Jornal da Cultura

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde julho de 2012). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Jornal da Cultura
Informação geral
Formato Telejornal
Gênero jornalismo
debate
Duração
Criador(es) TV Cultura
País de origem Brasil
Idioma original português
Produção
Diretor(es) Leão Serva
Produtor(es) Danilo Martinho (Jornal da Cultura)
Produtor(es) executivo(s)
Editor(es)
Câmera multicâmera
Apresentador(es)
Elenco Cadu Cortez (Hora do Esporte)
Tema de abertura instrumental
Tema de encerramento instrumental
Empresa(s) de produção Fundação Padre Anchieta
Localização São Paulo, SP
Exibição
Emissora de televisão original TV Cultura
Formato de exibição 480i (SDTV)
1080i (HDTV)
Formato de áudio estéreo
Transmissão original

Jornal da Cultura (JC) é o principal telejornal produzido pela TV Cultura e apresentado no período noturno, no horário nobre, de segunda a sábado.

História[editar | editar código-fonte]

Estreou no dia 29 de dezembro de 1986 sob o comando de Hamilton Tramontá. Em 30 de setembro de 2013, estreou o JC Primeira Edição, noticiário apresentado, no perído da tarde. Seus apresentadores são Aldo Quiroga e Joyce Ribeiro, além de Cadu Cortez, que traz notícias esportivas. Passaram pela bancada do jornalístico os apresentadores Marco Antonio Rocha Rodolfo Konder, Milton Jung e Heródoto Barbeiro.[1] Todos os dias, conta com a presença de dois analistas convidados, que comentam as notícias. Às sextas-feiras, o JC recebe dois deputados (em exercício) de diferentes partidos.[carece de fontes?]

Em junho de 2019, o telejornal passou a ser apresentado por Willian Corrêa, que havia deixado o programa em 2018 para ser correspondente em Angola. Pouco mais de um mês depois do seu retorno ao comando do telejornal, Corrêa foi substituído no início de julho por Ana Paula Couto.[2]

Em 22 de julho de 2019 Karyn Bravo, ex-Band e SBT, estreou como apresentadora do JC, formando dupla com Ana Paula Couto. Nesse novo formato, a dupla de comentaristas diários inicia sua participação após o primeiro intervalo do Jornal[3].

Em setembro de 2019 o jornal lança a série de jornalismo investigativo "Os Olhos que Condenam no Brasil". Foi inspirada na série da Netflix, When They See Us.[4] O primeiro episódio foi uma reportagem exclusiva sobre o Caso Bodega, um dos maiores erros da polícia do Brasil.[5]

Após desentendimento entre as apresentadoras do JC em outubro de 2019, a TV Cultura optou por designar cada uma para apresentar o jornal em dias alternados.[6]

Versões[editar | editar código-fonte]

JC Primeira Edição
Aldo Quiroga e Joyce Ribeiro dão as principais notícias, entrevistas e acontecimentos do Brasil e do mundo. O quadro Hora do Esporte é apresentado por Cadu Cortez, com as notícias do esporte brasileiro e mundial.

Estante JC

De praxe às sextas-feiras, os comentaristas da bancada são convidados a dar sugestões de livros para leitura.

Notas e referências

Notas

Referências

  1. Portal dos Jornalistas
  2. «Telejornais da TV Cultura também terão trocas de apresentadores». tvefamosos.uol.com.br. Consultado em 10 de junho de 2019 
  3. «MAKING OF DO NOVO JORNAL DA CULTURA, COM ANA PAULA COUTO E KARYN BRAVO» 
  4. Os Olhos que Condenam no Brasil - Intrdodução (vídeo). Brasil: TV Cultura. 17 de setembro de 2019. Consultado em 21 de setembro de 2019 
  5. Os Olhos que Condenam no Brasil - O Caso Bodega (vídeo). Brasil: TV Cultura. 17 de setembro de 2019. Consultado em 19 de setembro de 2019 
  6. «TV Cultura adotará revezamento em telejornal após briga de jornalistas». www.msn.com. Consultado em 31 de outubro de 2019 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre Televisão no Brasil é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.