John Terry

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
John Terry
John Terry
Terry na Seleção Inglesa em 2012
Informações pessoais
Nome completo John George Terry
Data de nasc. 7 de dezembro de 1980 (36 anos)
Local de nasc. Londres, Inglaterra
Nacionalidade Inglês
Altura 1,87 m[1]
Destro
Apelido Captain, Leader, Legend
Informações profissionais
Período em atividade 1998presente (19 anos)
Clube atual Aston Villa
Número 26
Posição Zagueiro
Clubes de juventude
1991–1995
1995–1998
West Ham United
Chelsea
Clubes profissionais2
Anos Clubes Jogos e gol(o)s
1998–2017
2000
2017–
Chelsea
Nottingham Forest (emp.)
Aston Villa
0717 000(67)
0006 0000(0)
0008 0000(0)
Seleção nacional
2000–2002
2003–2012
Inglaterra Sub-21
Inglaterra
0009 0000(1)
0078 0000(6)


2 Partidas e gols totais pelo
clube, atualizados até 21 de maio de 2017.

John George Terry, mais conhecido como John Terry, ou simplesmente Terry (Londres, 7 de dezembro de 1980), é um futebolista inglês que atua como zagueiro. Atualmente joga pelo Aston Villa.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Clubes[editar | editar código-fonte]

Terry (ao centro) em partida pelo Chelsea em 2009.

Terry começou nas equipes de base do Chelsea Football Club. Estreou pela equipe principal em Outubro de 1998, sob o comando de Gianluca Vialli. Em 2000, foi emprestado para o Nottingham Forest, retornando no mesmo ano.

Em 2001, foi eleito revelação do Chelsea e, na temporada seguinte, marcou presença em quase cinquenta jogos, marcando gols nas quartas-de-final e semifinais da Copa da Inglaterra.

Voltou a se destacar na temporada seguinte, ajudando o Chelsea a terminar o campeonato em quarto lugar. O fato de ter sido eleito, no início da temporada de 2003-04, capitão de equipe acrescentou consistência ao futebol de Terry. O zagueiro marcou três gols em trinta e três partidas da Premier League, ajudando o Chelsea a terminar a temporada em segundo lugar. Terry revelou-se igualmente impressionante na Liga dos Campeões, antes da equipe londrina ser eliminada pelo Monaco nas semifinais.

Na temporada 2004-05, Terry, herdando a faixa de capitão do francês Marcel Desailly, liderou o Chelsea na conquista da Premier League. O primeiro do time de Londres em cinquenta anos. Também ajudou os Blues a ganhar a Copa da Liga Inglesa e, novamente, chegar às semifinais da Liga dos Campeões, perdendo para o Liverpool.

Na temporada 2005-06, com sua reputação cada vez mais em alta, Terry foi peça importante na equipe que conquistou o bicampeonato da Premier League.

Na final da Liga dos Campeões em 2008 (contra o Manchester United), Terry perdeu um pênalti após escorregar na hora da cobrança, acabando com as chances do Chelsea levantar a, até então, inédita taça da Champions League.

Na temporada 2009-10, Terry foi um dos líderes da equipe, nas conquistas da Premier League e Copa da Inglaterra, o primeiro double da história do Chelsea.

Em 2012, Terry conquistou a Liga dos Campeões pelo Chelsea, mas não jogou contra o Bayern de Munique na final, devido a uma expulsão contra o Barcelona pelas semifinais. No ano seguinte, conquistou a Liga Europa.

Em 2015, Terry venceu seu quarto título da Premier League, sendo um dos principais nomes da conquista. Com sua ajuda, o Chelsea obteve a defesa menos vazada do campeonato, sofrendo apenas 32 gols em 38 jogos.

No dia 16 de janeiro de 2016, Terry completou 700 jogos com a camisa do Chelsea, ficando atrás apenas de Ron Harris (795) e Peter Bonetti (729), entre os jogadores que mais atuaram pelos Blues.[2]

No dia 17 de abril de 2017, o Chelsea anunciou que Terry iria sair no fim da temporada. Seu último jogo com a camisa do Chelsea foi no dia 21 de maio de 2017, em uma vitória sobre o Sunderland. Após o fim da partida, Terry levantou seu quinto troféu da Premier League, sendo ovacionado pela torcida dos Blues.

Escândalos[editar | editar código-fonte]

O momento em que Wayne Bridge (número 3) se recusa a cumprimentar Terry.

Em 2010 viu-se envolvido num escândalo ao ter-se envolvido com Vanessa Perroncel, então mulher do jogador Wayne Bridge. O caso chegou a colocar em risco o futuro de Terry no English Team, já que Terry e Bridge eram companheiros de seleção.

A Federação Inglesa de Futebol emitiu na segunda-feira um comunicado sobre o assunto no qual aponta que será o próprio treinador, Fabio Capello responsável por tomar a decisão sobre o futuro de Terry como capitão da Seleção Inglesa.

Em entrevista ao jornal “Daily Mail”, Capello afirmou: “Eu sei tudo. Mas ainda não posso falar nada até voltar a Londres na quinta-feira”,

Segundo o diário “The Sun”, os jogadores ingleses vão aceitar a decisão do treinador, mas esperam que ele perdoe o caso extraconjugal do capitão.

Em 27 de fevereiro de 2010, em partida válida pelo campeonato inglês, Terry e Bridge, jogadores do Chelsea e Manchester City, respectivamente, protagonizaram uma cena histórica na hora dos tradicionais cumprimentos.

Traído por Terry, Bridge cumprimentou a todos os adversários da fila, mas, quando chegou a vez do zagueiro, deixou o jogador do Chelsea com a mão estendida no vazio e seguiu cumprimentando os demais atletas do elenco londrino, em cena repetida inúmeras vezes pela televisão.[3] O Manchester City venceu o Chelsea por 4x2 na partida que ficou conhecida como A vingança do marido traído.

Após o incidente; Terry perdeu a faixa de capitão na seleção inglesa para Rio Ferdinand, salvou seu casamento com sua atual esposa e manteve a faixa de capitão no Chelsea.

Em 23 outubro de 2011, Terry foi acusado de "perturbação da ordem pública com agravante racial" contra o companheiro de profissão Anton Ferdinand, na partida contra o Queens Park Rangers, válida pela Premier League. Depois de cinco dias de julgamento, Terry foi considerado inocente por falta de provas.[4]

Seleção Inglesa[editar | editar código-fonte]

Terry em partida pela Seleção Inglesa em 2010.

Foi chamado pela primeira vez à equipe de Sven Göran Eriksson em março de 2003, para os confrontos contra Liechtenstein e Turquia em partidas de classificação à Eurocopa. Porém, acabou não sendo utilizado e teve de esperar pelo jogo contra a Sérvia e Montenegro, em Junho.

Na sua partida, foi o melhor jogador em campo no empate com a Turquia, que carimbou a classificação da Inglaterra para a fase final, em Portugal.

Terry marcou o primeiro gol do novo Estádio de Wembley, contra a Seleção Brasileira.

No dia 23 de setembro de 2012, anunciou sua aposentadoria da Inglaterra. O zagueiro anunciou sua aposentadoria da seleção em resposta ao que considera uma perseguição da Federação Inglesa após o suposto caso racista com Anton Ferdinand, em 2011.[5]

Ano
Jogos Gols
2003 6 0
2004 9 0
2005 6 0
2006 14 2
2007 7 1
2008 6 2
2009 10 1
2010 7 0
2011 7 0
2012 6 0
Total 78 6

Títulos[editar | editar código-fonte]

Chelsea
Seleção Inglesa

Prêmios Individuais[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]