José Joaquim Champalimaud

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

José Joaquim Champalimaud de Nussane de Sousa Lira e Castro de Barbosa (Valença, Fontoura, 4 de Outubro de 1771 — Elvas, 5 de Maio de 1825) foi um militar português.[1]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Filho de Paul Joseph Champalimaud, Senhor de Nussane, conhecido como José Champalimaud de Nussane (Limoges, 9 de Janeiro de 1733 — Valença do Minho, São Miguel de Fontoura, Quinta de São José do Bárrio, 21 de Janeiro de 1799), Oficial de Engenharia Francês,[1] e de sua mulher (Valença do Minho, São Miguel de Fontoura, 17 de Outubro de 1770) Clara Maria de Sousa Lira e Castro (Valença do Minho, São Miguel de Fontoura, 20 de Abril de 1751 — Valença do Minho, São Miguel de Fontoura, 22 de Dezembro de 1825), e irmão de Rosa Inácia Champalimaud de Nussane de Sousa Lira e Castro de Barbosa (Valença do Minho, São Miguel de Fontoura, 19 de Janeiro de 1774 - Valença do Minho, São Miguel de Fontoura, 26 de Fevereiro de 1845), solteira e sem geração.

Ainda criança, aos 8 anos, assentou Praça de menor no Regimento de Infantaria N.º 21, que guarnecia Valença, e, aos 19 anos, foi reconhecido Cadete, e foi transferido para o Regimento de Artilharia N.º 1, no Porto.[2]

Aos 20 anos, em 1791, foi promovido a Oficial, e, em Fevereiro do ano imediato de 1792, foi promovido e entrou como Segundo-Tenente colocado na Companhia de Brulotes da Marinha.[3]

A bordo quando pertencia à tripulação da fragata "D. João, Príncipe do Brasil", cruzou o Estreito de Gibraltar e combateu contra os Corsários Marroquinos, passando, depois, para a nau "São Sebastião". Promovido a Primeiro-Tenente em 1795, passou para o Exército de Terra no posto de Tenente.[3]

Promovido a Capitão em 1797, foi colocado, de volta, ao Regimento de Infantaria N.º 21. Dirigiu umas obras de fortificação no Minho e fez a Campanha de 1801, demitindo-se em 1807, quando na Primeira Invasão Francesa o General Jean Andoche Junot entrou em Portugal, por não querer servir o estrangeiro, apesar da sua origem paterna.[3]

Quando rebentou a Revolução contra os Franceses, no posto de Major, tomou parte activa na luta, sendo logo promovido ao posto de Tenente-Coronel, em 1808. No ano seguinte, em 1809, distinguiu-se na Defesa do Porto, durante a Segunda Invasão Francesa, sendo promovido a Coronel nesse mesmo ano.[3]

Entrou na Batalha do Buçaco, durante a Terceira Invasão Francesa, comandando uma Brigada composta pelo Regimento de Infantaria N.º 9 e pelo Regimento de Infantaria N.º 21, e, à frente dela, foi nomeado Brigadeiro, alcançando grande fama na Guerra Peninsular. À Brigada do seu comando se deveu, em grande parte, a Tomada de Badajoz.[3] José Joaquim Champalimaud viria a distinguir-se durante as Invasões Napoleónicas em Portugal, tendo recebido as mais altas condecorações a que fazem referência vários despachos de diferentes chefes militares, nomeadamente do General Wellington e citado no Parlamento Britânico a 27 de Abril de 1812.

A 2 de Julho de 1812, depois de brilhante folha de serviços no Exército, foi designado e nomeado Governador da Praça-Forte de Valença. Foi promovido a Marechal-de-Campo em 1815. Quando faleceu, dez anos depois, em 1825, ocupava o posto de Governador da Praça-Forte de Elvas.[3][4]

Foi Fidalgo da Casa Real.

Casou em 25 de Março de 1801 com sua prima Maria Clara de Sousa Lira e Castro de Barbosa (Paredes de Coura, São Mamede de Ferreira, Casa do Paço de Ferreira, 5 de Agosto de 1779 — Lisboa, Lapa, 30 de Maio de 1833), filha de António Luís de Sousa Lira e Castro de Barbosa (c. 1740 - ?) e de sua mulher Maria Luísa Mendes da Cunha de Araújo (c. 1770 - ?), com quem teve nove filhos e filhas.

Descendência[editar | editar código-fonte]

Maria Clementina Champalimaud de Nussane de Sousa Lira e Castro de Barbosa Paredes de Coura, Ferreira 01.04.1802
Carlota Casimira Champalimaud de Nussane de Sousa Lira e Castro Paredes de Coura, Ferreira 03.09.1803
Ana Umbelina Champalimaud de Nussane de Sousa Lira e Castro Valença 23.04.1805
Luísa Eugénia Champalimaud de Nussane de Sousa Lira e Castro Paredes de Coura, Ferreira 16.06.1806
José António Champalimaud de Nussane de Sousa Lira e Castro de Barbosa Paredes de Coura, Ferreira 03.08.1807 Paredes de Coura, Casa do Paço de Ferreira 18.07.1864
António Luís Champalimaud de Nussane de Sousa Lira e Castro de Barbosa Paredes de Coura, Ferreira 03.07.1809 Lisboa 27.07.1877
Emília Cândida Champalimaud de Nussane de Sousa Lira e Castro Valença 04.09.1813 31.01.1877
Guilhermina Amália Champalimaud de Nussane de Sousa Lira e Castro Valença 19.05.1815 Lisboa 03.08.1860
Joaquim Carlos Champalimaud de Nussane de Sousa Lira e Castro Tomar, São João Baptista 13.03.1821 Grândola 21.07.1856

Referências

  1. a b Vários. Grande Enciclopédia Portuguesa e Brasileira. [S.l.]: Editorial Enciclopédia, L.da. pp. Volume 6. 589 
  2. Vários. Grande Enciclopédia Portuguesa e Brasileira. [S.l.]: Editorial Enciclopédia, L.da. pp. Volume 6. 589-90 
  3. a b c d e f Vários. Grande Enciclopédia Portuguesa e Brasileira. [S.l.]: Editorial Enciclopédia, L.da. pp. Volume 6. 590 
  4. José Joaquim Champalimaud