Jon Snow

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Jon Snow
Game of Thrones 2011 logo.svg
JonSnow 08.jpg
Outro(s) nome(s) Aegon Targaryen (tv)
Lorde Snow
Rei Corvo
O Lobo Branco
O Bastardo de Winterfell
Sexo masculino
Ocupação 998º Lorde Comandante da Patrulha da Noite (nos livros)
Lorde de Winterfell (na tv)
Família Livros:
Casa Stark
Ned Stark (pai)
Robb Stark (meio-irmão)
Sansa Stark (meia-irmã)
Arya Stark (meia-irmã)
Bran Stark (meio-irmão)
Rickon Stark (meio-irmão)
Série de tv:
Casa Stark
Lyanna Stark (mãe)
Ned Stark (tio/pai adotivo)
Robb Stark (primo/meio-irmão)
Sansa Stark (prima/meia-irmã)
Arya Stark (prima/meia-irmã)
Bran Stark (primo/meio-irmão)
Rickon Stark (primo/meio-irmão)
Casa Targaryen
Rhaegar Targaryen (pai)
Daenerys Targaryen (tia)
Viserys Targaryen (tio)
Aegon VI Targaryen (meio-irmão)
Status vivo
Criado por George R. R. Martin
Temporada(s) 17
Primeira aparição A Game of Thrones (livro)
"Winter is Coming" (tv)1ª temporada (2011)
Interpretado por Kit Harington

Jon Snow é um personagem fictício da série de livros de fantasia As Crônicas de Gelo e Fogo, escrita pelo autor norte-americano George R. R. Martin, e também de sua adaptação televisiva, o seriado Game of Thrones, no qual é revelado que seu nome verdadeiro é Aegon Targaryen, e que ele é o herdeiro legítimo do Trono de Ferro. Ele é considerado uma das "melhores criações" do autor e um dos personagens mais populares da série.[1]

Ele é introduzido no primeiro livro da série, A Guerra dos Tronos (1996), como o filho ilegítimo de Ned Stark, o honorável Lorde de Winterfell, uma fortaleza ancestral no Norte do reino fictício de Westeros. Sabendo que suas pretensões de vida são limitadas pela sua condição de filho bastardo, Jon se junta à Patrulha da Noite, que guarda as fronteiras norte do reino dos Selvagens, um povo que vive além da Muralha. Quando a família Stark encontra uma grande adversidade, Jon permanece na Patrulha em nome de seu juramento e sua honra. Em A Fúria dos Reis (1998), Jon se junta a uma patrulha de batedores que investigam uma ameaça sobrenatural chamada "Os Outros", além da Muralha, e consegue se infiltrar entre os Selvagens. Em A Tormenta das Espadas (2000), ele descobre o plano dos Selvagens de invadirem Westeros e começa a se apaixonar por uma guerreira deste povo, Ygritte. Jon os trai – e a Ygritte – antes que eles possam atacar, mas a vitória da Patrulha da Noite vem a um alto preço. Em A Dança dos Dragões (2011), feito Lorde Comandante da Patrulha da Noite por seus companheiros, ele trabalha por uma aliança entre os patrulheiros e os Selvagens, para enfrentar a ameaça maior, mas a crescente animosidade que criou entre seus próprios homens finalmente chega a um limite, e ele é forçado a enfrentar essas consequências.

Na série de TV, ele é interpretado pelo ator britânico Kit Harington, um nobre inglês, filho do 15º Baronete de Harington e descendente do rei Carlos II da Inglaterra.[2]

Perfil[editar | editar código-fonte]

Jon Snow é o filho bastardo de 14 anos de Ned Stark, Lorde de Winrterfell, e meio-irmão de Robb, Sansa, Arya, Bran e Rickon Stark. Ele tem fortes traços dos Stark, com uma estrutura magra, rosto longo, cabelos castanhos escuros e olhos cinzentos.[3] Tem o sobrenome "Snow", dado costumeiramente às crianças ilegítimas do Norte, e é desprezado pela esposa de Ned e mãe das outras crianças, Catelyn Stark, que o vê como uma lembrança constante da infidelidade do marido. Ele tem a mesma idade de Robb, o filho mais velho dos Stark, e tem uma boa relação com os irmãos, particularmente com a maria-rapaz Arya, que, como ele, também não se sente muito à vontade na família. Ned o trata como a todos os outros filhos mas, como uma espécie de intruso, Jon aprendeu a ser independente e se autodefender quando necessário. Ele idolatra o pai, mas sente quando Ned se recusa a lhe falar sobre sua mãe. No começo da história, ele adota um lobo-gigante albino a quem dá o nome de "Fantasma". Depois de um tempo, ele descobre que pode "interiorizar o lobo e dividir suas experiências.[4]

