José Ermírio de Moraes

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
José Ermírio de Moraes
Nome completo José Ermírio de Moraes
Nascimento 21 de janeiro de 1900
Nazaré da Mata, Pernambuco
Morte 9 de agosto de 1973 (73 anos)
São Paulo, São Paulo
Nacionalidade brasileiro
Cônjuge Helena Pereira de Moraes
Ocupação Empresário, engenheiro e político

José Ermírio de Moraes (Nazaré da Mata, 21 de janeiro de 1900São Paulo, 9 de agosto de 1973) foi um empresário, engenheiro e político brasileiro, fundador do Grupo Votorantim.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Era filho de Ermírio Barroso de Moraes e Francisca Jesuína Pessoa de Albuquerque.[1]

Filho de usineiros abastados de Pernambuco, nasceu no engenho Santo Antônio, localizado a sessenta quilômetros do Recife.

Em 1921, formou-se engenharia pela Colorado School of Mines em Golden, Estados Unidos.[1]

Casou-se com Helena, filha de António Pereira Inácio, em maio de 1925, com quem teve José Ermírio, Antônio Ermírio, Ermírio e Maria Helena.[1]

St John del Rel Mining Co.[editar | editar código-fonte]

Voltando ao Brasil, trabalhou na Secretaria de Agricultura de Minas Gerais como engenheiro de minas.[1]

Em 1922 trabalhou para a St John del Rey Mining Co., da mina de ouro Morro Velho.[1]

Em junho de 1923 tomou o comando da Usina Aliança do seu cunhado.[1]

Grupo Votorantim[editar | editar código-fonte]

Numa viagem à Suíça conheceu Antonio Pereira Inácio, dono da tecelagem Votorantim na cidade homônima.[1] Começou a trabalhar para essa empresa.

Em maio de 1928 fundou junto a outros empresários o Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (CIESP). Foi um dos primeiros diretores junto a Francisco Matarazzo, Roberto Simonsen, Jorge Street, Horácio Lafer e Antonio Devisate.[1]

Foi um dos apoiadores da revolução de 1932.[1]

Em 1936 inaugurou uma fábrica de cimento.[1]

Em 1937, criou a Companhia Nitro Química Brasileira, para a produção de rayon, com seus sócios Numa de Oliveira, Horácio Lafer e Wolf Kadeschewitz.[1]

Nesse mesmo ano criou a Companhia Siderúrgica Barra Mansa.[1]

Em 1941 criou a Companhia Brasileira de Alumínio.[1]

Em 1951 morreu Antonio Pereira Inácio. Seus herdeiros venderam sua participação acionária para José Kalil.[1]

Em 1957 comprou a Companhia Brasileira de Metais que produzia zinco.[1]

Ministro da Agricultura[editar | editar código-fonte]

José Ermírio concorreu ao Senado por Pernambuco na eleições de outubro de 1962.[1] Junto com o candidato a governador Miguel Arraes foi vitorioso.[1]

Com o retorno do sistema presidencialista, foi nomeado por João Goulart para a pasta da agricultura em 28 de janeiro de 1963.[1]

Senador por Pernambuco[editar | editar código-fonte]

Voltou ao senado em 20 de junho de 1963.[1]

Encerrou seu mandato em 31 de janeiro de 1971.[1]

Obra[editar | editar código-fonte]

  • Ética profissional e administrativa do engenheiro. 1950.
  • A metalurgia como fator de desenvolvimento de uma nação. 1952.
  • Situação atual da indústria do cimento. 1956.
  • Brasil atual e seu futuro. 1957.
  • Bases indispensáveis para a formação de uma nação brasileira economicamente independente. 1958.

Referências

  1. a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t Brasil, CPDOC-Centro de Pesquisa e Documentação História Contemporânea do. «JOSE ERMIRIO DE MORAIS». CPDOC - Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil. Consultado em 19 de novembro de 2020 

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Precedido por
Renato Costa Lima
Ministro da Agricultura do Brasil
1963
Sucedido por
Oswaldo Cavalcanti da Costa Lima Filho