura Municipal de São Paulo). A Capela está localizada num terreno que constituía a Fazenda do Morumbi, cujo mais antigo documento encontrado, é datado de 1825. Por volta da década de 1920 ruiu em parte, mas suas paredes de taipa resistiram e cuidadosa reconstrução feita a partir de projeto do arquiteto Gregori Warchavchik.

Por seu significado histórico, a propriedade serviu de cenário para várias produções cinematográficas como o filme "Sinhá Moça", de 1953, produzido pela Vera Cruz e dirigido por Tom Payne, baseado no romance de Maria Dezonne Pacheco Fernandes, estrelado por Eliane Lage e Anselmo Duarte. E também para "A Moreninha" e "Beto Rockfeller", de Oliver Perroy e "A Nova Primavera", de Franco Zefirelli.

Família[editar | editar código-fonte]

Foram seus pais: John Rudge e Ana Abiah Smith, casados no dia 10 de agosto de 1791 em Weston under Pluyard Parish, Inglaterra. Se casou no Rio de Janeiro em 14 de dezembro de 1831 com Maria Amália Maxwell, nascida no Rio de Janeiro em 30 de janeiro de 1816, filha de Joseph Maxwell e Maria Rosa de Souza Maxwell.

Falecido no Rio de Janeiro, foi sepultado no Cemitério dos Ingleses.

Foram seus filhos[1]:

Fontes[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «A Brazilian branch of the Rudge family». homepages.wmich.edu. Consultado em 5 de março de 2018 
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço relacionado ao Projeto Biografias. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.