Parentesco[editar | editar código-fonte]

A identidade da mãe de Jon Snow, revelada na 6ª temporada da série de televisão (ela nunca foi revelada até agora nos livros), criou muita especulação entre os fãs e críticos da série. Desde 2011, quando da 1ª temporada de Game of Thrones, David Orr deu voz às teorias de leitores no The New York Times, quando escreveu: "Apesar de Jon Snow ser apresentado como o filho ilegítimo de Ned Stark, é incerto se o patriarca dos Stark é realmente seu pai".[1] Em 2014, o ator Sean Bean, que vive Ned nas telas, disse quando perguntado em entrevista sobre a possível volta de seu personagem em flashbacks em próximas temporadas:"Eu realmente tenho um negócio a terminar que precisa ser resolvido ali. Obviamente eu não sou o pai de Jon e isso precisa ser revelado em algum momento, não?"[5]

Como narrado por Ned em Game of Thrones, anos antes do começo dos eventos do livro, Rhaegar Targaryen, o filho mais velho do "Rei Louco" Aerys II Targaryen, mostrou seu favor público a Lyanna Stark durante um torneio na presença de sua própria esposa, a princesa de Dorne, Elia Martell.[6] Quando Rhaegar e Lyanna desaparecem um ano mais tarde, seu pai e de Ned, Rickard, e o irmão mais velho, Brandon, confrontaram pessoalmente o pai de Rhaegar, Aerys, exigindo que seu filho devolvesse a raptada Lyanna. Aerys ordenou uma execução brutal dos dois Stark pela insolência, o que fez com que Ned e seu amigo de infância Robert Baratheon, Lorde de Ponta Tempestade e noivo de Lyanna, se rebelassem contra o rei.[7][8] No que depois ficou conhecida como a "Rebelião de Robert", Aerys foi deposto – e morto por Jaime Lannister, integrante de sua Guarda Real – e Rhaegar morto num duelo por Robert. Após uma batalha sangrenta contra três guardas-reais de Aerys que protegiam a Torre da Alegria, Ned encontra a irmã dentro, à beira da morte numa cama cheia de sangue. Ela morre pouco depois após conseguir uma promessa dele, não revelada no livro.[6] Quando a guerra termina, Ned retorna para Winterfell trazendo Jon como seu filho ilegítimo.

A teoria R+L=J (Rhaegar+Lyanna=Jon), criada pelos fãs da saga, consiste em que, ao invés de Rhaegar ter raptado Lyanna, eles se apaixonaram e fugiram juntos. Vivendo por um ano na Torre da Alegria, eles conceberam uma criança, Jon. Rhaegar foi morto no combate com Robert e Lyanna morreu ao dar a luz. Ned afirmou que o filho era seu para protegê-lo de Robert, que queria exterminar todos os Targaryen da face da terra para assegurar sua própria reivindicação ao trono.[9] A teoria "R+L" foi confirmada no último capítulo da 7ª temporada da série de televisão, "The Dragon and the Wolf".[10]

Nos livros[editar | editar código-fonte]

A Guerra dos Tronos[editar | editar código-fonte]

Jon Snow primeiro aparece quando ele e seus cinco irmãos adotam seis filhotes de lobos-gigantes. Como filho ilegítimo de Ned Stark e com a esposa de Ned, Catelyn Stark, desprezando-o, ele sempre se sentiu à parte do resto da família Stark. Ele resolve se juntar à Patrulha da Noite, já que seu status o impede de fazer um bom casamento ou possuir terras. Na Muralha, guardada pela Patrulha no extremo norte, os outros recrutas a princípio se ressentem da aura de superioridade de Jon, mas ele repara o dano ajudando-os a dominar a espada. Ele fica amigo de Samwell Tarly, um pequeno lorde covarde, que apesar de ser péssimo com armas mostra grande interesse pela leitura. A independência de Jon e sua compaixão com os outros recrutas atraem a ira do severo mestre de armas Alliser Thorne, que o vê como uma ameaça à sua autoridade. Ele chama a atenção do comandante da Patrulha, Jeor Mormont, que o nomeia como seu principal escudeiro e o treina para o comando. Após saber da execução de seu pai, Jon resolve desertar e se juntar a seu irmão, Robb Stark, mas os outros patrulheiros o convencem a honrar os votos e seu juramento à Patrulha. Na noite seguinte, ele salva a vida de Mormont, matando uma misteriosa criatura morta-viva; o comandante então ordena uma grande incursão além das muralhas para conhecer melhor essa nova ameaça.[4]

A Fúria dos Reis[editar | editar código-fonte]

