José Ermírio de Moraes

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
José Ermírio de Moraes
Nome completo José Ermírio de Moraes
Nascimento 21 de janeiro de 1900
Nazaré da Mata, Pernambuco
Morte 9 de agosto de 1973 (73 anos)
São Paulo, São Paulo
Nacionalidade brasileiro
Cônjuge Helena Pereira de Moraes
Ocupação Empresário, engenheiro e político

José Ermírio de Moraes (Nazaré da Mata, 21 de janeiro de 1900São Paulo, 9 de agosto de 1973) foi um empresário, engenheiro e político brasileiro, fundador do Grupo Votorantim.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Era filho de Ermírio Barroso de Moraes e Francisca Jesuína Pessoa de Albuquerque.[1]

Filho de usineiros abastados de Pernambuco, nasceu no engenho Santo Antônio, localizado a sessenta quilômetros do Recife.

Em 1921, formou-se engenharia pela Colorado School of Mines em Golden, Estados Unidos.[1]

Casou-se com Helena, filha de Antonio Pereira Inácio, em maio de 1925, com quem teve José Ermírio, Antônio Ermírio, Ermírio e Maria Helena.[1]

St John del Rel Mining Co.[editar | editar código-fonte]

Voltando ao Brasil, trabalhou na Secretaria de Agricultura de Minas Gerais como engenheiro de minas.[1]

Em 1922 trabalhou para a St John del Rey Mining Co., da mina de ouro Morro Velho.[1]

Em junho de 1923 tomou o comando da Usina Aliança do seu cunhado.[1]

Grupo Votorantim[editar | editar código-fonte]

Numa viagem à Suíça conheceu Antonio Pereira Inácio, dono da tecelagem Votorantim na cidade homônima.[1] Começou a trabalhar para essa empresa.

Em maio de 1928 fundou junto a outros empresários o Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (CIESP). Foi um dos primeiros diretores junto a Francisco Matarazzo, Roberto Simonsen, Jorge Street, Horácio Lafer e Antonio Devisate.[1]

Foi um dos apoiadores da revolução de 1932.[1]

Em 1936 inaugurou uma fábrica de cimento.[1]

Em 1937, criou a Companhia Nitro Química Brasileira, para a produção de rayon, com seus sócios Numa de Oliveira, Horácio Lafer e Wolf Kadeschewitz.[1]

Nesse mesmo ano criou a Companhia Siderúrgica Barra Mansa.[1]

Em 1941 criou a Companhia Brasileira de Alumínio.[1]

Em 1951 morreu Antonio Pereira Inácio. Seus herdeiros venderam sua participação acionária para José Kalil.[1]

Em 1957 comprou a Companhia Brasileira de Metais que produzia zinco.[1]

Ministro da Agricultura[editar | editar código-fonte]

José Ermírio concorreu ao Senado por Pernambuco na eleições de outubro de 1962.[1] Junto com o candidato a governador Miguel Arraes foi vitorioso.[1]

Com o retorno do sistema presidencialista, foi nomeado por João Goulart para a pasta da agricultura em 28 de janeiro de 1963.[1]

Senador por Pernambuco[editar | editar código-fonte]

Voltou ao senado em 20 de junho de 1963.[1]

Encerrou seu mandato em 31 de janeiro de 1971.[1]

Obra[editar | editar código-fonte]

  • Ética profisional e administrativa do engenheiro. 1950.
  • A metalurgia como fator de desenvolvimento de uma nação. 1952.
  • Situação atual da indústria do cimento. 1956.
  • Brasil atual e seu futuro. 1957.
  • Bases indispensáveis para a formação de uma nação brasileira economicamente independente. 1958.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t Brasil, CPDOC-Centro de Pesquisa e Documentação História Contemporânea do. «JOSE ERMIRIO DE MORAIS». CPDOC - Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil. Consultado em 19 de novembro de 2020 

Precedido por
Renato Costa Lima
Ministro da Agricultura do Brasil
1963
Sucedido por
Oswaldo Cavalcanti da Costa Lima Filho