Joomla

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Joomla!
Joomla!-Logo.svg
Joomla 3.0 - View Backend.jpg
Painel de Controle do Joomla!
Desenvolvedor The OSM Development Team
Plataforma Software Livre
Lançamento 16 de setembro de 2005 (12 anos)
Versão estável 3.6.2 (4 de agosto de 2016; há 2 anos)
Linguagem PHP
Sistema operativo Web, independe de SO
Gênero(s) Sistema de gerenciamento de conteúdo
Licença GNU GPL
Estado do desenvolvimento Corrente
Tamanho 11,4 MB
Página oficial Joomla.org (em inglês).

JoomlaPT.com (em português). Joomla.com.br (em português).

Joomla! (pronúncia: [djumla]) é um sistema livre open source de gestão de conteúdo web (do inglês: Content Management System - CMS) desenvolvido em PHP e com base de dados MySQL, executado em um servidor interpretador. Criado pelo grupo de desenvolvedores OSM em 2005, foi projetado com separação entre design, programação e conteúdo, proporcionando rapidez na produção de sites com flexibilidade, design personalizados e baixo investimento. Um é esqueleto de website pré-configurado com recursos básicos, com fácil manutenção e administração via web.

É um projeto open source (licença GNU/GPL) e a sua última versão estável é a 3.8.3 (dezembro de 2017); a sua última versão legada é a 1.5.26.[1]

O Joomla! auxilia na publicação e administração de um conteúdo na web para leigos em desenvolvimento de sites. É utilizado para o desenvolvimento de lojas virtuais, blogs, revistas online, portais de conteúdo, jornais, catálogos de produtos/serviços e diversos outros formatos de conteúdo.[2] No CMS vem pré-configurado as características básicas de um site, como login de usuários e administradores, edição e publicação de conteúdo, publicação de "banners" de propaganda.

O CMS conta com extensões que não estão em sua instalação básica, mas que podem ser adquiridos através de download dos módulos e componentes (10.071 mil) que aumentam sua funcionalidade com rapidez.[2] Além disso, existem vários templates prontos para agilizar o processo de criação de sites com investimento mínimo. Possuindo versões em 64 idiomas.

História[editar | editar código-fonte]

Os CMS ajudam a resolver um problema, antes complexo durante muito tempo, a necessidade de investir um custo alto em pessoas capacitadas para construir e gerenciar um site ou portal.

É resultado da separação entre a equipe de desenvolvedores do Mambo CMS e a empresa australiana Miro, devido a transferência do controle do CMS para a fundação Mambo Foundation,[2] prejudicando assim os desenvolvedores que teriam apenas uma participação passiva e pouco representativa. Esses desenvolvedores, preocupados com a integridade do projeto e com o futuro dos utilizadores, não aceitaram a transferência e, em 2005, criaram o "Joomla 1.0", também "open source", a partir do código-fonte do Mambo 4.5.2 (fork).

Como afirma Sady Jacques, o embaixador da Associação Software Livre: “O software livre é fundamental neste contexto de mudança de visão, ele traz o compartilhamento e colaboração como filosofia". Para o usuário iniciante existem diversas comunidades locais de Joomla onde pode ser conseguida ajuda no seu processo de aprendizado e mesmo na construção de projetos profissionais.

Premiações[editar | editar código-fonte]

  • Em 2005 recebeu o premio Linux Awards, como o “melhor projeto de software livre”.[2]
  • Em 2011 recebeu o prêmio de o "melhor CMS Open Source".<ref name="packtpub">
  • Em 2014 recebeu prêmio de o "melhor CMS PHP".
  • Em 2016 recebeu prêmio de o "Best Free CMS".

Características principais[editar | editar código-fonte]

Suas principais características são:[2]

  • Código aberto (Licença GPL);
  • Sistema simples de fluxo de aprovação;
  • Arquivamento para conteúdo não utilizados (lixeira);
  • Gerenciamento de banners;
  • Sistema de publicação para o conteúdo;
  • Sumário de conteúdo no formato RSS;
  • Busca otimizada (qualquer palavra registrada);
  • Frontend traduzido em várias línguas;
  • Fácil instalação de novos templates, módulos e componentes;
  • Hierarquia para grupos de usuários;
  • Estatísticas básicas de visitantes (módulos mais complexos podem ser adicionados);
  • Editor de conteúdo WYSIWYG;
  • Sistema de enquete simples (com acompanhamento de resultado em tempo real);
  • Sistemas de índices de avaliação;
  • Extensões livres em diversos sites (Módulos, Componentes, Templates, Traduções).
  • Compatibilidade com versão anterior.

Referências

  1. Open Source Awards. «2011 Open Source Awards». Consultado em 17 de fevereiro de 2012 
  2. a b c d e Liriana Batista da Silva Pesco (2013). «Ferramentas para criação de sites e portais CMS» (pdf). Universidade Federal do Paraná. 17 páginas. Consultado em 30 de janeiro de 2018 

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]