Mormont lidera um grupo de patrulheiros numa incursão além da Muralha para investigar o desaparecimento do tio de Jon, Benjen, descobrir as intenções do líder dos Selvagens, Mance Rayder, e obter mais informações sobre a nova ameaça dos Outros. Integrando uma dupla de batedores liderada por Qhorin Halfhand, Jon descobre um posto de observação dos Selvagens e captura uma de suas guerreiras, Ygritte; aconselhado pelos outros a matá-la, ele porém a deixa escapar e logo depois ele e Qhorin são capturados pelos Selvagens; Qhorin, que certamente enfrenta a execução pelas mãos de Rayder, diz a Jon para se infiltrar no grupo e descobrir todos os seus planos a qualquer custo. Jon finge repudiar a Patrulha da Noite e os Selvagens o forçam a lutar contra Qhorin para conquistar sua confiança; com o assentimento silencioso de Qhorin, ele o mata com a ajuda de seu lobo "Fantasma".[11]

A Tormenta das Espadas[editar | editar código-fonte]

Jon ganha a confiança dos Selvagens depois de matar Qhorin e se junta a eles. Ele descobre que Rayder pretende criar uma brecha na Muralha e marchar para o sul com seu povo para escapar dos Outros, enfrentando a Patrulha da Noite se necessário. Jon se encontra dividido entre seu amor por Ygritte e seus votos de celibato como patrulheiro. Após escalar a Muralha com Ygritte e Tormund Giantsbane, Jon os deixa para trás para avisar os patrulheiros do ataque iminente; ele ajuda a defender Castelo Negro contra o ataque inicial dos Selvagens apesar da desvantagem em homens e armas, mas Ygritte morre na luta, deixando-o arrasado. Quando a batalha é vencida, Jon é preso por deserção mas acaba libertado após convencer os juízes de sua lealdade; ainda desconfiado, Thorne o manda matar Mance Rayder, que foi capturado, como prova de lealdade, mas ele é interrompido pela chegada das tropas de Stannis Baratheon. Este gosta de Jon e oferece legitimá-lo como um Stark e declará-lo Lorde de Winterfell se ele aliar o Norte com Stannis, que pretende tomar a coroa dos Lannister após a morte de seu irmão, o rei Robert Baratheon. Apesar da tentação de se tornar um legítimo Stark, Jon prefere se manter fiel a seus votos à Patrulha. Com o apoio de Samwell, ele é eleito comandante da Patrulha da Noite por aclamação.[12][13]

O Festim dos Corvos[editar | editar código-fonte]

Jon manda Sam embora de Castelo Negro junto com Meistre Aemon e o filho recém-nascido de Mance Rayder para evitar que o bebê seja sacrificado pela sacerdotisa vermelha Melisandre. Ele também dá a Sam a missão específica de ir para a Cidadela, na Vilavelha, para se tornar um meistre, estudar e procurar conhecer melhor a ameaça mortal dos Outros e, eventualmente, suceder a Meistre Aemon.[14]

A Dança dos Dragões[editar | editar código-fonte]

Após enviar Samwell para a Cidadela, Jon negocia com sucesso uma rendição pacífica com o resto dos homens de Rayder. Ele promete assentar os Selvagens em regiões pouco povoadas do Norte e permitir a alguns deles se juntarem às guarnições de muitas das fortalezas abandonadas pela Patrulha da Noite ao longo da Muralha. Muitos patrulheiros desgostam da ideia de permitir que seus inimigos ancestrais cruzem a Muralha e passem a integrar a Patrulha. Jon tenta fazer malabarismos para conseguir a integração dos Selvagens, fazendo crescer a agitação entre os patrulheiros, enquanto Stannis tenta conseguir o auxílio da Patrulha em sua guerra pelo Trono de Ferro, mas tentando manter a Patrulha politicamente neutra. Agitados por estes acontecimentos sem precedentes, um grupo de oficiais, liderados por Slynt, desafia abertamente as ordens de Jon; quando Slynt se recusa a obedecê-lo, ele o executa.

Stannis explica a Jon seu plano para atacar Dreadfort, mas Jon o aconselha ao invés disso se reagrupar nas montanhas Clans e atacar Deepwood Motte, a fortaleza da Casa Glover, recentemente capturada pelo exército da Ilha de Ferro. Stannis segue o conselho e consegue o apoio dos Glover e dos Mormont. Jon é informado que sua irmã menor Arya Stark está se casando com Ramsay Bolton , de maneira que os Bolton podem assim reivindicar Winterfell. Sem saber que na verdade a noiva é Jeyne Poole, uma amiga de Sansa Stark, a outra irmã, Jon manda Mance Rayder e alguns de seus homens resgatá-la enquanto Stannis e sua tropas marcham para Winterfell. Mais tarde Jon recebe uma carta de Bolton dizendo que Stannis foi derrotado e morto e que Rayder é prisioneiro. Bolton também ameaça ir a té a Muralha e matar Jon se ele não devolver os reféns que fez. Quando sabe disso, Jon decide ir atrás de Bolton em Winterfell ele mesmo mas, antes de poder partir de Castle Black, é esfaqueado pelos outros patrulheiros que tentam defender a neutralidade da Patrulha da Noite na guerra.[15][16]

