José António de Meneses de Sousa Coutinho

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde abril de 2013). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

José António de Meneses de Sousa Coutinho (Fevereiro de 17571 de Outubro de 1817[1]), mais conhecido por Principal Sousa, foi um clérigo e político português, Principal da Igreja Patriarcal de Lisboa e membro do Conselho de Regência do Reino que ficou a governar Portugal quando a corte se refugiou no Rio de Janeiro, dele fazendo parte de 1810 até à morte. No Conselho de Regência do Reino representava o clero.

O Principal Sousa foi irmão de D. Rodrigo de Sousa Coutinho, 1.º conde de Linhares, ministro de estado assistente ao despacho do príncipe regente D. João, e de Domingos António de Sousa Coutinho, 1.º conde do Funchal, o embaixador português em Londres, que negociou a ajuda inglesa contra os invasores franceses.

Foi o primeiro membro do Conselho de Regência a reconhecer a urgência do regresso a Lisboa do rei, em carta datada de 1 de Junho de 1817, na qual escreve: só a Real Presença dará a felicidade a este Povo e poderá regenerar esta Nação que não aspira por outra fortuna que a de ver Vossa Majestade.

É uma das principais personagens da peça de teatro Felizmente Há Luar!, da autoria de Luís de Sttau Monteiro.

Referências

Ícone de esboço Este artigo sobre um político é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.