José António Ferreira de Lima

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
José António Ferreira de Lima
Nascimento 12 de janeiro de 1804
Morte 23 de setembro de 1883 (79 anos)
Lisboa
Cidadania Reino de Portugal
Ocupação juiz, jurista
Prêmios Comendador da Ordem de Nossa Senhora da Conceição de Vila Viçosa
Título visconde

José António Ferreira de Lima, ComNSC, (Bragança, 12 de janeiro de 1804 - Santa Isabel (Lisboa), 23 de setembro de 1883), mais tarde Visconde de Ferreira de Lima, foi um juiz e jurisconsulto português[1][2].

Biografia[editar | editar código-fonte]

Natural de Bragança, era filho de Francisco José Ferreira de Lima e de sua mulher Rosa Joaquina de Castro.

Bacharel formado em Direito pela Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra, foi Juiz Desembargador e Presidente do Tribunal da Relação de Lisboa [3] e Juiz Conselheiro do Supremo Tribunal de Justiça. Foi membro da Comissão que elaborou o Código Penal Português de 1861 e das comissões revisoras dos projectos do Código de Processo Civil Português e do Código Civil Português de 1867.

Foi 1.º Visconde de Ferreira de Lima, por título concedido em uma vida por Sua Majestade Fidelíssima o Rei D. Luís I, por Decreto de 15 de janeiro de 1880[4][1].

Foi do Conselheiro de Sua Majestade Fidelíssima em 1862, Fidalgo Cavaleiro da Casa Real por Alvará de 19 de fevereiro de 1866, Comendador da Real Ordem Militar de Nossa Senhora da Conceição de Vila Viçosa, Ilustríssimo Senhor Comendador da Real Ordem de Isabel a Católica de Espanha[1][2] e Oficial da Ordem da Coroa de Itália de Itália.

Em Lisboa residia desde 1870 na freguesia de Santa Isabel, no Palacete do Visconde Ferreira de Lima, onde faleceu aos 79 anos. Encontra-se sepultado no Cemitério dos Prazeres, em jazigo.

A sua esposa voltou a casar em 1887 com Álvaro Frederico Martins, e em 1904 com António Jacinto Ribeiro da Silva Torres (falecido a 25 de abril de 1909 em Santa Isabel).

Família[editar | editar código-fonte]

Casou em 2 de Setembro de 1857 na Igreja de Nossa Senhora do Amparo de Benfica, com Amélia Augusta de Campos (Socorro, 5 de janeiro de 1841 - ?), residente no Monte Cuche em Benfica, filha natural do seu cunhado, Manuel de Campos Pereira, proprietário capitalista e grande negociante da cidade de Lisboa, passando a residir na freguesia de Santa Justa, na Rua Nova do Amparo, tendo treze filhos e filhas:

Referências

  1. a b c d Eduardo Martins Zuquete, Afonso (1960). Nobreza de Portugal e do Brasil. Bibliografia, Biografia, Cronologia, Filatelia, Genealogia, Heráldica, História, Nobiliárquica, Numismática. II. Lisboa - Rio de Janeiro: Editorial Enciclopédia, Lda. p. 590,591 
  2. a b c da Fonte, Barroso (2007). Dicionário dos Mais Ilustres Transmontanos e Alto Durienses. [S.l.]: Cidade Berço. ISBN 9789729674624 
  3. http://www.trl.mj.pt/presidentes/presidenteslista.php
  4. de Mello Corrêa, Manuel (1985). Anuário da Nobreza de Portugal. II. Lisboa: Instituto Português de Heráldica