Na televisão[editar | editar código-fonte]

1ª temporada (2011)[editar | editar código-fonte]

Seguindo a história do livro A Game of Thrones, Jon, o filho bastardo de Ned Stark, se junta à Patrulha da Noite. Ele chega à Muralha junto com seu lobo-gigante "Ghost", para descobrir que a Ordem é uma sombra do seu "eu" anterior. Criado para ser um guerreiro talentoso com grande senso de honra e justiça, Jon é, a princípio, desdenhoso de seus colegas recrutas, homens que vem de classes mais baixas, criminosos sem treinamento e exilados. Ele é persuadido por Tyrion Lannister, de visita a Castle Black, o forte da Patrulha, a colocar de lado seus preconceitos e ajudar os outros em treinos com suas armas. Ele fica amigo de Samwell Tarly, um gordinho covarde e péssimo no aprendizado militar, sendo de personalidade mais intelectual. Ele faz seu juramento mas fica decepcionado em ser feito de assistente do Lorde Comandante da Patrulha Jeor Mormont ao invés de um batedor. Samwell observa que ele está dessa maneira sendo preparado para ser um futuro comandante. Jon salva Mormont de uma criatura e recebe em troca a Longclaw, a ancestral espada da Casa Mormont, em agradecimento. Jon recebe a notícia da execução de seu pai em Porto Real, e apesar de tentado a deixar a Patrulha para ajudar sua família, seu senso de dever o faz permanecer onde está.[17]

2ª temporada (2012)[editar | editar código-fonte]

Jon assiste o selvagem Craster, um homem com várias esposas que casa com suas próprias filhas, sacrificar seu filho recém-nascido para os Caminhantes Brancos. Depois, como parte de um pequeno grupo de batedores liderados por Qhorin Halfhand, ele recebe a missão de matar uma selvagem prisioneira, a guerreira Ygritte. Ele não consegue fazê-lo e ela consegue fugir, mas o captura mais tarde com seus próprios companheiros. Qhorin ordena a Jon que finja desertar da Patrulha da Noirtte e se junte aos Selvagens, para descobrir seus planos; Qhorin então encena uma luta e secretamente o instrui para que Jon o mate, ganhando a confiança dos selvagens. Jon o faz e é levado à presença de Mance Rayder, o selvagem Rei Além-da-Muralha.[18]

3ª temporada (2013)[editar | editar código-fonte]

Jon promete sua lealdade a Rayder e viaja com os selvagens, descobrindo que eles querem escalar a Muralha e abrir seu caminho de volta à Westeros. Os sentimentos dele por Ygritte aumentam e eles fazem sexo. Quando Jon se recusa a matar um homem inocente para provar sua lealdade, ele é atacado por outros Selvagens mas foge e é seguido por Ygritte, que o fere com três flechas até que ele consegue escapar novamente e retornar a Castle Black.[19]

Brasões de armas da Patrulha da Noite, da Casa Stark e da Casa Targaryen

4ª temporada (2014)[editar | editar código-fonte]

Dois dos patrulheiros, Alliser Thorne e Janos Slynt, querem que Jon seja executado por traição por ter se juntado aos Selvagens, mas ele consegue convencer Meistre Aemon de sua inocência e lealdade e é libertado. Depois ele lidera uma expedição até Craster's Keep, onde alguns dos patrulheiros se amotinaram e mataram o Comandante Mormont; após derrotar os rebeldes, ele se reúne a seu lobo "Ghost". Um grupo de selvagens, comandados por Tormund Giantsbane, ataca Castle Black enquanto outro liderado por Mance Rayder sitia a Muralha. Os Selvagens são repelidos mas Ygritte é atingida e morre nos braços de Jon. Antes que ele possa negociar uma trégua com Rayder ou mesmo matá-lo, Stannis Baratheon chega à fortaleza com seu exército e toma Mance como prisioneiro.[20]

5ª temporada (2015)[editar | editar código-fonte]

