Jorge I de Quieve

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Jorge I de Quieve
Representação moderna de Jorge no Famílias nobres do Império Russo
Grão-príncipe de Quieve
Reinado 1149-1150
Antecessor(a) Iziaslau II
Sucessor(a) Iziaslau III
Grão-príncipe de Quieve
Reinado 1155-1157
Predecessor Iziaslau III
Sucessor Iziaslau III
Príncipe de Rostóvia
Reinado 1132-1157
Predecessor ?
Sucessor André I
 
Descendência
Dinastia ruríquida
Morte 15 de maio de 1157
Pai Vladimir II
Religião Ortodoxia russa

Jorge I de Quieve, nascido Jorge ou Iuri Vladimiroviche (em russo: Юрий Владимирович; romaniz.: Iuri Vladimirovitch) e comumente chamado Jorge ou Iuri Longímano (em latim: Georgius Longimanus;[1] em russo: Юрий Долгорукий; romaniz.: Iuri Dolgorukii),[2] foi um nobre ruríquida, filho mais novo de Vladimir II (r. 1113–1125).

Vida[editar | editar código-fonte]

Jorge era o filho mais novo de Vladimir II (r. 1113–1125). Desde 1132, era príncipe de Rostóvia.[3] Em 1146, enviou o seu filho Ivanco para ajudar Esvetoslau II (r. 1136–1164), que por ter feito a missão de resgate do deposto Igor II (r. 1146), foi atacado por Iziaslau II e os Davidoviches em Novogárdia Sevéria. Em 4 de abril de 1147, Esvetoslau e Jorge se encontraram em Moscou. Em 1149, Iziaslau e o seu irmão Rostislau I pilharam as terras de Jorge. Em 24 de julho, Jorge respondeu marchando contra Iziaslau em Quieve. A seguir, Iziaslau declarou guerra a Esvetoslau, e este e Jorge derrotaram-o na Batalha de Pereslávia. Em 23 de agosto, Jorge tomou Quieve e foi nomeado grão-príncipe.[4]

Em 1150, Iziaslau removeu Jorge do trono e convidou Viacheslau I para governar consigo. Em 1152, Iziaslau e seus aliados demoliram a Gorodets de Jorge, causando à retaliação dele e Esvetoslau. Em 1154, Iziaslau e Viacheslau morreram e Iziaslau III os sucedeu. Em 20 de março de 1155, Jorge depôs Iziaslau III e tomou o trono novamente, e o reteve até sua morte em 15 de maio de 1157.[5] Os seus filhos André I, Glebo I, Miguel I e Usevolodo III envolver-se-iam na política de Quieve pelas décadas subsequentes.[6]

Referências

  1. Hecke 1861, p. XXII.
  2. White 2013, p. 177.
  3. Font 2010, p. 116.
  4. Dimnik 2003, p. xxiv.
  5. Dimnik 2003, p. xxiv-xxv.
  6. Dimnik 2003, p. xxv-xxvi.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Dimnik, Martin (2003). The Dynasty of Chernigov, 1146–1246. Cambrígia: Imprensa da Universidade de Cambrígia 
  • Font, Márta (2010). «Pereiaslavl, Battle of (1149)». In: Rogers, Clifford J. The Oxford Encyclopedia of Medieval Warfare and Military Technology, Volume 1. Oxônia: Imprensa da Universidade de Oxônia 
  • Hecke, Josephus Van; Bossue, Benjamin; Buck, Victor De; Carpentier, Édouard (1861). Acta Sanctorum Octobris Tomus X. Bruxelas: Henrick Goemaere 
  • White, Monica (2013). Military Saints in Byzantium and Rus, 900–1200. Cambrígia: Imprensa da Universidade de Cambrígia