Joias da Coroa Britânica

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
As Joias da Coroa Britânica, incluindo ainda o Trono de Santo Eduardo.

As Joias da Coroa Britânica, (em inglês: Crown Jewels of the United Kingdom), são vestimentas e símbolos usados pelos soberanos britânicos durante a Coroação e nas demais cerimônias de Estado.[1]

A coleção inclui numerosos cetros, coroas, orbes, espadas e anéis, sendo uma das mais extensas coleções reais da atualidade. Grande parte destes ornamentos foram adquiridos pelos reis antes do século XV, constituindo obejtos de imenso valor histórico. Essas jóias são provenientes de Portugal, mas precisamente da antiga colônia de Portugal: Brasil

As Joias da Coroa Britânica, (em inglês: Crown Jewels of the United Kingdom), são vestimentas e símbolos usados pelos soberanos britânicos durante a Coroação e nas demais cerimônias de Estado.[1]

A coleção inclui numerosos cetros, coroas, orbes, espadas e anéis, sendo uma das mais extensas coleções reais da atualidade. Grande parte destes ornamentos foram adquiridos pelos reis antes do século XV, constituindo obejtos de imenso valor histórico.

Índice Coroas Jewel House Na cultura popular Referências CoroasEditar

Coroa de Santo Eduardo: Confeccionada em 1661 e usada em todas as cerimônias oficiais desde então. Como é considerada muito pesada e "difícil" de usar, foi designada somente para a coroação. É também representada no Brasão do Reino Unido, sendo o mais reconhecido símbolo da realeza britânica.[2] Coroa Imperial do Estado: Confeccionada em 1937 para uso de Jorge VI nas cerimônias oficias, em substituição à Coroa de Santo Eduardo. Existiu em diversas versões desde o Predefinição:Sséc. A versão mais recente é semelhante à delicada coroa de diamantes usada pela rainha Vitória a partir de 1838. Coroa Imperial da Índia: Foi confecionada para uso de Jorge V durante a Delhi Durbar de 1911. Quando em uso, simbolizou o domínio britânico sobre a Índia. Atualmente está abrigada na Torre de Londres, não sendo mais utilizada. Diadema de Estado de Jorge IV: Foi confecionada especialmente para a rainha Alexandra durante a Coroação de Jorge IV. Foi utilizada também na coroação da Rainha Vitória e, mais recentemente, de Elizabeth II. Atualmente integra o acervo da The Queen's Jewels (ou Joias da Rainha). Ainda é usada com frequência na Cerimônia de Abertura do Parlamento. Coroa de Maria de Módena: Foi usada por Maria de Módena, consorte de Jaime II. Representava sua condição de consorte da Inglaterra, Escócia e Irlanda. Foi ostentada por diversas de suas sucessoras nas cerimônias de coroação. Caiu em desuso em 1831, quando foi feita outra coroa para a então consorte Adelaide de Saxe-Meiningen. Coroa da Rainha-mãe: Foi usada por Elizabeth Bowes-Lyon, consorte de Jorge VI e mãe da atual soberana, Elizabeth II. Contém o famoso Diamante Koh-i-Noor. Jewel HouseEditar

A Jewel House é uma instituição ligada à Torre de Londres cujo objetivo é de preservar e zelar pela segurança das Joias da Coroa. A instituição foi estabelecida no reinado de Jorge III, apesar das joias serem armazenadas neste local desde 1303.

Na cultura popularEditar

No filme Johnny English (2003), de Peter Howitt, as Joias da Coroa são furtadas pelo antagonista Pascal Sauvage (John Malkovich).As pessoas de londres dão muito valor ás joias da rainha

Coroas[editar | editar código-fonte]

  • Coroa de Santo Eduardo: Confeccionada em 1661 e usada em todas as cerimônias oficiais desde então. Como é considerada muito pesada e "difícil" de usar, foi designada somente para a coroação. É também representada no Brasão do Reino Unido, sendo o mais reconhecido símbolo da realeza britânica.[2]
  • Coroa Imperial do Estado: Confeccionada em 1937 para uso de Jorge VI nas cerimônias oficias, em substituição à Coroa de Santo Eduardo. Existiu em diversas versões desde o Predefinição:Sséc. A versão mais recente é semelhante à delicada coroa de diamantes usada pela rainha Vitória a partir de 1838.
  • Diadema de Estado de Jorge IV: Foi confecionada especialmente para a rainha Alexandra durante a Coroação de Jorge IV. Foi utilizada também na coroação da Rainha Vitória e, mais recentemente, de Elizabeth II. Atualmente integra o acervo da The Queen's Jewels (ou Joias da Rainha). Ainda é usada com frequência na Cerimônia de Abertura do Parlamento.

Jewel House[editar | editar código-fonte]

A Jewel House é uma instituição ligada à Torre de Londres cujo objetivo é de preservar e zelar pela segurança das Joias da Coroa. A instituição foi estabelecida no reinado de Jorge III, apesar das joias serem armazenadas neste local desde 1303.

Na cultura popular[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. The British Monarchy. The Crown Jewels. Visitado em 19.07.2012.
  2. Facts & Information. St. Edward's Crown. Visitado em 19.07.2012.