Stannis faz de Jon seu intermediário a uma aliança com Rayder, para convencer os Selvagens de uni-los a seu próprio exército; este se recusa a se submeter e é queimado vivo na fogueira pela sacerdotisa Melisandre. Stannis oferece a Jon legitimá-lo e fazê-lo Lorde de Winterfell em troca de seu apoio, o que recusa, e depois é eleito por seus companheiros como Lorde Comandante da Patrulha da Noite, inicialmente empatando com sua nêmesis Alliser Thorne, mas ganhando o cargo pelo desempate de Meistre Aemon. Jon quer receber os Selvagens em Westeros e lhes dar terras para viver, mas isto enfurece a facção da patrulha liderada por Thorne, que tem um ódio profundo pelos Selvagens. Depois, Jon viaja para o norte da Muralha à vila dos selvagens, para convencê-los a se unirem à Patrulha para enfrentarem a ameaça maior contra todos, os Caminhantes Brancos. Quando está lá, uma força maciça de criaturas de mortos-vivos, liderados pelo Rei da Noite, ataca a vila destroçando os selvagens; um pequeno grupo de selvagens e patrulheiros, incluindo Jon, consegue escapar no último momento e retornam a Castle Black. Na fortaleza, ele é convocado para pretensamente saber notícias de seu tio desaparecido Benjen, mas ao invés disto é esfaqueado até a morte por Thorne e seu grupo de amotinados incluindo o jovem Olly. [21]

6ª temporada (2016)[editar | editar código-fonte]

Davos Seaworth, Dolourous Edd e outros patrulheiros leais a Jon fazem uma barricada num quarto com "Ghost" e o corpo dele; um ataque de Thorne e seus homens ao quarto é frustrado pela chegada de Tormund e seus selvagens. Davos encoraja Melisandre a usar de sua mágica para tentar ressuscitar Jon; apesar de, a princípio, o ritual falhar, Jon revive. Após enforcar Thorne e seus amotinados por traição, ele entrega o comando da Patrulha a Dolouros Edd e se prepara para deixar Castle Black. Antes que isso aconteça, entretanto, ele se reúne à sua irmã Sansa, que fugiu de Winterfell e de Ramsay Bolton e chegou à Muralha escoltada por Brienne de Tarth. Quando Jon recebe uma carta de Bolton, exigindo a devolução de Sansa e anunciando que seu irmão mais novo, Rickon, é seu refém e irá matá-lo se Sansa não for devolvida, Jon decide marchar contra Bolton e Winterfell. Pelo caminho, ele tenta conseguir reforços mas mesmo assim seu exército tem apenas metade do tamanho do exército inimigo. Mesmo assim, Jon continua até Winterfell e quando os dois exércitos se encontram na frente da fortaleza, Bolton mata Rickon à frente de todos, com uma flechada depois de mandá-lo correr para o irmão. Em fúria, Jon corre contra o exército inimigo e uma grande batalha começa. Inferiorizados em número e cercados pelos soldados de Bolton, os homens de Jon estão prestes a ser todos mortos quando os cavaleiros do Vale, liderados por Sansa e Petyr Baelish, aparecem e numa carga de cavalaria para cima do exército inimigo, divide-o e os soldados restantes o aniquila. Jon persegue Ramsay Bolton que fugiu de volta para Winterfell e o surra selvagemente, parando antes de matá-lo. E então Sansa o entrega a seus próprios cães selvagens, que o devoram vivo. Longe dali, Bran Stark, o outro irmão menor de Jon ainda vivo mas que ficou paraplégico e tem visões do passado, vê sua tia, Lyanna Stark, reunida com seu pai Ned em seu leito de morte, fazendo-o jurar que protegerá o filho dela – Jon.[22] Neste meio tempo, os lordes do Norte proclamam Jon como Rei do Norte.[23]

7ª temporada (2017)[editar | editar código-fonte]

Jon ordena a Tormund e seus selvagens que deixem Castelo Negro e vão para Atalaialeste do Mar, um castelo abandonado da Muralha, para fortificá-lo contra a ameaça dos Caminhantes Brancos. Ele recebe e ignora uma mensagem de Cersei Lannister exigindo que se submeta e jure lealdade a ela, como Rainha dos Sete Reinos. Depois, recebe uma mensagem de Tyrion Lannister, em nome de Daenerys Targaryen, para que vá a Pedra do Dragão encontrar-se com ela. A princípio, Jon, Sansa e Davos acham muito perigoso e ele fica em dúvida, mas quando recebe outra mensagem de Samwell desde a Cidadela, dizendo que descobriu que Pedra do Dragão é uma rocha como enormes quantidades de vidro do dragão nela, a única arma que pode matar os Caminhantes Brancos, ele decide fazer a viagem e deixa Sansa como sua regente em Winterfell. Jon chega à Pedra do Dragão acompanhado de Davos Seaworth e é recebido na praia por Tyrion e Missandei. Desarmados, são levados à presença de Daenerys que quer dele que se ajoelhe e preste lealdade à rainha, enquanto o interesse de Jon é sobre ajuda contra os Caminhantes Brancos; após um primeiro contato tenso entre os dois, intermediado por Tyrion, Jon se torna um hóspede forçado de Daenerys. Influenciada pelo anão, ela depois permite que ele faça as escavações necessárias para retirar vidro do dragão das rochas sob a fortaleza. [24]

