Jornal da Noite (Brasil)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Se procura pelo antigo telejornal da Rede Globo, veja Jornal da Noite (1974).
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde julho de 2010). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Searchtool.svg
Esta página foi marcada para revisão, devido a incoerências e/ou dados de confiabilidade duvidosa (desde setembro de 2016). Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor, verifique e melhore a coerência e o rigor deste artigo.
Jornal da Noite
Informação geral
Formato Telejornal
Duração 50 minutos
Criador(es) Grupo Bandeirantes de Comunicação
País de origem  Brasil
Produção
Diretor(es) Fernando Mitre
André Luiz Costa
Apresentador(es) Marina Machado (desde 2019) (âncora interina)
Elenco
Exibição
Emissora de televisão original Rede Bandeirantes
Formato de exibição 1080i (HDTV)
480i (SDTV) (1986-2008)
Transmissão original 20 de janeiro de 1986 - presente
Cronologia
Programas relacionados Café com Jornal
Jornal da Band

Jornal da Noite é um telejornal noturno brasileiro, produzido e exibido pela Rede Bandeirantes, que vai ao ar de segunda a sexta. Estreou em 1986 sob o comando de Lillian Witte Fibe. Atualmente, é comandado interinamente pela jornalista Marina Machado.

Apresentadores[editar | editar código-fonte]

O telejornal estreou em 1986 com Lillian Witte Fibe na bancada, na época o Jornal da Noite era propriedade do Governo do Estado de São Paulo. Lillian saiu da bancada em 1987, deixando para os jornalistas José Paulo de Andrade e Geraldo Canali que assumiram como âncoras e depois de duas semanas, o telejornal deixou de ser do governo e se tornou independente. Em 1990, José saiu da bancada deixando Canali assumir sozinho até 1991, quando ele foi para a Rede Record deixando Ferreira Martins no comando também como editor-chefe, até 1992 quando Chico Pinheiro assume o jornal até ir para Record e Carla Vilhena entra no lugar de Pinheiro em 94 e fica até dezembro de 1996. A partir de Janeiro de 1997, passa a ser apresentado por Marco Antônio Sabino.

O telejornal passou a ter comentaristas como Joelmir Beting, Mauro Beting no esporte, e Clóvis Monteiro. Marco deixa a bancada em 1998 e passa para Celso Zucatelli. Logo depois em 2001, Sérgio Rondino passa apresentar o jornal que muda de cenário e deixa de ter comentaristas. Rondino ficou até 2002, quando a jornalista Maria Cristina Poli assume o telejornal; um ano depois, Roberto Cabrini assume o comando do jornal sem bancada, apresentando o jornal em pé e com reportagens de cunho investigativo, Cabrini ressaltava nas chamadas do jornalístico: "Eu sou um repórter que apresenta e não um apresentador que faz reportagem". Em 2008, Cabrini assina com a Record, e provisoriamente Eleonora Pascoal apresenta até que em seu lugar entra Boris Casoy. Com passagens pelo SBT e Record, e depois de 2 anos fora do ar, Casoy estreou em abril e ficou no jornal até 30 de setembro de 2016, sendo sucedido por Fábio Pannunzio. Em 2019 com o falecimento de Ricardo Boechat, Pannunzio passa apresentar o Jornal da Band sendo substituído inicialmente pelo jornalista Rafael Colombo, que acabou por dar espaço para Caroline Nogueira e depois para Marina Machado.

Histórico de apresentadores[editar | editar código-fonte]

Apresentadores eventuais[editar | editar código-fonte]

  • Caroline Nogueira (desde 2016)
  • Cynthia Martins (desde 2019)
  • Fabiana Panachão (desde 2018)
  • Paula Valdez (desde 2019)
  • Rafael Colombo (desde 2019)
  • Sérgio Gabriel (desde 2017)

Ligações externas[editar | editar código-fonte]