Jorge Guillén

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Jorge Guillén
Nome nativo Jorge Guillén Álvarez
Nascimento 18 de janeiro de 1893
Valladolid
Morte 6 de fevereiro de 1984 (91 anos)
Málaga
Cidadania Espanha
Filho(s) Claudio Guillén
Alma mater Universidad Central, Universidade de Granada
Ocupação poeta, escritor, professor universitário
Prêmios Bolsa Guggenheim, Prêmio Miguel de Cervantes, Prêmio Antonio Feltrinelli
Empregador Universidade Harvard, Universidade de Múrcia, Universidade de Sevilha, Wellesley College, Universidade de Paris

Jorge Guillén Álvarez (Valladolid, 18 de janeiro de 1893Málaga, 6 de fevereiro de 1984) foi um poeta, crítico literário e cronista espanhol, membro da Geração de 27.
Qualificado como vanguarda na Espanha, como os demais poetas de sua geração, explorou o verso livre e alguns recursos utilizados pela poesia experimental ou simplesmente moderna feita desde Mallarmé e Jules Laforgue, como a disposição tipográfica não-linear e a estrutura sintática entrecortada do diálogo. Quando iniciou-se a Guerra Civil Espanhola expatriou-se, tendo vivido nos Estados Unidos, onde escreveu boa parte de sua obra e foi professor de literatura no Wellesley College, em Massachussets, de 1940 a 1958 [1]. Repousa no Cemitério Inglês, em Málaga.

Obras selecionadas[editar | editar código-fonte]

  • Cántico (1950)
  • Clamor (1963)
  • Y Otros Poemas (1973)

Distinções[editar | editar código-fonte]

  • Espanha Doutoramento Honoris Causa pela Faculdade de Filosofia e Letras de Valladolid (1977)

Referências

Ícone de esboço Este artigo sobre um poeta ou uma poetisa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.