Jon convida Daenerys para ir à caverna sob o castelo para ver o vidro do dragão antes de começar a escavá-lo. Quando lá estão ele lhe mostra antigos desenhos descobertos nas paredes da caverna, feitos pelas Crianças da Floresta e pelos Primeiros Homens, e também desenhos feitos dos Caminhantes Brancos, mostrando a ela que esses povos antigos se uniram para derrotar o inimigo comum e que eles também precisam fazer isso. Ela diz que o ajudará se ele se ajoelhar perante ela e aceita-lá como sua rainha; Snow reluta e diz que após tudo o que sofreram os nortenhos nunca aceitariam uma rainha estrangeira, no entanto ela rebate e afirma que eles a aceitariam se o rei deles o também o fizesse. Theon Greyjoy chega à praia num barco com alguns homens para pedir ajuda a Daenerys para libertar Yara mas é recebido por Jon, que diz que ela não está ali e que se não fosse pela ajuda que Theon prestou a Sansa para fugir dos Bolton, ele o mataria ali mesmo. Ele assiste ao retorno de Daenerys montada em seu dragão, Drogon, após a batalha em que ela aniquilou as forças de Jaime Lannister e Drogon se aproxima de Jon para examiná-lo, numa atitude curiosa e não-belicosa. Surpreendendo Daenerys e a ele próprio, Snow acaricia o dragão que ao invés de matá-lo, aceita graciosamente o carinho. Depois de receber uma mensagem de que Arya e Bran estão vivos em Winterfell, ele deixa finalmente Pedra do Dragão e se dirige com Davos Seaworth, Gendry, o filho bastardo de Robert Baratheon que retornou de Porto Real com Tyrion e Davos, e Jorah Mormont, que, curado da doença de escamagris por Samwell Tarly, também voltou para servir a rainha, para o forte de Atalaialeste do Mar, na Muralha. De lá, junto com Tormund Giantsbane, os homens que foram consigo e mais um grupo formado por ex-prisioneiros de Tormund, a Irmandade sem Bandeiras entre eles Sandor Clegane, saem numa missão além da muralha para capturar um morto-vivo e enviar seu corpo a Porto Real a fim de convencer Cersei Lannister sobre a existência dos Caminhantes Brancos e assim persuadi-la a formar uma aliança que possa por fim a ameaça para lá da muralha. [24]

Durante a caminhada, ele tenta devolver Garra Longa, a espada que lhe foi dada por Jeor Mormont, ex-comandante da Patrulha da Noite, a seu filho, Jorah, mas este responde que a espada está em melhor mãos com Jon. Os homens capturam um morto-vivo mas são encurralados pelo exército dos Caminhantes Brancos. Ele manda Gendry de volta à Muralha para enviar um mensagem por corvo a Daenerys pedindo ajuda. Quando estão cercados e próximos de serem aniquilados, ela aparece com dois de seus dragões que derramam uma torrente de fogo contra os mortos-vivos, impedindo o massacre dos humanos. Um dos dragões, Viserion, é morto por uma lança de gelo lançada pelo Rei da Noite e depois transformado num morto-vivo. Daenerys e o grupo de homens fogem montados em Drogon, o dragão sobrevivente, mas Jon, encurralado, fica para trás. Ele consegue escapar ajudado por seu tio Benjen Stark, que, surgido do nada, enfrenta os mortos-vivos e lhe dá um cavalo para a fuga. Mais tarde ele é recolhido pelos patrulheiros na porta da Muralha, onde chega desmaiado em cima do cavalo. Levado para Pedra do Dragão, é velado pelos amigos e por Daenerys. Quando acorda, diz a ela que sente muito pela perda de um de seus "filhos", Viserion, e os dois dão a mão emocionados. Ela promete que irá ajudar o Norte na guerra contra os Caminhantes Brancos e ele lhe chama de "minha rainha", segundo ele, por merecimento dela e que todo o povo do Norte reconhecerá isto.[25]

Jon chega ao Fosso do Dragão em Porto Real, junto com Daenerys e seu grupo de aliados e guerreiros, para as conversações de trégua e ajuda mútua contra os Caminhantes com Cersei Lannister. Lá, ele fala da necessidade de união de todos contra a ameaça maior e mostra o morto-vivo que trouxeram das terras Além da Muralha. Confrontada com a criatura, Cersei aceita a trégua mas exige que Jon não tome partido na guerra que se seguirá entre os Lannister e Daenerys pelo controle de Westeros, após a derrota dos Caminhantes Brancos. Jon recusa dizendo servir a apenas uma rainha e que essa é Daenerys, o que faz Cersei encerrar a reunião sem acordo. Apesar de satisfeita com a lealdade de Jon, Daenerys acha que ele pôs tudo a perder mas Tyrion Lannister convence Cersei, numa conversa particular posterior, a voltar à arena e oferecer a ajuda de suas tropas na guerra que virá contra os Caminhantes. Jon e Daenerys se dirigem ao norte num navio da frota Targaryen e fazem amor no quarto dela, enquanto se ouve a voz de Samwell Tarly em Winterfell com Bran Stark, os dois revelando que Jon é na verdade um filho legítimo de Rhaegar Targaryen e Lyanna Stark, sendo então sobrinho de sangue de Daenerys, e que seu nome verdadeiro é Aegon Targaryen, o real herdeiro do Trono de Ferro.[24]

Crítica[editar | editar código-fonte]

Considerado uma das "melhores criações" do autor e um dos personagens mais populares da série, [1] David Orr, do jornal New York Times, descreve Jon como "um ponderado, complexo e basicamente bom personagem". Laura Prudom, do Variety, diz que "Jon tem as mesmas deficiências de seu pai; ele luta com honra contra oponentes que estão todos dispostos a usar essa moral previsível contra ele".[26] David Benioff e D. B. Weiss, roteiristas e produtores-executivos de Game of Thrones, explicam que Jon é um dos personagens da série que "precisam enfrentar verdades duras sobre o mundo em que vivem e se adaptarem a estas verdades, porque a maior diculdade que muitos deles enfrentam é como fazer isso sem perder o controle de quem eles são". [27] Como adendo, eles colocam que "Jon tenta viver com honra, mesmo sabendo que a honra frequentemente faz os membros de sua família serem mortos".[27] O site especializado IGN nomeou Jon Snow como "O Maior Herói da Televisão em 2011". [28]

Ator[editar | editar código-fonte]

Kit Harington é Jon Snow na série de tv.

O ator inglês Kit Harington vive Jon Snow na televisão. A revista TV Guide o chamou de "um "galã com alma" cujo Jon é idolatrado por seus irmãos mais novos e que "busca um propósito" juntando-se à Patrulha da Noite.[29] Sua performance na 6ª temporada da série lhe rendeu uma indicação para o Primetime Emmy Awards de melhor ator coadjuvante em série dramática.[30] Ele também foi indicado para o Saturn Awards de melhor ator coadjuvante em televisão em 2012, 2016 e 2017. Junto com o restante do elenco, ganhou o Empire Award em 2015 e foi quatro vezes indicado ao Screen Actors Guild Award.[31][32]

Em outubro de 2014, Harington e outros atores-chave do elenco, todos contratados inicialmente para seis temporadas da série, renegociaram seus contratos para uma potencial sétima temporada com um aumento de salário para as temporadas cinco, seis e sete.[33] The Hollywood Reporter chamou a renegociação de "enorme", comentando que os novos valores colocaria estes atores "entre os mais bem pagos da televisão a cabo" [33] O portal Deadline.com, que cobre as notícias de Hollywood, apontou valores de US$300.000 dólares para a 5ª temporada e o valor anunciado para a sétima temporada e uma potencial oitava foi de "perto de US$500.000 dólares por episódio".[34]

Em 2017, ele transformou-se num dos atores mais bem pagos da história da televisão, com um contrato de US$1.100.000 dólares por cada episódio da nova temporada. [35] O jornal britânico Daily Express colocou os valores totais na casa de £2 milhões, provavelmente um valor que incluiu percentagens nos direitos pela retransmissão do programa em outros países do mundo – cerca de 170 – e sobre a comercialização de DVDs.[36]

Referências

  1. a b c Orr, David (12 de agosto de 2011). «Dragons Ascendant: George R. R. Martin and the Rise of Fantasy». The New York Times. Consultado em 12 de julho de 2014 
  2. Cumming, Ed. «Kit Harington: 'The acting never feels like work'». The Guardian. Consultado em 27 de julho de 2017 
  3. «Character profile for Jon Snow». Goodreads. Consultado em 3 de agosto de 2014 
  4. a b Martin, George R. R. (1996). A Game of Thrones. New York City: Bantam Books. ISBN 0-553-10354-7 
  5. Vineyard, Jennifer (17 de julho de 2014). «Sean Bean on Legends, Method Acting, and Game of Thrones Flashbacks». Vulture]]. Consultado em 15 de maio de 2016 
  6. a b Martin (1996). A Game of Thrones. [S.l.: s.n.] pp. 607–608. ISBN 0-553-10354-7 
  7. Martin (1996). A Game of Thrones. [S.l.: s.n.] pp. 39–40. ISBN 0-553-10354-7 
  8. Martin (1996). A Game of Thrones. [S.l.: s.n.] pp. 708–709. ISBN 0-553-10354-7 
  9. Graham, Daniella (5 de maio de 2015). «Did Game Of Thrones just confirm one of the biggest Jon Snow fan theories?». Metro. Consultado em 15 de maio de 2016 
  10. «Game of Thrones The Dragon and the Wolf Synopsis». HBO. Consultado em 30 de agosto de 2017 
  11. Martin, George R. R. (1998). A Clash of Kings. [S.l.]: Bantam Books. ISBN 978-0-553-89785-2 
  12. Martin, George R. R. (2000). A Storm of Swords. [S.l.]: Bantam Books. ISBN 978-0-553-89787-6 
  13. «A Storm of Swords: Analysis of Jon Snow». SparkNotes. Consultado em 4 de agosto de 2014 
  14. Hughes, Aaron (janeiro de 2006). «Fantasy Book Review: A Feast for Crows by George R. R. Martin». Fantastic Reviews. Consultado em 25 de julho de 2016 
  15. Thier, Dave (7 de junho de 2015). «Will Game of Thrones Jon Snow Have The Same Story In The Show As He Does In The Books?». Forbes. Consultado em 15 de junho de 2015 
  16. Martin, George R. R. (2011). A Dance with Dragons. [S.l.]: Bantam Books. ISBN 978-0-553-90565-6 
  17. «Game of Thrones Season 1». HBO. Consultado em 28 de julho de 2017 
  18. «Game of Thrones Season 2». HBO. Consultado em 28 de julho de 2017 
  19. «Game of Thrones Season 3». HBO. Consultado em 28 de julho de 2017 
  20. «Game of Thrones Season 4». HBO. Consultado em 28 de julho de 2017 
  21. «Game of Thrones Season 5». HBO. Consultado em 28 de julho de 2017 
  22. «See the Connections Behind Ned's Promise With This Infographic». MakingGameofThrones.com (HBO). 28 de junho de 2016. Consultado em 29 de junho de 2016. Cópia arquivada em 29 de junho de 2016 
  23. «Game of Thrones Season 6». HBO. Consultado em 28 de julho de 2017 
  24. a b c «Game of Thrones Season 7». HBO. Consultado em 28 de julho de 2017 
  25. «Game of Thrones Beyond the Wall Synopsis». HBO. Consultado em 21 de agosto de 2017 
  26. Prudom, Laura (19 de junho de 2016). «Game of Thrones Recap: Women Rule in 'Battle of the Bastards'». Variety. Consultado em 8 de agosto de 2016 
  27. a b Hibberd, James (15 de junho de 2014). «Game of Thrones showrunners on those season 4 finale twists». Entertainment Weekly. Consultado em 12 de julho de 2014 
  28. «Best Television Hero 2011». IGN. Consultado em 30 de junho de 2016. Cópia arquivada em 3 de março de 2012 
  29. Roush, Matt (15 de abril de 2011). «Roush Review: Grim Thrones Is a Crowning Achievement». TV Guide. Consultado em 11 de julho de 2014 
  30. Prudom, Laura (14 de julho de 2016). «Game of Thrones Rules 2016 Emmy Race With 23 Nominations». Variety. Consultado em 9 de agosto de 2016. Arquivado do original em 30 de agosto de 2016 
  31. «Empire Hero Award 2015». Empire. Consultado em 8 de setembro de 2016. Arquivado do original em 14 de julho de 2015 
  32. «SAG Awards Nominations: Complete List». Variety. 9 de dezembro de 2015. Consultado em 8 de setembro de 2016 
  33. a b Belloni, Matthew; Goldberg, Lesley (30 de outubro de 2014). «Game of Thrones Cast Signs for Season 7 with Big Raises». The Hollywood Reporter. Consultado em 20 de julho de 2016 
  34. Andreeva, Nellie (30 de outubro de 2014). «Game Of Thrones Stars Score Big Raises». Deadline.com. Consultado em 20 de julho de 2016 
  35. Goldberg, Lesley (17 de novembro de 2016). «Robert De Niro's Making How Much?! TV Is Becoming an ATM for Top Talent». The Hollywood Reporter. Consultado em 15 de dezembro de 2016 
  36. «Game of Thrones stars reportedly sign biggest pay-per-episode deal in TV history». The Daily Telegraph. 25 de abril de 2017. Consultado em 4 de junho de 2017